Política em Debate

Política em Debate

Publicidade
Política em Debate

Vereador se ofende com vídeo de colega e pede investigação

Vereador se ofende com vídeo de colega e pede investigação

O vereador Tico Kusma (Pros), um dos protagonistas de um vídeo divulgado pelo vereador Goura (PDT), em que a Mesa Diretora da Câmara Municipal aparece dando sequência acelerada à votação de Regime de Urgência de projetos, pediu nesta segunda-feira (18) que a Corregedoria da Casa investigue a edição das imagens.  

“Não podemos manipular áudios, vídeos, documentos, votações. Nós temos o decoro [parlamentar]. Somos lideranças e influenciamos pessoas, temos que ser exemplo. Não podemos ser honestos só da boca para fora", disse Tico Kuzma em plenário. Ele acusa o vereador Goura de ter manipulado no vídeo as imagens gravadas na sessão do dia 12 junho.

Na ocasião, Kuzma, que é o 1º vice-presidente do Legislativo, e o 4º secretário, Cristiano Santos (PV), conduzem a votação dos requerimentos da 2ª parte da ordem do dia.

Na pauta estavam dois pedidos de urgência, aprovados sem debate pelo plenário – auxílio alimentação a servidores públicos e a delegação à Urbs do gerenciamento do EstaR. No dia, Goura foi um dos vereadores que reclamaram em plenário de não ter havido debate. Depois, em vídeo atribuído ao mandato dele, é comparada a leitura dos requerimentos a uma corrida de cavalos."Foram tirados segundos importantes, isso para simular que a votação foi feita apressada", acusou o vereador Tico Kuzma (Pros).

Veja a edição do video: 

Kusma chamou a ação de "ataque à instituição" e disse que "não teve sacanagem" no dia da votação das urgências.

Goura disse que vai se manifestar em plenário nesta terça-feira sobre a acusação do colega. Ao Bem Paraná, o pedetista disse que não houve manipulação dos fatos. "O mais grave é não olhar para o que está sendo apontado. Temos um legislativo a serviço do prefeito. São cerca de 30 regimes de urgência (desde o ano passado), a imensa maioria (de projetos) do prefeito. O refime de urgencia tira do vereador o poder de fiscalização", critica. 

"O vídeo sem nenhuma manipulação para mostrar o que acontece. Não teve acelaração de fala. Teve uma edição colocando cavalos correndo apra de forma irôinca, tem um jump cut (corte), que de 38 segundos ficou em 30 segundos. A ordem de todas as falas foram mantidas. A Câmara aprovou dois regimes de urgência em 38 segundos. É um direito dele querer levar isso para a Corregedoria. Amanhã vou me pronunciar no grande expediente", diz Goura.

Na sessão plenária, apenas a vereadora Professora Josete (PT) manifestou-se publicamente em solidariedade a Goura. "Foram feitas acusações graves, que se manipulou uma gravação. Isso não é verdade. Tem que tomar cuidado para não fazer acusações que não são reais", disse a parlamentar.

DESTAQUES DOS EDITORES