Política em Debate

Publicidade
Goiabeira

'Se eu tivesse visto o coelhinho da Páscoa não era a ministra louca', diz Damares

Damares: "Quem riu de mim leva seus filhos para ver papai noel no shopping e papai noel não existe"
Damares: "Quem riu de mim leva seus filhos para ver papai noel no shopping e papai noel não existe" (Foto: Franklin de Freitas)

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, ironizou hoje as críticas que vem recebendo da oposição e da imprensa, em razão de declarações polêmicas, como a do vídeo em que ela aparece contando ter visto Jesus, quando era criança e subiu em um pé de goiabeira. Ao agradecer a homenagem dos deputados, durante sessão da Assembleia Legislativa em que recebeu o título de Cidadã Benemérita do Paraná, Damares afirmou que só foi rotulada de “a maluca do pé de goiaba” em razão de suas crenças religiosas.

“Apanhei muito. Riram de mim. Fui execrada em praça pública. Zombaram da minha história. 'O que é que a louca estava fazendo no pé de goiaba aos dez anos de idade'. Eu estava chorando e querendo morrer porque fui vítima da pedofilia”, alegou. “Quantas crianças no Brasil hoje estão em cima do pé de goiaba? Milhões. Sabe quantas mulheres como eu são sobreviventes da pedofilia no Brasil? Milhões”, afirmou a ministra

“'A mais a senhora é louca não é porque estava no pé de goiaba. É porque a senhora disse que viu Jesus'. Eu vi. Eu sei o que eu vi. Era eu e ele”, rebateu Damares. “Tem uma grande apresentadora de televisão que diz que viu duende e ninguém riu dela. Quem riu de mim leva seus filhos para ver papai noel no shopping e papai noel não existe. Ver papai noel pode, ver Jesus não pode?”, questionou a ministra. “Quem riu de mim compra unicórnio pra filha e ainda cor de rosa. Vocês acham que existe unicórnio cor de rosa? Unicórnio pode, Jesus não pode?”, rebateu ela.

“Quem riu de mim compra ovo de Páscoa dizendo que foi o coelhinho da Páscoa que botou. Coelhinho da Páscoa pode, Jesus não pode? Se eu tivesse visto coelhinho da Páscoa eu não era a ministra louca. Ou um duende”, afirmou Damares.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES