• 22/07/2018

    Lideranças do Podemos vão de Ratinho Junior na eleição de outubro

    Lideranças do Podemos vão de Ratinho Junior na eleição de outubro
    Ratinho Junior e Lindolfo Junior (Foto: (Foto: divulgação))

    O presidente estadual do Podemos, Augustinho Zucchi, aliado histórico de Osmar Dias (PDT), não conseguiu segurar lideranças do partido que foram a convenção de Ratinho Junior (PSD), ontem, em Curitiba, manifestarem apoio ao candidato.

    Um dos líderes da legenda em Maringá, o ex-deputado estadual Lindolfo Junior, não se fez de rogado e mandou um “selfie” antes do peessedista entrar no Paraná Clube.

    O vice-presidente do Podemos, Elizeu Chociai, subiu ao palco e manifestou ser Ratinho Junior “roxo”.

  • 22/07/2018

    PDT e MDB devem se encontrar hoje para discutir aliança

    PDT e MDB devem se encontrar hoje para discutir aliança
    Osmar Dias (Foto: (Foto: Divulgação))

    O ex-senador Osmar Dias nem dormiu direito de sábado para domingo pensando como iria convencer a turma do senador Roberto Requião para fechar aliança para o primeiro turno das eleições estaduais – o encontro acontece neste domingo, 22 de julho.

    Sem os medebistas, o tempo de televisão dos pedetistas é em torno de 48 segundos, muito pouco para quem deseja governar o Paraná.

    O problema é que o MDB deseja fazer aliança na majoritária para o Senado, com Requião, e na proporcional, para deputado estadual e federal, o que praticamente diminuiria a chance do PDT de eleger deputados federais e estaduais.

    Os medebistas querem ainda indicar a vereadora curitibana Noêmia Rocha para compor a aliança para o Palácio Iguaçu.

  • 22/07/2018

    Visitas na prisão

    O tempo de Lula na cadeia não é consumido apenas com advogados e políticos, informa reportagem de Bela Megale na revista Época: bispo e pai de santo também.

    Todas as segundas-feiras, ele recebe em sua cela alguma liderança religiosa escolhida pelo ex-ministro Gilberto Carvalho.

    A conversa mais recente foi com Nadal Alves Gomes, bispo da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil. Durante o encontro com o bispo anglicano, Lula até recebeu hóstia.

    Recentemente, o petista papeou com o pai de santo do terreiro de umbanda Cabana do Pai Tobias da Guiné, um dos mais conhecidos do Paraná.

    Na agenda, há encontro programado com um rabino do Rio de Janeiro.

    Apesar de nunca ter sido visto rezando pelos agentes da PF, o petista mantém na cabeceira da cama os presentes que recebe dos visitantes, que vão de santos católicos a orixás.

    Os filhos Luís Cláudio, Fábio Luiz e Lurian também veem o pai todas as quintas de manhã. Nas férias de julho, os netos do petista passaram a integrar a comitiva.

    A Cabana do Pai Tobias da Guiné é dirigida por Antonio Caetano de Paula Junior (foto), Caetano de Oxossi, que foi chefe de gabinete do ex-deputado Luiz Eduardo Cheida, ex-prefeito londrinense, a quem substituiu como secretário de Meio Ambiente do Paraná em 2014. (Foto Joka Madruga)

  • 21/07/2018

    PPL faz convenção no dia 26, em Cascavel

    PPL faz convenção no dia 26, em Cascavel
    Osmar Dias (Foto: (Foto: Divulgação))

    O presidente estadual do PPL, Marcio Pacheco, confirmou a convenção do partido para o dia 26, em Cascavel, cidade a 500 KM de Curitiba.

    A legenda vai se coligar com a Rede e apoiar a candidatura de Jorge Bernardi ao Palácio Iguaçu.

    Também indicará o vice de Bernardi, o ex-presidente da OAB local, Juliano Murbach (PPL).

    A aliança irá se estender a proporcional, nas chapas de deputado estadual e federal.

  • 21/07/2018

    Juíza eleitoral devolve inquérito sobre Beto Richa para Sérgio Moro

    Juíza eleitoral devolve inquérito sobre Beto Richa para Sérgio Moro
    Beto Richa (Foto: (Foto: Orlando Kissner/ANPr))

    Narley Resende/Bem Paraná

    A Justiça Eleitoral do Paraná devolveu ao juiz federal Sergio Moro, reponsável por ações penais da Operação Lava Jato, o inquérito que investiga se o ex-governador Beto Richa (PSDB) cometeu crimes no processo de licitação para duplicação da PR-323, no Noroeste do Paraná. A obra teve participação da empreiteira Odebrecht na concorrência e há suspeita de favorecimento em um esquema que envolveria outras empresas e agentes públicos e privados. A decisão de devolver o processo é da juíza eleitoral Mayra Rocco Stainsack e a informação foi publicada pelo Portal G1.

    A ação foi enviada por Moro em junho após determinação da Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que na ocasião acolheu recurso do tucano. Depois disso, Sergio Moro pediu que o caso fosse devolvido a ele, para que a investigação de crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e fraude à licitação continuassem. Moro disse que “não se trata de mero caixa dois de campanha".

    Agora, a juíza eleitoral concluiu que "os delitos eleitorais e os de competência da Justiça Federal Comum são autônomos e podem ser apurados separadamente, não havendo possibilidade de decisões contraditórias justamente por serem delitos independentes, sendo indiferente terem sido praticados, em tese, pelo mesmo agente público".

    O processo trata de suposto desvio de recursos para pagamento de caixa dois nas três últimas campanhas eleitorais de Beto Richa, em 2008, 2010 e 2014. Áudios entre o ex-chefe de gabinete de Richa, Deonilson Roldo, e Pedro Rache, diretor-executivo da Contern, construtora do grupo Bertin, que teria interesse em participar da licitação foram anexados ao processo. Rache teria interesse em participar de uma licitação do projeto de duplicação da PR-323 e os áudios indicam que o governo Richa atuou na tentativa de direcionar a licitação para a Odebrecht na obra à época da reeleição para governador, em 2014. O custo total da obra, que seria realizada no Noroeste do Paraná, ficaria em R$ 7 bilhões.

    A Odebrecht venceu a licitação, mas desistiu da execução da obra. Quando os áudios foram divulgados no mês passado, a governadora Cida Borghetti (PP) determinou a exoneração de Deonilson Roldo da diretoria da Copel e de outros cinco cargos que ocupava no Governo do Paraná.

    Em abril, ao renunciar ao cargo de governador do Paraná para concorrer ao Senado, Beto Richa também perdeu o foro especial por prerrogativa de função e a investigação foi remetida pelo STJ, para a primeira instância.

    A determinação era de que a ação ficasse a cargo do juiz Sergio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, e da Justiça Eleitoral no Paraná. No dia 10 de maio, Sergio Moro determinou a abertura do inquérito (leia o despacho). Esse é o único processo contra Beto Richa que agora passa a ser responsabilidade do juiz Sérgio Moro. O inquérito está em sigilo. 

    Em nota, a defesa do ex-governador Beto Richa afirma que "já apresentou recurso ao Tribunal Regional Eleitoral por entender que a decisão unânime da Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça está sendo descumprida".

    Outro caso 

    No início de junho, pela primeira vez desde 2014, quando a Polícia Federal deflagrou a Operação Lava Jato, o juiz espontaneamente abriu mão por ofício de um processo derivado da investigação, sem que tenha sido imposição de cortes superiores. A ação da 48ª fase, chamada Operação Integração, que investiga irregularidades em contratos de pedágio no Paraná, foi remetida ontem à 23ª Vara Federal de Curitiba.

    O responsável pelo processo agora é o juiz federal Paulo Sergio Ribeiro. Sergio Moro justificou na ocasião que a ação penal não tem como objeto contratos da Petrobras, foco da Lava Jato. Ele também indicou uma sobrecarga de trabalho da 13ª Vara, onde atua. 

  • 21/07/2018

    Ratinho Junior é referendado candidato do PSD ao Iguaçu

    Ratinho Junior é referendado candidato do PSD ao Iguaçu
    Convenção do PSD no Paraná (Foto: Divulgação)

    A convenção do PSD do Paraná surpreendeu pelo aspecto inovador, inspirado nas apresentações do TED, no Vale do Silício, meca da tecnologia digital.

    Também chamou a atenção o número de presentes, o maior de um candidato ao governo do Paraná nos últimos 18 anos.

    Os adversários quando tomaram conhecimento do público, de aproximadamente cinco mil pessoas, sentiram a força de Junior e temem que o resultado pode ser definido no primeiro turno.

    Mesmo sem a máquina e com ideias que colocam em xeque os ideais da geração representada por concorrentes diretos como Osmar Dias (PDT) e Cida Borghetti (PP), o peessedista lembrou que o Paraná vem sendo governado por duas ou três famílias há 36 anos.

    Aclamado candidato, o partido continua sem vice – a escolha deve acontecer até o dia cinco de agosto.

    Os nomes cogitados são de Norberto Ortigara (para anular o crescimento de Dias no setor de agronegócios) e o de Darci Piana (com entrada entre os empresários paranaenses).

    Para o Senado também estão indefinidos os escolhidos, as chances de ser Beto Richa (PSDB) são praticamente nulas.

    Fernando Francischini (PSL) é um dos especulados para a vaga.

  • 21/07/2018

    Prefeitos e vice-prefeitos do MDB foram para convenção de Ratinho Junior, do PSD

    Prefeitos e vice-prefeitos do MDB foram para convenção de Ratinho Junior, do PSD
    Convenção do MDB no Paraná (Foto: Divulgação)

    O MDB paranaense realizou convenção neste sábado, em Curitiba, e foi um fiasco.

    A militância mingou e os participantes eram todos chapas branca, assessores de vereadores, deputados estaduais e federais, além dos de Roberto Requião.

    Prefeitos e vice-prefeitos medebistas preferiram participar da reunião do favorito nas pesquisas ao Iguaçu, Ratinho Junior (PSD), que acontecia no mesmo horário no Paraná Clube.

    No final do evento, os crachás destinados as principais lideranças regionais continuavam na mesa, sem que tivessem sido retirados.

    Mesmo assim, os delegados deram poderes a Comissão Executiva Estadual para escolher o melhor caminho para o partido na eleição de sete de outubro.

  • 21/07/2018

    Além de filho, esposa e irmã de deputado têm cargos no governo Cida

    Do blog do João Frey

    Em junho, o blog informou que o filho do deputado estadual Missionário Ricardo Arruda (PSL) havia sido nomeado para um cargo na Agepar, Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Infraestrutura do Paraná. Desde essa publicação, dois outros parentes do deputado foram nomeados para cargos em comissão no governo.

    No dia 9 de julho, a esposa do parlamentar, Patrícia Miranda Arruda Nunes, foi nomeada membro da Junta Administrativa de Recursos e Infrações, a Jari. Esse órgão é ligado ao Detran e tem a atribuição de julgar recursos de motoristas que cometeram infrações de trânsito. No cargo, a remuneração de Patrícia Nunes é de R$ 1,5 mil por reunião do colegiado, que se reúne, no máximo, quatro vezes por mês, segundo informações do governo do Paraná.

    Na Jari, a esposa do parlamentar assumiu a cadeira que antes era da irmã de Arruda, Elaine Arruda Nunes Gonçalves, que havia sido nomeada poucos dias antes, em 2 de julho. De acordo com o governo, a troca de uma parente por outra decorreu de um erro.

    Além dessas nomeações mais recentes, há ainda uma sobrinha do deputado que ocupa um cargo em comissão na Secretaria de Desenvolvimento Urbano desde 2015. No cargo, Alessandra Arruda Nunes Morano recebe R$ 7.072,07 mensais.

  • 21/07/2018

    Pros e PMB vão apoiar Cida Borghetti

    Pros e PMB vão apoiar Cida Borghetti
    Convenção do Pros (Foto: Divulgação)

    O Pros e o PMB confirmaram por aclamação o apoio à candidatura de Cida Borghetti (PP) ao Governo do Estado.

    Aproximadamente 400 militantes estiveram na convenção.

    As legendas também fecharam com a candidatura ao Senado do deputado federal, Alex Canziani (PTB) que também participou das convenções. 

DESTAQUES DOS EDITORES