Política em Debate

Publicidade
Propina

Dinheiro da Econorte foi usado na campanha de Beto Richa

O ex-diretor do Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Paraná (DER-PR), Nelson Leal Junior, em depoimento complementar à Operação Lava Jato, disse ter recebido três pedidos de propinas, em 2014 e 2015, ao então presidente da Econorte, Helio Ogama – também delator. Ele relatou que R$ 220 mil da Econorte foram repassados para a campanha de Beto Richa (PSDB), para o deputado Guto Silva (PSD), atual chefe da Casa Civil do governo do Paraná, e para um congresso em Foz do Iguaçu.

As informações são da reportagem do jornal O Estado de São Paulo. De acordo com a reportagem, Nelson Leal Júnior disse ainda que a ‘primeira solicitação’ envolvendo a Econorte ocorreu em 2014. O delator contou que José Richa Filho, o Pepe Richa, irmão do ex-governador, e Mounir Chaowiche, ex-secretário de Habitação, que estavam na coordenação da campanha de Beto Richa ao Governo do Estado, o enviaram aos municípios de Paranavaí e Umuarama, no interior do Estado por 40 dias, para fazer campanha pelo tucano.

De acordo com Leal, José Richa Filho orientou o colaborador a procurar alguma empresa que tivesse contrato com o DER para que ela arcasse com as despesas inerentes ao deslocamento e realização da campanha. O colaborador teria então procurado o então presidente da Econorte, Helio Ogama, e solicitou a este o valor de R$ 80 mil. O pedido foi aceito.

“O colaborador utilizou integralmente o montante de R$ 80 mil nos 40 dias que ficou no interior do Estado do Paraná fazendo campanha para Carlos Alberto Richa, quitando despesas de hotel, gasolina, alimentação”, contou.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES