• 06/09/2018

    Candidatos ao governo do Paraná repudiam ataque a Bolsonaro

    Candidatos ao governo do Paraná repudiam ataque a Bolsonaro

    A governadora Cida Borghetti (PP), candidata à reeleição, escreveu em suas redes sociais, nota de repúdio à violência contra o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL-RJ). "Nenhuma forma de violência pode ser aceita e na política deve prevalecer sempre o diálogo e o debate de ideias. Minha solidariedade ao deputado federal Jair Bolsonaro que foi meu colega de bancada e hoje é candidato a presidente", escreveu. "Desejo uma rápida recuperação e que Deus esteja ao seu lado e de sua família neste momento", concluiu a governadora.

    Leia as outras declarações

  • 06/09/2018

    Prefeito de Maringá, do PDT, declara apoio a Ratinho Jr

    Prefeito de Maringá, do PDT, declara apoio a Ratinho Jr
    (Foto: Divulgação / Ratinho Jr)

    O prefeito de Maringá, Ulisses Maia, do PDT, partido coligado ao MDB do candidato ao governo João rruda, oficializou, na noite de quarta-feira (5), apoio à candidatura de Ratinho Junior (PSD) ao Palácio Iguaçu. Mais que isso. Maia atuará na campanha de Ratinho Jr como coordenador político da região.

    Arruda disse que esperava apoio de Maia. "Vemos essa postura com tristeza. Sendo do PDT, esperávamos que ele acompanhasse o partido e coligasse conosco, principalmente após a desistência do Osmar. Mas ele deve ter tido os motivos dele", afirmou. 

    Ulisses Maia disse que considera o compromisso de Ratinho Jr. "Decisões devem ser tomadas sempre em perspectiva e, no caso do nosso apoio à candidatura de Ratinho Junior ao governo do Estado, consideramos, em primeiro lugar, seu compromisso com transformações urgentes na condução do Paraná e de suas demandas. Apoiamos a renovação de ideias e propostas e Ratinho Junior é representativo dessa convicção para a construção de um Estado mais desenvolvido”, declarou o prefeito. 

    Até a desistência do ex-senador Osmar Dias (PDT) da corrida pelo govenro, Ulisses Maia se mantinha fiel. Após Arruda assumir o posto de candidato na chapa MDB/PDT/PCdoB, Maia demorou a se manifestar. Agora, revelou sua preferência. 

    O anúncio foi feito durante o encontro de Ratinho Junior com mais de mil pessoas, entre lideranças políticas e apoiadores da região, no Parque de Exposições Francisco Feio Ribeiro. Na ocasião o candidato comentou a adesão de Maia à campanha.

    “É um ato importante, tanto pela liderança que Ulisses Maia representa, quanto pelo trabalho que ele vem desenvolvendo na Prefeitura de Maringá. Em um ano de mandato, com medidas como o corte de cargos comissionados, o prefeito conseguiu reduzir custos e fazer com que a cidade fechasse as contas de 2017 com superávit de 20%. Maia faz parte de uma nova geração de prefeitos e políticos que tratam a gestão pública com seriedade. É um orgulho ter o prefeito de Maringá na campanha, especialmente neste momento em que as pesquisas confirmam crescimento nas intenções de votos”, afirmou Ratinho Junior. 

    Desde que assumiu a prefeitura de Maringá, em 2017, como oposição a Silvio Barros (PP), irmão do deputado federal Ricardo Barros (PP) (marido da governadora Cida Borghetti), Maia reatou a relação que tinha antes. Já havia sido chefe de Gabinete de Ricardo Barros na prefeitura. Virou oposição quando assumiu a presidência da Câmara Municipal, posição que precedeu sua eleição como prefeito. Agora, após a divulgação da segunda pesquisa Ibope, escolheu Ratinho Jr. Maia joga no time que está ganhando. 

    O PDT não se manifestou sobre a postura do prefeito. 

  • 05/09/2018

    Candidato a deputado bloqueia radares de Curitiba em protesto

    Candidato a deputado bloqueia radares de Curitiba em protesto
    (Foto: Facebook)

    O candidato a deputado estadual, Paulo Demchuk (PROS) resolveu fazer uma campanha polêmica na noite desta quarta (15) em Curitiba. Vários correligionários e ele próprio cobriram diversos radares do Centro da cidade com placas de campanha alegando ser um protesto contra a indústria das multas.

    “Vamos acabar com o roubo, imposto é roubo. Vamos acabar com imposto sobre comida, remédio e combustível”, diz o candidato em um dos vídeos, feito na esquina das ruas André de Barros com a João Negrão. 

    A Superintendência de Trânsito (Setran) já enviou equipes aos locais para verificar se houve dano ao patrimônio público. Se a denúncia for formalizada na Justiça Eleitoral, o candidato pode ser punido. 

    Veja os vídeos

     

    Campanha inédita na política, confira!

    Posted by Guilherme Machado on Wednesday, September 5, 2018

     

     

     

    Posted by Paulo Demchuk on Wednesday, September 5, 2018

     

     

  • 05/09/2018

    Cida propõe levar visitas virtuais a todos os presídios do Estado

    Cida propõe levar visitas virtuais a todos os presídios do Estado
    (Foto: Divulgação )

    A governadora e candidata à reeleição, Cida Borghetti, (coligação PP-PSDB-PTB-PROS-PMB-PMN-DEM) afirmou que o projeto Visita Virtual - que permite que as detentas da Penitenciária Feminina do Paraná (PFP), em Piraquara, revejam suas famílias por chamada de vídeo - será levado para as 31 penitenciárias do Paraná. As conversas são por chamadas de vídeo, que duram cerca de meia hora, e acompanhadas por agentes penitenciários. As detentas utilizam o computador instalado na unidade, enquanto os familiares têm acesso via celular ou computador, como em uma chamada de vídeo normal. 

    “Cerca de 70% das detentas não recebem visita dos familiares e isso impacta na ressocialização. O projeto, ainda em fase piloto, é inédito no Brasil e será estendido a todas as 31 unidades penais do Paraná”, afirmou Cida durante reunião com advogadas na subseção da Ordem dos Advogados do Brasil do Paraná (OAB/PR). 

    De acordo com a candidata, o "Visita Virtual" o projeto visa a humanização do tratamento penal e contribui para a ressocialização dos detentos, que fortalecem os vínculos com os familiares. “A nossa intenção, com a criação do projeto, é tentar reaproximar os detentos de suas famílias, que muitas vezes moram longe e não conseguem visitá-los”, disse. 

    Além disso, ela afirma que o "Visita Virtual" reduzirá custos do Estado. Os equipamentos que serão utilizados são os mesmos instalados nas 31 penitenciárias para as web audiências, programa do Estado e Tribunal de Justiça para agilizar os processos, reduzir custos e evitar deslocamentos dos presos, diz a candidata. Segundo ela, em 60 dias, foram feitas 150 videoconferências. Nesse período,150 presos deixaram de escoltados para participarem de audiências.
        
    As audiências acontecem no período da tarde e no restante do tempo o equipamento ficava ocioso. O novo sistema oferece mais agilidade, segurança e economia aos cofres públicos, já que evita o deslocamento de presos, diz a governadora.  “São ações inovadoras que fazem o uso adequado da máquina pública e recursos do estado. Este é o novo modelo de gestão que dá certo moderna, firme e eficaz”, garantiu Cida. 
        
    Pela proposta, para ter acesso a visita virtual, que é um beneficio, é necessário que o preso apresente bom comportamento, disciplina e cumpra suas obrigações.

    Scanner - Outro projeto apresentado pela candidata é o bodyscanner. Segundo Cida, serão instalados 25 escâneres corporais nas penitenciárias do Estado para acabar com as “revistas vexatórias” e garantir a integridade física e moral dos visitantes, além da segurança dentro dos presídios. Os bodyscanner serão no mesmo formato dos da polícia federal, que fazem a revista, sem a necessidade de contato físico.

