• 21/09/2018

    Ex-chefe de gabinete de Beto Richa avalia fazer delação

    Ex-chefe de gabinete de Beto Richa avalia fazer delação
    Deonilson Roldo (Foto: Divulgação)

    Guilherme Voitch/Veja

    Deonílson Roldo, ex-chefe de gabinete e ex-secretário de Comunicação de Beto Richa, deu o primeiro passo para sua delação premiada. Roldo está consultando criminalistas curitibanos com experiência em firmar colaborações com a Justiça na Lava Jato.

    O ex-chefe de gabinete acompanha Richa desde seu primeiro mandato na prefeitura de Curitiba e sempre foi considerado homem forte da gestão tucana.

    Roldo está preso em razão das investigações sobre repasses feito pela Odebrecht a Richa em troca do direcionamento na licitação da rodovia estadual PR-323.

    Em conversas com um empreiteiro, divulgadas por VEJA em maio, o então chefe de gabinete afirma que o governo tem um “compromisso” com a Odebrecht.

    Por decisão do Superior Tribunal Justiça (STJ), o caso saiu das mãos do juiz Sergio Moro, mas continuará na Justiça Federal, sob a responsabilidade do magistrado Paulo Sérgio Ribeiro, que também é considerado linha-dura,

  • 21/09/2018

    Por infidelidade, coligação pede ao TRE exclusão de Beto Richa da chapa

    Por infidelidade, coligação pede ao TRE exclusão de Beto Richa da chapa
    Beto Richa (Foto: Divulgação)

    O departamento jurídico da coligação Paraná Decide formalizou o pedido ao Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) para a expulsão do candidato ao Senado, Beto Richa (PSDB), da chapa por infidelidade à coligação.

    A solicitação afirma que Richa teria liberado que tucanos apoiassem Ratinho Junior (PSD).

    Ontem, o blog do Tupan publicou um vídeo de campanha onde Cida Borghetti (PP) também praticava infidelidade à coligação, pedindo votos para Rodrigo Reis (PRTB), legenda que não faz parte da aliança.

  • 21/09/2018

    Pagamento forçado

    Da Denise Rothenburg

    Candidatas dos mais variados partidos foram à Justiça para obter os 30% de recursos para financiamento de campanha. Em Goiás, por exemplo, candidatas como Eulinda Brito, do PSD, que é procuradora, só conseguiram algum depois da ação judicial. Os partidos, por sua vez, correm para atender às candidatas que recorrem aos tribunais. É que, a menos de um mês da eleição, não dá para correr o risco de ver os recursos represados, porque o partido descumpriu ordem judicial e só garantir a liberação depois das eleições. Nessa hora do desespero, qualquer centavo é considerado bem-vindo.

  • 21/09/2018

    Justiça Eleitoral barra 1400 candidatos

    Justiça Eleitoral barra 1400 candidatos
    Beto Richa (Foto: Divulgação)

    Aproximadamente 1400 candidatos no Brasil tiveram o registro indeferido pelos tribunais regionais eleitorais e mesmo assim pretendem concorrer nas eleições 2018.

    A campanha para esse grupo só termina quando o Tribunal Superior Eleitoral julgar os recursos.

    Caso consigam reverter as decisões, os eleitos vão poder ser diplomados.

    Os reprovados, perdem o direito do cargo público.

  • 21/09/2018

    Fiscal do TRE-PR confisca propaganda irregular do PT

    Fiscal do TRE-PR confisca propaganda irregular do PT
    Álvaro Dias (Foto: Colaboração)

    Os petistas paranaenses que fazem propaganda irregular na Rua das Flores tiveram uma surpresa esta semana: a fiscalização do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) confiscou propaganda irregular de campanha do Partido dos Trabalhadores do Paraná.

    Uma das barracas mais afetadas foi a do cruzamento com a Monsenhor Celso.

    Os fiscais fizeram a limpa na barraca que havia propaganda da candidata Gleisi Hoffmann, presidente nacional do partido.

  • 21/09/2018

    Secretário de Cida ‘luta como uma garota’

    Do blog do Johnny

    O secretário de Estado de Comunicação Social do Paraná, o jornalista Alexandre Teixeira, aderiu à marca que é considerada o ‘uniforme das feministas’, vestindo a camiseta que estampa a frase “Lute como uma garota”, da curitibana Peita.

    A figura mais ‘ilustre’ a usar o figurino é a candidata a vice-presidente, Manuela D’Ávila (PCdoB), que integra a chapa de Fernando Haddad (PT).

    Junto com a foto publicada em seu perfil pessoal no Instagram, com punho cerrado erguido – símbolo de enfrentamento e resistência usado principalmente por movimentos de esquerda, Teixeira publicou um comentário: “Na luta”.

  • 21/09/2018

    Roberto Requião é um aliado sem transferência de votos

    Roberto Requião é um aliado sem transferência de votos
    João Arruda, Roberto Requião e Requião Filho (Foto: Divulgação)

    O senador Roberto Requião (MDB) age nos bastidores da política paranaense com tivesse uma varinha de condão, onde tudo que toca viabiliza candidaturas.

    Requião não conseguiu transferir votos para o sobrinho, João Arruda (MDB), que adotou uma postura agressiva para aparecer para o eleitorado, sem empunhar bandeiras que agradem o eleitorado.

    Sem empolgar o paranaense, a candidatura de Arruda pode ter o mesmo destino do primo Requião Filho (MDB) nas eleições municipais de 2016, quando terminou em quinto lugar, e perder espaço.

  • 21/09/2018

    Candidatos buscam votos dos indecisos

    Candidatos buscam votos dos indecisos
    João Arruda, Roberto Requião e Requião Filho (Foto: Marri Nogueira / Agência Senado)

    As saídas de Marcelo Rangel (PSD) e de Blum Chinato (PSD), das prefeituras de Ponta Grossa e Carambeí, na próxima segunda-feira, revela que os partidos agora buscam os votos dos indecisos.

    Na próxima semana os deputados federais e estaduais devem se dedicar em tempo integral as candidaturas próprias, ao governo estadual e ao Palácio do Planalto.

    Ratinho Junior (PSD), Cida Borghetti (PP), João Arruda (MDB), Dr. Rosinha (PT) e Jorge Bernardi (Rede) vão agora para o tudo ou nada.

    O último levantamento do Ibope apontou Ratinho Junior (PSD) com 61% dos votos válidos, e a Radar com 55,3%.

  • 21/09/2018

    Prefeitos de Ponta Grossa e Carambeí se licenciam

    Os prefeitos Marcelo Rangel (PSD), de Ponta Grossa, e Blum Chinato (PSD), de Carambeí, se licenciam para entrar reta final da campanha de Ratinho Junior (PSD).

    Rangel e Chinato irão às ruas para ampliar os votos do candidato do partido ao Palácio Iguaçu e diminuir o número de indecisos nas regiões.

    Junior vem liderando as pesquisas eleitorais e pode vencer no primeiro turno.

DESTAQUES DOS EDITORES