• 19/09/2018

    Cida garante duplicação da PR 445 até Mauá da Serra

    A governadora e candidata à reeleição Cida Borghetti (PP) garantiu, se eleita, a  continuidade nas obras de duplicação da PR 445 de Londrina até Mauá da Serra. 

    “A duplicação da rodovia já começou, não sou uma governadora de promessas, sou de trabalho e tenho o compromisso de continuar as obras até Mauá da Serra”, afirmou a governadora em entrevista à rádio Paiquerê, de Londrina. 

    O primeiro trecho de duplicação está em andamento.

    Cida autorizou a duplicação de 15,2 quilômetros entre Londrina e o distrito de Irerê e o investimento do Estado é de 93,4 milhões. 

    O trabalho começou há 60 dias, com previsão de 24 meses para o término. 

    Além disso, já foram duplicados 22 quilômetros no perímetro urbano de Londrina.

    Cida informou também que o Estado recupera também 13 quilômetros de marginais dos trechos urbanos da PR-445 entre Cambé e Londrina.

     

  • 19/09/2018

    Governo tira Douglas Fabrício e Rasca Rodrigues de Comissão do Esporte

    Governo tira Douglas Fabrício e Rasca Rodrigues de Comissão do Esporte

    Do Boca Santa

    Os deputados Douglas Fabricio e Rasca Rodrigues não fazem mais parte da Comissão do Programa Estadual de Fomento e Incentivo ao Esporte.

    A princípio todos os membros ficariam até 2020.

    A resolução com substituições foi publicada pela Secretaria de Estado do Esporte e Turismo.

    A comissão tinha sido formada em abril.

    Douglas não apoia a reeleição da governadora Cida Borghetti.

  • 19/09/2018

    Candidatos a governador assinam carta de compromisso com a Mobilidade Ativa

    Candidatos a governador assinam carta de compromisso com a Mobilidade Ativa

    Os candidatos a governador pelo Paraná e os candidatos a deputado federal e estadual irão assinar amanhã uma carta de compromisso com a Mobilidade Ativa no Estado, onde se comprometem a adotar ações infraestruturantes que visem minimizar os impactos negativos do tráfego motorizado e individual em massa.

    A assinatura da carta será um dos eventos a serem realizados pelo Fórum de Mobilidade Ativa, que começou hoje em Curitiba e vai até o próximo sábado com atividades na Universidade Federal do Paraná (UFPR), na Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e na Universidade Positivo (UP).

    No último dia, ocorrerá ainda a Marcha das Bicicletas 2018, com concentração a partir das 14 horas na Praça Santos Andrade.

  • 19/09/2018

    Estão abertas inscrições para o concurso para escrivães da Polícia Civil

    O Estado abriu as inscrições para o concurso público para o cargo de Escrivão da Polícia Civil do Paraná.

    O concurso, para nível superior, oferece 100 vagas para Curitiba e Região Metropolitana, além de cidades do interior, com jornada de 40 horas semanais e remuneração inicial de R$ 5.752,41.

    As inscrições são recebidas somente pela internet no endereçowww.cops.uel.br.

    O valor é de R$ 120,00. O edital completo pode ser acessado no www.cops.uel.br. Somente no primeiro dia foram feitas seis mil pré-inscrições.

    A seleção será feita por meio de prova objetiva e discursiva em 18 de novembro, em Curitiba, Londrina e Cascavel.

    Os classificados nesta prova passarão para as etapas seguintes previstas de exame de saúde, aptidão física e análise de conduta, em datas a serem marcadas para o início de 2019.

  • 19/09/2018

    Requião lidera para o Senado; Richa perde 2º lugar para Arns após prisão

    Redação Bem Paraná

    A pesquisa do instituto Radar divulgada nesta quarta-feira (19) aponta que o senador e candidato à reeleição Roberto Requião (MDB) mantém a liderança na disputa pelo Senado.

    Já o ex-governador Beto Richa (PSDB) perdeu o segundo lugar para o ex-deputado federal Flávio Arns (Rede) após sua prisão na operação "Rádio Patrulha", que investiga suspeitas de fraude em licitações para obras em estradas rurais. O levantamento é o primeiro a ser divulgado desde que Richa passou quatro dias na prisão, na semana passada. 

    Segundo o instituto, Requão tem 31,2% das intenções de voto para senador, contra 16,5% de Arns e 13,1% de Richa. O deputado federal Alex Canziani (PTB) tem 13% e o professor Oriovisto Guimarães (Podemos), 9,5%. 

    A candidata do PT, Míriam Gonçalves, tem 4,9%. Rodrigo Reis, do PRTB (2,4%), Rodrigo Tomasini (PSol)2,2%, Roselaine Barroso Ferreira (Patri) 2,1%, Nelton Friedrichi (PDT) tem 2% das intenções de voto, Jacque Parmigiani, do PSol, aparece com 1,2%, e Gilson Mezarobba, do PCO, e Zé Boni (PRTB) tem 1% cada. Compadre Luiz Adão (Democracia Cristã) está com 0,9%. Votos brancos e nulos somam 21,9% e leitores que não sabem ou não opinaram chegam a 76,8%.

    Nas eleições deste ano estão em disputa duas vagas para o Senado. 

    A pesquisa Radar divulgada nesta quarta-feira (19) foi realizada de 14 a 17 de setembro junto a 1.494 entrevistas com margem de erro de 2,6 pontos percentuais para mais ou para menos e intervalo de confiança de 95,5%. O levantamento foi contratado pela Associação dos Jornais Diários do Interior do Paraná (ADI) e está registrada sob o número PR-05041/2018.

    Comparação

    Em comparação com a pesquisa Radar publicada em 5 setembro, Beto Richa perdeu mais da metade das intenções de voto. Richa que tinha 29,5%, desceu para 13,1%. Está empatado com Alex Canziani, com 13%. Professor Oriovisto, que tinha 3,9%, agora tem 9,5%.

    Requião tinha 36,8%; Beto Richa, 29,5%; Flávio Arns, 15,1%; Alex Canziani, 9,9%; Professor Oriovisto Guimarães, 3,9%; Mirian Gonçalves, 3,0%; Professor Wilson Picler (PSL), 3,0% [candidato desistiu da candidatura após primeira pesquisa]; Rodrigo Tomazini, 2,1%; Rodrigo Reis, 1,8%; Zé Boni, 1,4%; Roselaine Barroso, 1,3%; Nelton, 1,2%; Gilson Mezarobba, 0,7%; Jacque Parmigiani, 0,7% e Compadre Luiz Adão, 0,2%. Brancos e nulos totalizavam 27,0% e não sabiam ou não opinaram, 62,4%.

    Rejeição

    A pesquisa Radar mediu ainda a taxa de rejeição, quando o eleitor deve dizer em qual candidato não votaria de jeito nenhum. Os eleitores puderam escolher mais de um nome neste campo. Neste levantamento Beto Richa aparece com 51%, na primeira pesquisa ele tinha 43% de rejeição; em seguida aparece Requião com 27,7%, mesmo percentual da pesquisa anterior; Alex Canziani, com 7,8%, na medição anterior a rejeição era de 11,8%; Flávio Arns, tem 7,6%, antes era 10,6%; Mirian Gonçalves tem 7,0%, antes era 9,8%; Nelton, com 6,4%, antes era 9,8%; Rodrigo Reis, com 6,3%, na medição passada era 9,6%; Compadre Luiz Adão, com 5,8%, antes era 10,2%; Rodrigo Tomazini, com 5,6%, antes 7,9%; Gilson Mezarobba, 5,5%, antes 8,4%; Jacque Parmigiani, com 5,4%, antes 8,6%; Professor Oriovisto Guimarães, com 5,4%, antes 8,6%; Roselaine Barroso, 5,2%, antes 6,8% e Zé Boni, com 5,2% e anteriormente com 8,4%. Não souberam ou não opinaram, 23,9%, na primeira pesquisa era 30,9%.

    A pesquisa Radar anterior, publicada no dia 5 de setembro, foi feita entre os dias 30 de agosto de 4 de setembro. Foram entrevistados 1.494 eleitores. O nível de confiança é de 95,5 %. E a margem de erro é de 2,6 pontos percentuais para mais ou para menos. O levantamento foi contratado pela Associação dos Jornais Diários do Interior do Paraná (ADI) e está registrada sob o número PR-01900/2018.

  • 19/09/2018

    Alvaro Dias sobre suplente solto por Gilmar: “Cada um responde por si”

    Alvaro Dias sobre suplente solto por Gilmar: “Cada um responde por si”
    Álvaro Dias (Foto: Agência Senado)

    Alvaro Dias falou na Jovem Pan sobre seu suplente no Senado, o empresário Joel Malucelli, o último a se entregar após os mandados de prisão cumpridos pela Operação Rádio Patrulha, que prendeu também, entre outros, o ex-governador do Paraná Beto Richa; sua esposa, Fernanda Richa; e o irmão dele, Pepe Richa.