  • 05/09/2018

    Políticos do Paraná gastam mais de R$ 320 mil com campanha patrocinada nas redes sociais

    Políticos do Paraná gastam mais de R$ 320 mil com campanha patrocinada nas redes sociais
    (Foto: reprodução/Facebook)

    Os candidatos às eleições deste ano no Paraná já gastaram um total de R$ 321.261,00 na campanha com impulsionamento de conteúdo eleitoral na internet, segundo dados declarados à Justiça Eleitoral entre os dias 16 e 30 de agosto. Em todo o País, o valor gasto nessa modalidade de campanha foi de R$ 2.039.108,19. 

    No Paraná, a governadora e candidata à reeleição, Cida Borghetti (PP), foi a responsável por quase metade da despesa com esse tipo de propaganda. Ela declarou já ter gasto R$ 150 mil para impulsionar suas publicações nas redes sociais. Seu marido, o deputado federal e candidato à reeleição, Ricardo Barros (PP), é o segundo da lista, e declarou outros R$ 40 mil. 

    O candidato do PSD ao governo, deputado estadual Ratinho Júnior, apontou gasto de apenas R$ 10 mil com a campanha nesse meio. O ex-governador e candidato ao Senado, Beto Richa (PSDB), investiu R$ 9,4 mil nessa modalidade de campanha virtual. 

    Esta é a primeira eleição em que é permitido efetuar o impulsionamento de conteúdo na internet para fins eleitorais, desde que identificado de forma clara e contratado exclusivamente por partidos políticos, coligações, candidatos e seus representantes. A norma proíbe, porém, a veiculação de qualquer tipo de propaganda eleitoral paga na internet.

    Na disputa para a Presidência da República, o montante declarado com ações nas redes sociais foi de R$ 50.000,00. Os candidatos aos governos dos estados declararam gastos que somam R$ 650.240,00. Entre os que disputam vagas para o Senado, os valores alcançaram R$ 330.600,00. Os candidatos que concorrem a vagas na Câmara Federal informaram a destinação de R$ 597.977,70 para campanhas de impulsionamento na internet, e os candidatos às assembleias legislativas gastaram R$ 398.390,48. Entre os que disputam vagas na Câmara Legislativa do Distrito Federal, o gasto foi de R$ 4.900,00. Já direções estaduais/distritais de partidos informaram gastos de R$ 7.000,00.

    Além do impulsionamento de conteúdo e controle de gastos, as alterações na propaganda eleitoral na internet preveem a proibição do uso de perfis falsos e robôs, responsabilização pela remoção de conteúdo e direito de resposta pelo mesmo meio utilizado para divulgar o conteúdo ofensivo.

  • 05/09/2018

    'Escola Sem Partido' é para quem quer escola do seu partido, diz João Arruda

    'Escola Sem Partido' é para quem quer escola do seu partido, diz João Arruda
    (Foto: Eduardo Matysiak / Divulgação )

    Em considerações finais do debate entre candidatos ao governo do Paraná, promovido pelo Coletivo de Sindicatos no auditório da Universidade Estadual de Londrina (UEL) nesta quarta-feira (5), o deputado federal João Arruda, candidato do MDB, disse que o projeto "Escola sem Partido", que busca vedar debates de políticos e ideológicos nas escolas do Paraná e do país, é "péssimo para a democracia".

    "É preciso promover mais debates e mais democracia, isto acontece na escola também. Esta conscientização é necessária, por que a partir da escola que a gente aprende a discutir e entender o que precisamos em relação ao futuro para nossas cidades, para o nosso estado e país", ressaltou.

    "Escola sem partido é para quem defende escola para seu partido e não para todos os partidos", disparou. João Arruda assumiu o compromisso de que, em seu governo, a UEL vai voltar a ter investimentos importantes através do Estado do Paraná, "do início ao fim do meu mandato. A UEL É orgulho para todos nós, paranaenses, orgulho para Londrina e todo norte do Paraná".

