Política em Debate

Publicidade

PSC nega ter lançado 'laranja' para o Senado em 'acordo branco' com Ratinho e Richa

O PSC divulgou hoje nota para negar que tenha lançado um candidato 'laranja' ao Senado, como parte de um 'acordo branco' entre a coligação do candidato ao governo, deputado estadual Ratinho Júnior (PSD) e o ex-governador e pré-candidato a senador, Beto Richa (PSDB).

Inicialmente, a coligação de Ratinho Jr tinha como pré-candidatos ao Senado, o deputado federal Hidekazu Takayama (PSD), a deputada federal Christiane Yared (PR), além de cogitar uma aliança com o PSL do deputado federal e pré-candidato a senador, Fernando Francischini. Na convenção do último sábado, porém, a coligação não anunciou nenhum candidato oficial ao Senado, alegando que a questão seria decidada depois.

Na segunda-feira, o ex-ministro da Saúde e deputado federal Ricardo Barros (PP), afirmou que não esperava mais o apoio de Beto Richa à candidatura à reeleição de sua esposa, a governadora Cida Borghetti (PP). Segundo Barros, Richa deve ser candidato avulso ao Senado em 'acordo branco' com Ratinho Jr. Tanto que o vice-presidente do PSDB do Paraná e presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ademar Traiano, participou da convenção de Ratinho Jr, enquanto Richa não foi à convenção conjunta do PROS/PMB, que apoia Cida, lembrou o ex-ministro. “O governador Beto Richa já deu declarações de que quer ser candidato avulso. Ratinho Jr também não lança senador para um eventual 'acordo branco' com o governador Beto Richa. É o quadro que está formado”, disse Barros. 

Após a convenção, o PSC anunciou que Takayama desistiu de disputar o Senado, em favor do lançamento do secretário-geral do partido, Renan da Mata. Segundo a nota do PSC, o PSD “optou por Renan da Mata porque entende que a população anseia por uma renovação política”.

O partido afirma ainda que “repudia qualquer informação divulgada por parte da imprensa que considere a candidatura de Renan como ilegítima”. E que “denominá-lo como laranja é uma inverdade, além de ser pejorativo e de prejudicar fortemente a isonomia do pleito eleitoral”.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES