No jogo 5×4, mas , um resultado para se pensar.

22 fevereiro, 2018 às 11:57  |  por Capitão Hidalgo

O jogo acontecido, ontem, à noite na Arena/Furacão, com certeza será lembrado para todo o sempre. Para quem ainda não se ligou, Atlético Paranaense x Tubarão, valendo Copa do Brasil, deixou um rastro de muitos comentários logo após o apito final. Resultado? 5 x 4 (vitória atleticana), após muitos modificações nos gols assinalados. Incrível é que as coisas iam se modificando a cada instante. O Furacão saiu na frente (1×0) e sofreu a virada (1×2). Não parou por aí, porque, depois, quem virou o placar foi o Atlético (3×2). O mesmo aconteceu com o time catarinense que teve forças para mudar novamente o placar, pois, chegou a estar ganhando por 4×3, Numa bola parada, o cruzamento foi na cabeça do zagueiro, Thiago Heleno, que desviou para as redes do “guapo” adversário, isso as 45 minutos do segundo tempo empatava novamente a partida (4×4). A galera que já estava se preparando para as cobranças das penalidades máximas, foi pega de surpresa com um chute de fora da área do atacante que entrou no final do jogo, Gedoz, para estabelecer um placar histórico na baixada. Portanto, 5 gols a quatro, dando continuidade ao rubro negro na competição.

O rastro de dúvidas que citei acima, é para esclarecer sòbre  os erros acontecidos nessa partida. Hoje, é inconcebível uma zaga postada com 3 jogadores experientes, Wanderson, Paulo André e Thiago Heleno, tomarem 3 gols de cabeça do time adversário. O  que seria esse rastro de comprometimento do time? O esquema tático prejudicial determinado pelo técnico, Fernando Diniz, pois, com o seu famoso”tic tac” que eleva o time a um grau de posse de bola, mas, que no frigir dos ovos escancara seu corpo defensivo. Claro, que teve que tomar atitudes com o desenrolar da partida fazendo as modificações necessárias.

Ainda falando, do Furacão, mais uma vez saliento que só ficar treinando para esperar por jogos mais importantes isso não dá a segurança coletiva à frente. Como os dirigentes não ligam para o estadual, inclusive o clube está fora do jogo que vai decidir o primeiro turno paranaense, não contenta e nem contempla a galera rubro negra. A grana que entra nesse torneio brasileiro tem que ser considerada como um dinheirão, sim, é verdade pois o chamariz é muito grande. Agora, olhando por outra situação, vemos tristemente que a Arena não teve nem 9 mil espectadores. Porque? A intolerância que norteia os dirigentes com os seus torcedores.

Seguindo nessa rota de Copa do Brasil, o Londrina perdeu em casa para o Ceará (2×1), trazendo com isso problemas para sua diretoria resolver. Depois da saída do técnico, Tencatti, as coisas não estão andando bem para o atual técnico, Ricardinho. Excelente resultado foi do time do Cianorte que jogou fora dos seus domínios, em Criciúma, e nas penalidades máximas passou pelo time local.

Hoje, será aquele aguenta coração com o Coritiba em Uberlândia e o Paraná Clube contra o Sampaio Correira, em São Luis do Maranhão. Vale a pena conferir esses jogos pela Rádio CBN AM-670 de Curitiba, que também usa seu aplicativo para todo mundo.

Lembre-se que:  O melhor da vida é sua história.

Dinheiro é o que basta. Futebol nem tanto.

21 fevereiro, 2018 às 10:39  |  por Capitão Hidalgo

Começa, na noite de hoje, a correria do Atlético, Londrina e Cianorte, a nova caminhada do futebol paranaense dentro da Copa do Brasil. O Furacão , em casa, contra o Tubarão (Santa Catarina); o Londrina, também, em seus domínios frente ao Ceará e o Cianorte jogando em terras catarinenses, contra o Criciúma. Amanhã, em campo, o Coritiba e o Paraná Clube. O verdão paranaense, em Uberlândia e o Tricolor da Vila, em São Luis, para enfrentar o Sampaio Correia.

Não ponho nenhuma dúvida quanto a necessidade das equipes paranaenses buscarem, através de muita aplicação, a seriedade para continuarem nesse torneio que proporciona muito dinheiro, claro, tomando por base o pouco interesse do público paranaense quanto a disputa do estadual.