    O candidato do MDB voltou a afirmar que é preciso aumentar apoio as pesquisas e projetos de extensão realizado nas universidades estaduais. "Precisamos daquilo que se produz aqui, que se formula de ideias, políticas públicas, de uma grande parceria com o Governo do Estado", frisou.

    A intenção, segundo ele, é combater em conjunto, problemas na segurança pública e desequelíbrios sociais do Estado. Em relação ao debate, João Arruda lamentou a ausência dos candidatos que segundo ele "representam a continuidade do governo Beto Richa (PSDB)" - Ratinho Junior (PSD) e Cida Borghetti (PP). "Gostaria de debater com eles, as mesmas propostas, independente de aplausos ou das vaias, temos aqui na UEL democracia. Parabéns a todos!", concluiu.

  • 04/09/2018

    Ibope ao Senado: Requião tem 43%; Richa, 28%; e Arns, 17%

    Ibope ao Senado: Requião tem 43%; Richa, 28%; e Arns, 17%
    (Foto: Eduardo Matysiak / Divulgação )

    O senador Roberto Requião (MDB) e o ex-governador Beto Richa (PSDB) seriam eleitos para as duas vagas paranaenses no Senado Federal se as eleições fossem hoje, segundo pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira (4) pelo portal G1 Paraná. 

    De acordo com a pesquisa encomendada pela RPC-TV, Roberto Requião (MDB) teria 43% das intenções de voto; Beto Richa (PSDB), 28%; Flavio Arns (REDE), 17%; Alex Canziani (PTB), 11%; Professor Wilson Pickler (PSL), 4%; Mirian Gonçalves (PT), 3%; Nelton (PDT), 3%; Oriovisto Guimarães (PODE), 3%; Zé Boni (PRTB), 3%; Rodrigo Tomazini (PSOL), 3%; Rodrigo Reis (PRTB), 2%; Roselaine Barroso (PATRI), 2%; Compadre Luiz Adão (DC), 1%; Gilson Mezarobba (PCO), 1%; e Jacque Parmigiani (PSOL), 1%. Votos brancos e nulos para a primeira vaga somam 13%; e para a segunda, 30%. Não sabe e não respondeu somam 31%. 

    A margem de erro da pesquisa é 3 pontos percentuais para mais ou para menos. Foram ouvidos 1.204 eleitores de todas as regiões do Estado, com 16 anos ou mais, entre os dias 1º e 4 de setembro. O registro no TRE é PR-04985/2018, e no TSE, BR-01988/2018. O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro

    Na modalidade espontânea da pesquisa Ibope, em que o pesquisador somente pergunta ao eleitor em quem ele pretende votar, sem apresentar a relação de candidatos), o resultado é o seguinte: Roberto Requião (MDB): 10%; Beto Richa (PSDB): 7%; Flavio Arns (REDE): 3%; Alex Canziani (PTB): 2%; Oriovisto Guimarães (Podemos): 1%; Gilson Mezarobba (PCO): 0%; Mirian Gonçalves (PT): 0%; Rodrigo Reis (PRTB): 0%; Zé Boni (PRTB): 0%; Rodrigo Tomazini (PSOL): 0%; Professor Wilson Pickler (PSL): 0%; Outros: 2%; Brancos/nulos: 16%; Não sabe/não respondeu: 75%. 

  • 04/09/2018

    Ibope ao governo: Ratinho tem 42%; Cida, 13%; e Arruda, 6%

    Ibope ao governo: Ratinho tem 42%; Cida, 13%; e Arruda, 6%
    (Foto: Divulgação )

    O deputado estadual Ratinho Junior (PSD) lidera, com 42% das intenções de voto, a corrida para o governo do Paraná, de acordo com pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira (4), pela RPC-TV e portal G1 Paraná. A governadora Cida Borghetti (PP), aparece em segundo, com 13% das intenções de voto na pesquisa estimulada. João Arruda (MDB) tem 6%; Doutor Rosinha (PT), 4%; Professor Piva (PSOL), 1%; Ogier Buchi (PSL), 1%; Professor Ivan Bernardo (PSTU), 1%; Priscila Ebara (PCO), 1%; Jorge Bernardi (Rede), 1%; e Geonísio Marinho (PRTB), 0%. Brancos e nulos somam 16%; Não sabe, 14%. 