    “Todos já foram liberados pelo Gilmar Mendes. Mas é um caso em que cada um responde por si. Em matéria de ética, de comportamento, cada um responde por si. Não é justo transferir responsabilidade. Eu continuo defendendo a operação Lava Jato. É o momento mais importante na história recente do Brasil. Os acusados terão oportunidade de se defender, de se explicar. Se condenados, o rigor da lei – é isso que nós queremos. Então o meu suplente foi acusado, está se defendendo. Espero que ele se defenda bem. Torço para que ele seja absolvido. Mas ele já teve um gesto de grandeza: ele foi ao Senado e protocolou uma carta, desistindo de assumir o Senado Federal se porventura eu me licenciar ou me eleger presidente da República, enquanto não concluir esse inquérito e não resolver esse impasse. Então esse é o procedimento.”

    Dias aproveitou para lembrar do tempo em que ele próprio mandava prender:

    “Quando eu fui governador e algum servidor público era acusado, eu o afastava e investigava. Se nada fosse verdadeiro em relação à denúncia, ele retornava com as minhas homenagens e era promovido. Se o inquérito constatasse desvios, ele era preso! Eu prendia! Porque existia na época a prisão administrativa, que dava ao chefe do Executivo a prerrogativa de prender sem passar por um processo judicial. Era a chamada prisão administrativa e estava na Constituição. Foi retirada em 1988 da Constituinte. Eu, como governador, fui o único chefe do Executivo a usar esse expediente da prisão administrativa. Prendi 28! Fazia o inquérito, constatava o desvio, colocava na cadeia!”

  • 19/09/2018

    Ativista pró-meio ambiente disputa vaga na Assembleia

    Ativista pró-meio ambiente disputa vaga na Assembleia
    Aristides Athayde (Foto: Franklin de Freitas)

    Candidato a deputado estadual pela primeira vez, o advogado Aristides Athayde (PV), diretor do Observatório de Justiça e Conservação, quer levar a defesa das Unidades de Conservação da Natureza para dentro da Assembleia Legislativa.

    O candidato ganhou notoriedade nos últimos anos ao comandar um levante de resistência contra um projeto que pretende reduzir em 70% a área de proteção ambiental (APA) da Escarpa Devoniana, nos Campos Gerais do Paraná. 

    A atuação de Athayde atrasou a tramitação do projeto, que atualmente está estacionado no Legislativo e provavelmente não derá votado nesta legislatura.

    Ele também comandou o movimento Salve a Ilha do Mel, que luta contra a contrução e manutenção de portos e rodovias em áreas de mata atlântica. 

  • 19/09/2018

    Ex-candidato ao Senado é preso em Londrina na Operação Registro Espúrio

    Ex-candidato ao Senado é preso em Londrina na Operação Registro Espúrio
    Mauri Viana (Foto: Divulgação)

    Cláudio Osti, do Poçoca com Cebola, disse que em Londrina é comum cair casinha de políticos ou ligados a eles.

    Ontem, a Operação Registro Espúrio derrubou a casa de Mauri Viana, presidente da Federação Nacional do Trabalhadores em Cooperativas (Fenatracoop), que foi preso e encaminhado para a sede da Polícia Federal.

    Viana foi candidato ao Senado Federal pelo PRP no Paraná, em 2014, e irmão do candidato a deputado Federal Maurílio Viana (PP).

    As investigações indicam a atuação de uma organização criminosa em entidades interessadas em obter, de forma fraudulenta, restituições de contribuições sindicais recolhidas indevidamente da CEES.

  • 19/09/2018

    Comércios vão poder usar o recuo para estacionamento

    Comércios vão poder usar o recuo para estacionamento
    Mauri Viana (Foto: CMC/Divulgação)

    Com o crescimento da capital paranaense nos últimos 20 anos, algumas leis precisam ser revistas pela Câmara Municipal de Curitiba.

    Os Vereadores aprovaram uma delas: a proposta que autoriza o uso do recuo obrigatório para a circulação e o estacionamento de veículos, contra a orientação do líder do prefeito, Pier Petruzziello (PTB) que teria arrajado uma viagem para cuidar da campanha de deputado estadual, conforme testemunhos de vereadores da base aliada.

    O único problema é que o Conselho de Urbanismo vai avaliar as solicitações, aumentando a burocracia, quando a liberação deveria ser automática.

  • 19/09/2018

    Vice de João Arruda tem candidatura indeferida

    Vice de João Arruda tem candidatura indeferida
    Mauri Viana (Foto: CMC/Divulgação)

    A candidata a vice na chapa do MDB, Professora Eliana Cortez teve a candidatura indeferida pelo Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR).

    A “coligação Paraná: emprego, educação e combate à corrupção” já recorreu da decisão ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

    O líder do PSD na Assembleia Legislativa do Paraná, Marcio Nunes, disse que agora está esperando que João Arruda “venha justificar os motivos que levaram o TRE-PR não aprovar a candidatura da vice dele.”

DESTAQUES DOS EDITORES