Analisando com tranquilidade, o momento é para isso, procurei saber dos adversários das nossas equipes e a conclusão, meus amigos, é que o Tubarão e o Uberlândia andam caindo pelas tabelas. Quanto ao Sampaio Correira e o Ceará, entendo que estejam num melhor momento. Agora, Criciúma, vamos dizer que esteja meia boca.

Não é tão fácil analisar, como agremiação, o Santos F.C. Esse clube que foi considerado o maior do mundo na década de 60, principalmente, onde figuraram extraordinários jogadores de futebol, e que conseguiram vários títulos nacionais e internacionais, de uns tempos a essa parte, vem provocando, aos seus simpatizantes, necessárias dúvidas quanto as gestões anteriores e essa que acaba de chegar. Não são poucas as insinuações de dirigentes que saem e entram periodicamente no clube. Se acostumado a grandes atuações em épocas passadas, na verdade o time peixeiro vive, hoje, de uma cultura que lhe assegura bons resultados em campo e negociações. Sim. Um verdadeiro celeiro de jovens que aparecem, constantemente, enfileirando em seguida com excelentes negociações. Foi assim com Diego, Robinho, e depois com a polêmica negociação do astro, Neymar, que trouxe muita controvérsia na agremiação.

Mas, por ter sido um clube vencedor, claro, não tirando nenhum mérito por ter vivido esse tempo de glória, hoje traz uma pratica diretiva de péssimo conceito. Portanto, o panorama atual com a nova administração, José Carlos Perez, a impressão que passa mesmo a distancia é que esse cidadão entra no clube com muita mágoa. Em pouco tempo no comando foi mandando embora profissionais que trabalharam na gestão do ex-presidente, Modesto Roma. Foi uma enxurrada de ex-jogadores que vinham colaborando com o clube, entre eles, Nenê , João Paulo, Clodoaldo etc. Agora, o recém contratado, Gustavo Vieira, que estava há 45 dias atendendo no gerenciamento esportivo, foi mandado embora.

Lembre-se que: O melhor da vida é sua história.

Contestar ? Coritiba e Rio Branco vão decidir.

19 fevereiro, 2018 às 10:16  |  por Capitão Hidalgo

O final do primeiro turno não será nem com o Atlético, Paraná Clube, Londrina, Cianorte, Foz, vamos dizer, os mais credenciados  que pararam no meio do caminho. Aí, os que não estavam referendados, Coritiba e Rio Branco (Paranaguá), chegam para a decisão. Futebol tem dessas coisas, e agora, não adianta chorarem o leite derramado. Desprezar o Coritiba, como o Rio Branco, por chegaram através de penalidades máximas, erram todos, e como lembrança trago fatos  da Copa do Mundo, nos Estados Unidos, pois, uma penalidade mal batida pelo atacante italiano, Roberto Baggio,  o Brasil sagrou-se Tetra Campeão Mundial/1994.

O importante é que todas as equipes que ficaram de fora nessa etapa inicial, tenham a necessidade de uma melhor orientação esportiva baseada, até por seus propósitos, afinal, dizer que tenha sido uma derrota pedagógica entendo que seja muito pouco. Agora, fica para os comentaristas a ordenação dos fatos, pois, tenho certeza que alguns vão admitir  que o Atlético, sendo o grande favorito por fatalidade ficou fora dessa final. Temos um outro detalhe: como não existe uma conversa franca entre os dirigentes atleticanos com a Federação, quem ganhou, também, foi a Rede Paranaense de Comunicação, que não terá nenhuma dificuldade para a transmissão desse jogo para  todo Estado do Paraná.

Comentar resultado é uma coisa totalmente diferente daquilo que se vê na ordem prática das coisas. Quem esteve em Foz do Iguaçu, relatou uma verdade, nua e crua, quanto ao desempenho alviverde em campo. O interino, Sandro Forner, após o resultado da classificação alviverde, nas penalidades máximas, admitiu o cansaço da sua equipe. Numerou os principais, mas, foi notório  que a equipe vinha jogando em campos adversários algum tempo. Vamos lá: começou em Teresina, depois Londrina, Toledo e por final em Foz do Iguaçu. De fato devemos considerar esse fato. Quando foi além dizendo que poucos estavam acreditando no seu trabalho, aí, minha gente, parece que saiu da sua postura, pois é muito cedo para querer defender as críticas.

Agora, o que mais vem chamando atenção pela precariedade técnica, é o Paraná Clube. Esse é um outro assunto para se discutir, sobretudo,  uns dizendo que por ser um começo de temporada e com a necessidade de trocas de jogadores e técnicos, fazem parte do roteiro. Não sei não, afinal, errar no alvo sem ter o devido dinheiro é retroceder no planejamento. Com poucos pontos conquistados nesse turno, no estadual, o clube precisa acelerar o passo para não perder um degrau na Copa do Brasil.

A delação do poderoso, J.Hawilla, da Trafic, feita em Nova York, vai dar muito o que falar. A sua verdade é que teve que devolver mais de 150 milhões de dólares. Os nomes citados parece uma Lista de Chindler.

Lembre-se que: O melhor da vida é sua história.

Rodada paranaense definindo semifinais.

12 fevereiro, 2018 às 09:40  |  por Capitão Hidalgo

Nesta próxima quarta feira saberemos, então, quais as 4 equipes que estarão disputando o primeiro turno do estadual. Já conhecido o Atlético Paranaense, invicto com 13 pontos, que estará esperando, quem sabe, um Coritiba; Foz do Iguaçu, Cianorte ou mesmo o Londrina. Na rodada passada, as equipes da capital se sobressaíram nas disputas, com o Coritiba ganhando do Londrina, em Londrina (3 x 0 ), o Paraná Clube, em casa, vencendo ao Prudentópolis ( 3 x 0 ), e o Furacão, em Cascavel, sôbre o time do mesmo nome ( 1 x 0 ).

O que mais surpreendeu, sim, foi o Coritiba, pois, fazia algum tempo que não ganhava do Tubarão, em Londrina.  Claro, que fez bem esse resultado, afinal, esse elenco precisava de uma sacudida. É o que disse o goleiro, Wilson, depois de encerrado o jogo “Quando o time perde não se pode entender que esteja tudo errado, assim como uma vitória, como a de hoje (sábado), esteja tudo dentro dos conformes”. Agora, o jogo em Toledo. O prognóstico de classificação ainda não está totalmente definido, isto porque, a pontuação do time do Foz (11 pontos) e o Cianorte com 9 conquistados, podem estar dificultando no Grupo A da competição, em relação ao Coxa (com 8 pontos), que além da possibilidade de vitória, terá que esperar por outros resultados, entre Prudentópolis x Cianorte e Atlético x Foz do Iguaçu.

De toda sorte, a equipe da Rádio CBN AM 670, estará atenta em todos os jogos dessa rodada, a 6ª, onde 12 agremiações estarão correndo atrás da bola. Um fato a ser comentado é quanto ao Rio Branco (Paranaguá) que teve que inverter o seu mando de jogo para a cidade de Ponta Grossa, Estádio Germano Kruger, contra o Paraná Clube, por ser um jogo à noite sem condições de oferecer, em sua casa, a iluminação.

Ainda em discussão o assunto que envolveu o treinador, Oswaldo de Oliveira, que após a partida no norte brasileiro, valendo Copa do Brasil, entrou em choque de argumento com o repórter da Rádio Inconfidência de Belo Horizonte. Chegando a quase a vias de fato, a coisa ficou feia. a interpretação é generalizada, afinal, uns a favor do profissional de futebol e outros, diria na maioria, entendendo que o repórter estava lá para realizar seu trabalho. Oswaldo, alegou,  que o rapaz lhe ofendeu, pois, atendeu o mesmo só exigindo dele perguntas e não comentários.

O que aconteceu, é que na chegada à Belo Horizonte, Oswaldo foi comunicado de sua demissão. Fica no ar o grande mistério, ou seja, a diretoria já não gostando do seu trabalho aproveitou esse subterfúgio e mandou embora, ou a pressão jornalística da terra foi contundente. Se a moda pega, sei lá o que vai acontecer. Estou no meio e sei, também, que exitem perguntas capciosas com outros interesses.

Lembre-se que:  O melhor da vida é sua história.

 

 

 

 

Situação dúbia no Coritiba.

8 fevereiro, 2018 às 11:00  |  por Capitão Hidalgo

A torcida Coxa está enfurecida com a péssima apresentação da equipe, ontem, em Teresina, quando a duras penas empatou contra a fraca equipe do Parnahiba/Piauí ( 1 x 1 ). Dizendo de passagem,  o time piauiense foi prejudicado , pois, teve que se deslocar de sua cidade, dista à mais de 300 quilômetros da capital, por não ter podido jogar em casa devido estar cumprindo uma determinação jurídica esportiva. Circo dos horrores foi o que mais ouvi e li a respeito dessas partida. Na verdade a situação passa a ser deveras complicada, afinal, a galera jovem que está chegando ao clube, acreditando na ideia fixa de  um planejamento auditado, infelizmente, devem estar notando que do jeito como andam as coisas terá fatalmente que mudar o rumo.

Se vai mudar ou não, claro, a resolução terá que passar pelos gestores e seus departamentos. Se ficar como está, onde é nítido e cristalino que não existe nenhuma chance do clube soerguer-se pela fragilidade do elenco, a resposta terá que vir, a ponto da discórdia com a torcida possa acontecer bem antes do esperado. Sim, é uma pena, mas, são coisas do futebol. Dizer que a conta bancária é negativa todos estão carecas de saber, inclusive, os próprios “comandantes” da agremiação já tinham conhecimento da real situação.

Passou, e o importante nessa Copa do Brasil é o montante financeiro que é pago por jogo. O valor estipulado ao Coritiba foi  de 500 mil reais. Portanto, agora, o próximo será contra o Uberlândia. Seguindo, agora, terá que vencer o time londrinense, sábado a tarde, no Estádio do Café. Com uma vitória em Beltrão;  dois empates em casa; Prudentópolis e Rio Branco e a derrota frente ao Atlético, restando dois compromissos para finalizar o 1º turno, o próprio Londrina e o Toledo, também jogando fora, veremos qual a capacidade de recuperação do elenco.

A situação que passa, o Coritiba, outras agremiações, também, estão passando. É só notarem os casos do Fluminense, Botafogo, Atlético Mineiro, e outros. As principais críticas é quanto aos comandos técnicos dos clubes, como se eles, técnicos, fossem os culpados de tudo que envolvem os clubes. A realidade do futebol brasileiro, pode ser até que me engane, vai desabar com a desclassificação da Seleção Brasileira de Futebol neste próximo mundial.

Com o advento popular mais famoso do mundo, Carnaval, os jogos em todo continente brasileiro serão disputados no sábado. No paranaense, além de Londrina x Coritiba, teremos o Atlético em Cascavel, e o Paraná Clube, em casa contra o Prudentópolis, todos às 16:30 horas. Dependendo dos resultados saberemos com antecedência quais as equipes que estarão disputando o 1º turno.

Lembre-se que: O melhor da vida é sua história.

Liberada a grama sintética.

6 fevereiro, 2018 às 14:19  |  por Capitão Hidalgo

Na reunião havida , ontem, na CBF, três foram os assuntos foram debatidos pelos dirigentes dos clubes que fazem parte da Série A. Vamos a eles:  Há dois anos atrás, o então  presidente do Vasco da Gama, Eurico Miranda, iniciava uma campanha contra estádios de futebol que tivessem atendendo jogos com a grama sintética. Com isso os representantes dos clubes chegaram a seguinte conclusão: nada a se opor, pois, nos seus entendimentos o Atlético Paranaense,  clube que poderia ser o mais atingido, não teve nenhum privilégio na comparação dos pontos conseguidos em 2016 e com a pífia campanha de 2017. Outro assunto em pauta foi o rebatido por todos os integrantes dessa reunião e que deu muito o que falar sobre a conotação da presença de árbitros comentando situações dos jogos por vídeo. Claro, com o alto custo, os clubes, então, não aceitaram. Para finalizar, foi liberado aos clubes que quiserem “vender” seus mandos de jogos.

Cenas tristes e lamentáveis aconteceram na sede corintiana quanto a definição por votos do próximo sucessor. Haviam 5 personagens à disputa desse pleito e que de fato foi muito concorrido. Ganhou, nas urnas, o ex-presidente que agora é  um Deputado Federal, Andrés Sanches. Após a informação da vitória, do Sanchez, a situação dentro do clube virou uma baderna. Uma das facções corintianas passou, então, a admoestar o vitorioso.

O time alviverde paranaense, já em Teresina/Piauí,, onde amanhã iniciará uma aventura dentro da Copa do Brasil, quando enfrentará o time, do Parnahiba, que terá que se deslocar da sua cidade para jogar na capital dos sergipanos. Iniciante nestas disputas, o time do interior do Piaui, terá que vencer a esse jogo par seguir na competição, pois, a vantagem é do Coritiba que poderá empatar ou mesmo ganhar.

Em contra partida, olhando para os números do certame paranaense, vemos que o Paraná Clube estando em último lugar no seu grupo, assim como o time do  Coritiba, em 6º lugar, ao faltarem duas rodadas para o fecho do 1º turno, se complicaram nessa rodada passada. Será um vexame a não classificação pelo menos para a disputa dessa fase. Reclamações dos torcedores vão se avolumando por acharem que da maneira que está pior vai ficar. Dureza para as duas comissões técnicas que ainda não acharam seus sistemas.

Fiquei bastante feliz com a presença de dezenas de pessoas no jantar da Confraria Amigos da Bola. Muita emoção na entrega das placas aos felizardos. Dr. Edilson Thielle, que estava prestando seus préstimos na China, ao lado do técnico Felipão, Roberto Karan, conselheiro atleticano, respeitado por sua devoção e amizade a todos, D. Vera, uma senhora que se faz presente em todos os jantares da nossa confraria e do ex-jogador, Reginaldo Nascimento, que por muitos anos na década de 90 atuou pelo Coritiba exercendo a condição de capitão. Mais uma noite auspiciosa.

Lembre que:  O melhor da vida é sua história.

A ideia atleticana é no aproveitamento de jovens.

5 fevereiro, 2018 às 09:51  |  por Capitão Hidalgo

De certa forma o clássico de ontem,  Atletiba,  surpreendeu , pois, levou um público de mais de 16 mil torcedores. O impacto das idéias dos dirigentes, dos clubes, quanto a necessidade da utilização de jogadores mais jovens, tira na verdade o próprio interesse dos torcedores, mas, o que fazer se é assim que vão se locomovendo as equipes da nossa capital. Quanto ao jogo, a vitória foi do Atlético ( 1 x 0 ), comprovando que a melhor estrutura que tem o time atleticano na esfera administrativa, financeira, fará sempre a diferença em campo, sobretudo, porque o Furacão jogou com muitos garotos da casa, se considerarmos time da base, e o Coritiba, com a mescla de titulares com alguns reservas.

A intenção atleticana vem desde 2013, ideia construída pelo seu dirigente, Petrália, entendendo ele que o certame estadual por dar prejuízos seria bem melhor dar um aproveitamento mais adequado à futuros craques. Foi assim, ano passado, quando emprestou vários jogadores, como também, andou negociando alguns deles, como o Hernani e Otávio, jogadores que renderam muitos milhões de euros. No caso do verdão coxa branca a situação é complicada, sobretudo, falta de dinheiro.

O Paraná Clube que conseguiu passar pelo primeiro degrau da Copa do Brasil, ao empatar com o time do URT Mineiro, foi a cidade de Toledo e ficou no empate (0 x 0 ). É outra equipe que terá que trabalhar muito para conseguir uma situação melhor, afinal, qualquer que seja um resultado desastrosa, a torcida pensa na Séria A, fazendo suas devidas consideração. Agora, na tabela do estadual, precisará ganhar, em casa, do Prudentópolis e fora, contra o Rio Branco, de Paranaguá. Sinto muito dizer que o primeiro turno para o Tricolor da Vila já  era.

Regional é assim mesmo. Se deram uma espiadinha por outros estados verão que times tradicionais estão perdendo. Notaram a situação do Gremio, todo poderoso, campeão há dias atra da Libertadores, e hoje em último lugar no certame gaúcho. O Internacional também anda perdendo. Enfim, não é só aqui que as zebras acontecem.

Hoje a noite mais uma reunião da Confraria Amigos da Bola. Será o pontapé inicial do encaminhamento para o 7º aniversário, oportunidade de estarmos aplaudindo outros personagens da nossa querida cidade. Como sempre será no Restaurante Marumbi à partir das 19 horas. Todos estão convidados. A casa cobra 45 reais por pessoa. Vale a pena passar horas agradáveis.

Lembre-se  que:  O melhor da vida é sua história.

Referendar o título nacional do Torneio do Povo.

31 janeiro, 2018 às 09:08  |  por Capitão Hidalgo

Jogando na cidade de Caxias do Sul, iniciando com isso sua participação na Copa do Brasil/2018, o Atlético Paranaense com o empate ( o x 0) contra o Caxias, time que anda bem no futebol do sul, ganhou sua sequência baseado no regulamento estabelecido para esse torneio. Quanto a partida, sabíamos de antemão que o Furacão estaria jogando pela primeira vez no ano, e consequentemente, contando com a estréia do técnico, Fernando Diniz, viria a ter suas dificuldades naturais. Entretanto, sabendo jogar essa partida, preocupado mais com toques de bola, e com isso tirando os espaços do adversário, o Atlético levou o jogo na “maciota” até o final do jogo. Analisando pela importância de seguir na competição, como também, auferir uma premiação boa, considero o resultado positivo.

É difícil, também, estabelecer qual foi o desempenho da equipe nesse jogo, dando a importância ao fato, se tática, individual ou coletiva. É cedo par afirmar, contudo, notei que a maneira de jogar é o conhecido tic-tac,  que o técnico tanto aprecia na utilização do passe certo e rápido. Quando aqui esteve, o Diniz, treinando o Paraná Clube, deixo de sobreaviso aos senhores que o grande problema dessa arrumação de jogo é a situação do centroavante que praticamente fica isolado à frente.

Outros times brasileiros jogarão nesta noite, Vasco da Gama e Chapecoense, nas participações de Pré-Libertadores, sendo o Cruz de Malta, em Concepcion/Chile, e a Chape em casa. Na verdade esse ano com o evento, Copa do Mundo, tudo fica espremido e as equipes que tiverem um melhor elenco poderão sobreviver as dificuldades.

A primeira grande conquista do Coritiba, em nível nacional, foi o Torneio do Povo, acontecido nos primórdios de 1973, ou seja, evento que começou em Janeiro/73 e foi terminar no dia 23/03/1973,  onde tudo se definiu num jogo tumultuado, em Salvador, contra o Bahia. Na verdade foi, também, o primeiro título nacional do sul do país, pois, o Internacional foi ganhar o seu em 1975. Portanto, 45 anos nos separam daquele momento histórico, e que não sai da nossa lembrança e do coração. Sabe lá o que era ganhar um título dessa magnitude, enfrentado as grandes equipes  do futebol brasileiro , época do considerado Tri-Campeonato Mundial de Futebol ?

 Aliás, lendo matérias à respeito do Torneio do Povo, bem que a nova diretoria do Coritiba viesse a interceder junto a CBF, para que a entidade considerasse mais essa conquista.  Com isso daria condições ao clube para a utilização de mais uma estrelinha em sua camisa. É um assunto que vou discorrer com mais profundidade, contando também, coma presença da Federação Paranaense de Futebol. Complemento que jornais, principalmente do Rio de Janeiro, já davam ganho de causa para aprovação desse torneio, pois, existia a dúvida da extinta CBD, quanto a sua legalização. O renomado jurista , Valed Perry, argumentou com muita autoridade o valor desse torneio. 

Lembre-se que :  O melhor da vida é sua história.

Times da capital na Copa do Brasil.

29 janeiro, 2018 às 09:32  |  por Capitão Hidalgo

Os jogos do paranaense vão acontecendo e a cada rodada os comentários saem na proporção dos próprios resultados. Claro, que esse não é o melhor caminho, mas se ponderarmos pela lado do torcedor entendo que a situação torná-se de fato uma necessidade de melhorias dentro do campo. A experiência me conduz com o devido cuidado para uma firmeza de formatação, até porque, estamos vivendo o início das competições. De uns tempos a essa parte, os regionais por todo o país estão servindo para testes aos clubes, e claramente para não irem de forma precipitada ao mercado e saírem contratando na base do oito ou oitenta.

Baseado nesse princípio básico e entendendo as dificuldades clubísticas, e me alicerçando no campo das equipes tradicionais da capital, a saída não será outra se não a paciência do torcedor entender que alguém com mais lucidez deva entrar em campo, diria na administração, e diminuir gastos em péssimas contratações. Com o advento da garantia de 20 equipes participarem do futebol brasileiro, desde 1971, onde primeiramente situavam 16 agremiações na principal série nacional, o foco mudou totalmente com a própria caracterização dos regionais, pois, anteriormente, havia a necessidade de se ganhar o estadual para jogar um campeonato de expressão nacional.

Não esquecer, amigos, que á partir de amanhã, as equipes paranaenses vão estar em campo para jogarem a Copa do Brasil. O Furacão vai a Caxias do Sul enfrentar o bom time da cidade, o próprio Caixas que está pontuando o campeonato gaúcho. O Verdão paranaense vai a capital dos teresinenses para jogar contra o Parnaíba, e o Tricolor da Vila, nas Minas Gerais, com parada indigesta jogar contra a boa agremiação, URT.

Quanto as duas primeiras rodadas do certame paranaense, a conclusão é real, sim,  pelo melhor condicionamento físico dos times interioranos. Vi jogarem, Prudentópolis; Rio Branco e Cianorte e Londrina. Posso considerar de momento que poderemos depois de alguns anos ver uma disputa legal entre os clubes que integram a 1ª Divisão Paranaense. Vamos aguardar mais algumas rodadas.

Continuando escrevendo sobre os regionais, os resultados que antes poderiam ser considerados zebras, já não tanto agora, pois, grandes equipes tradicionais estão sofrendo em seus locais. Citaria um deles, o Grêmio, que jogou 4 partidas e não ganhou nenhuma.Exemplificando, também, temos os casos do Fluminense, Internacional, São Paulo, Santos e outros.

Lembre-se que: O melhor da vida é sua história.

Dúvidas para o futuro.

27 janeiro, 2018 às 06:21  |  por Capitão Hidalgo

Com apenas duas rodadas, neste estadual paranaense, ainda vemos prevalecer o melhor condicionamento das equipes do interior que iniciaram, e com alguma antecedência, seus preparativos. Nesse caso específico nada a declarar, afinal, só mesmo com o tempo de treinamento é que poderemos afirmar que o melhor conteúdo à frente será pela limitação dos times do interior, sim, na parte técnica.

Hoje estarei na Arena Furacão para os devidos comentários pela Rádio CBN AM-670 Curitiba e Web CWB.Com.Br, quando se enfrentarão o Atlético e o Cianorte. Portanto, com essa premissa que os times interioranos estejam melhores na qualidade física, o único da capital, Furacão é que vem colocando em campo uma boa mescla de jogadores, na utilização de jovens talentos. Com isso vai se aproveitando da velocidade dos seus garotos, como Giovani, João Pedro, Yago e outros, e a mostra foram os dois jogos. Noto que o time de aspirantes, do Atlético,  esteja à  frente dos demais por esse fator,  podendo, inclusive aumentar seu distanciamento nessa fase embrionária. A vitória em cima do Paraná Clube, neste meio de semana, mesmo que jogando fora dos seus redutos venceu seu rival de goleada ( 3 x 0 ), mostrando essa tal diferença.

E o Coritiba? Jogou as duas em casa e não ganhou, contra o Prudentópolis e Rio Branco de Paranaguá. Como correu atrás desses resultados, onde nas duas saiu perdendo, o time teve que fazer das tripas o coração para poder empatar e com isso se desgastar acima do normal.  E o pior de tudo é que o time pensa que corre e não pensa. Para a comissão técnica do Coritiba, principalmente, seus homens da preparação física, devem estar sofrendo vendo os adversários voando em cima deles. Contudo vai à cidade de Francisco Beltrão, pelear contra o União, e para atrapalhar jogar num campo com grama alta. Outra dureza.

Quanta a parte técnica, aquela da individualidade, tanto o Tricolor da Vila como o Coxa, ainda estão devendo. Cada um a sua maneira, claro, o financeiro fala alto, pois, ambas as equipes pensam algo mais no futuro, sobretudo,  por conhecerem seus calendários,  e se errarem em contratações irão com toda certeza abalar mais ainda suas finanças. A conclusão é que também com os elencos já mostrados não haverá outro caminho. Amanhã, o time paranista que até agora não ganhou nenhum ponto , jogará em casa contra o Londrina, com 4 pontos à seu crédito.

Acompanhando o mercado da bola, quem dera poder ter em nosso campeonato melhores jogadores e que pudessem levar mais gente aos estádios. A diferença é enorme, sabemos, e o único com boa base administrativa teria essa condição,  Atlético Paranaense, mas, passa ao largo qualquer tentativa de contratar grandes jogadores, pois, essa não é a cultura do clube.

Lembe-se que:  O melhor da vida é sua  história.