    Em uma simulação de segundo turno entre Ratinho Junior e Cida Borghetti, Ratinho teria 58% das intenções de voto, contra 20% de Cida. Brancos e nulos somariam 15%. Não sabe e não respondeu, 7%.

    A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. Foram ouvidos 1.204 eleitores de todas as regiões do Estado, com 16 anos ou mais, entre os dias 1º a 4 de setembro. O registro no Tribunal Regional Eleitoral é PR-04985/2018 e no Tribunal Superior Eleitoral é BR-01988/2018. A pesquisa foi encomendada pela RPC-TV. O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro.

    Na modalidade espontânea da pesquisa Ibope, em que o pesquisador somente pergunta ao eleitor em quem ele pretende votar, sem apresentar a relação de candidatos, o resultado foi o seguinte: Ratinho Junior (PSD): 17%; Cida Borghetti (Progressista): 5%; João Arruda (MDB): 2%; Doutor Rosinha (PT): 1%; Ogier Buchi (PSL): 0%; Professor Piva (PSOL): 0%; Professor Ivan Bernardo (PSTU): 0%; Jorge Bernardi (Rede): 0%; Outros: 2%; Brancos/nulos: 15%; Não sabe: 57%

    Rejeição

    O Ibope também mediu a taxa de rejeição. O eleitor disse em qual dos candidatos não votaria de jeito nenhum. Nesse item, os entrevistados puderam escolher mais de um nome. Cida Borghetti (PP) tem 17% de rejeição; Doutor Rosinha (PT), 17%; Ratinho Junior (PSD), 12%; João Arruda (MDB), 11%; Professor Piva (PSOL), 9%; Priscila Ebara (PCO), 7%; Geonísio Marinho (PRTB), 5%; Professor Ivan Bernardo (PSTU), 5%; Jorge Bernardi (Rede), 5%; Ogier Buchi (PSL), 5%. Votaria em todos: 12%; Não sabe/não respondeu: 33%.

  • 04/09/2018

    Cida transforma ilha que Ratinho Jr prometeu vender em área de preservação

    Cida transforma ilha que Ratinho Jr prometeu vender em área de preservação
    (Foto: ANPr/divulgação)

    A governadora e candidata à reeleição, Cida Borghetti (PP), assinou hoje decreto que transforma a Ilha das Cobras, localizada na baia de Paranaguá (Litoral) em uma unidade de conservação na categoria Parque Estadual, com proteção integral de seu ambiente e espaço de pesquisa e educação ambiental. A ilha é a mesma que o candidato do PSD ao governo e adversário de Cida, deputado estadual Ratinho Júnior, vem prometendo vender, caso eleito, como combate ao que ele chama de “mordomias da velha política”. Até 2011, o local era usado como casa de veraneio de governadores.

    Com 52 hectares de área remanescente de Mata Atlântica e parada de tartarugas marinhas, o Parque Estadual Ilha das Cobras também abrigará a Escola do Mar, destinada à educação ambiental e à pesquisa. O objetivo é multiplicar o conhecimento sobre as ciências do mar, unindo o saber tradicional Caiçara (conhecimento dos pescadores) à inovação e tecnologia.

    Com a assinatura do decreto, começa uma nova etapa do projeto, segundo o governo. “Queremos que o local seja aberto à visitação pública e à educação ambiental dos estudantes do Paraná, além de promover a melhoria das condições de vida e de trabalho da comunidade pesqueira da região e de suas futuras gerações”, afirmou Cida Borghetti.

    A governadora lembrou que no início de junho determinou a criação de um grupo de trabalho para estudar uma nova destinação para a ilha. A tarefa ficou a cargo das secretarias estaduais do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, da Educação, da Comunicação Social e da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior; Casa Civil; Procuradoria-Geral do Estado (PGE); Sanepar; e o Instituto Ambiental do Paraná (IAP).

    A Ilha das Cobras pertence à União e foi necessário aval federal para a constituição do novo parque no local. No último dia 30 de agosto, o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão enviou ofício ao governo do Estado se posicionamento favorável à criação de uma unidade de conservação na área. Além disso, também renovou a cessão da ilha ao governo estadual para que faça as intervenções necessárias. “Tudo isso foi possível graças ao entendimento do Governo do Estado e da União, que vêm tratando desse assunto há cerca de dois meses, com a criação de um grupo de trabalho específico para este assunto”, disse o secretário de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Antônio Carlos Bonetti.

    O presidente do IAP, Paulino Mexia, disse que partir de hoje, o órgão, que é responsável por administrar as unidades de conservação ambiental do Paraná, vai iniciar um plano de manejo para conhecer efetivamente a biodiversidade da ilha. Mexia destacou que nesta semana já serão liberados R$ 2 milhões do Fundo Estadual do Meio Ambiente (FEMA) para o início do projeto. “Com isso, vamos começar a planejar toda a estrutura de educação ambiental com as condições necessárias para receber o público e os futuros pesquisadores”, afirmou. O IAP administra 68 unidades de conservação, entre parques, florestas, estações e outras categorias.

    Segundo o governo, desde a formação do grupo de trabalho criado para a implantação do Parque da Ilhas das Cobras, o processo cumpriu o que prevê a Legislação Ambiental, incluindo a apresentação do projeto em consulta pública aos moradores e comunidade pesqueira de Paranaguá. Nas consultas, foram apresentados dados, informações e esclarecimentos sobre projeto aos moradores locais.

    Nesses encontros, segundo o secretário Bonetti, também foi possível esclarecer aos pescadores que as comunidades locais só têm a ganhar com as mudanças. “Afinal a ilha, até então não utilizada e pouco conhecida, passa a trabalhar principalmente com a conscientização das pessoas a respeito da importância de se proteger o nosso meio ambiente”, disse. Os pescadores da região continuarão a ser ouvidos nas próximas etapas do projeto e vão, inclusive, integrar os grupos de discussões.

  • 04/09/2018

    Em encontro com sindicalistas, Ratinho Jr promete manter o salário mínimo regional

    Em encontro com sindicalistas, Ratinho Jr promete manter o salário mínimo regional
    (Foto: Rodrigo Félix Leal/divulgação)

    Em encontro com representantes da Força Sindical  na sede do Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba, o candidato do PSD ao governo, deputado estadual Ratinho Junior, ontem falou dos investimentos em infraestrutura para atrair empresas para o Paraná e se comprometeu a manter o salário mínimo regional. 

    Para o candidato, os investimentos na infraestrutura dos municípios e a redução da burocracia estatal, previstos no plano de governo, vão contribuir diretamente para a criação de vagas de empregos em todas as regiões do Estado. “Vamos desenvolver um ambiente que seja atraente à instalação de novas empresas no Paraná. Descentralizando os investimentos, criando parques regionais, incentivando a indústria da transformação e dando agilidade aos processos vai ser possível gerar mais emprego no Estado”, explicou. 

    O candidato do PSD recebeu do presidente do sindicato, Sérgio Butka, documento com sugestões para a construção de políticas que fortaleçam a relação do governo com paranaenses. O líder sindical lembrou também, durante o encontro, de um projeto de autoria do candidato, como deputado, que trouxe benefícios aos trabalhadores. “A lei que proíbe empresas que recebem incentivo do governo de realizar demissões em massa foi criada pelo Ratinho Junior e impediu que muitos trabalhadores fossem demitidos em momentos de crise”, destacou.

    O presidente do sindicato ressaltou ainda o perfil do candidato que, de acordo com ele, prioriza o diálogo e o respeito pelo cidadão. “É preciso ouvir o povo. Um governo que não ouve o povo não conseguirá traçar o caminho para um Estado justo. Tenho certeza que o Ratinho Junior abrirá espaço para que os trabalhadores possam buscar seus direitos”, afirmou Butka.

DESTAQUES DOS EDITORES