Nas oficinas de colagem, as crianças soltam a imaginação; técnica artística estimula a criatividade, a expressar os sentimentos e fortalece a saúde mental (Foto: Ana Carolina de Camargo)

Apresentar a arte da colagem como uma técnica que contribui para o conhecimento de si próprio e que também ajuda na melhoria da saúde mental. Esses são os principais objetivos da “Oficina de Colagem Intuitiva: Ferramenta de Autoconhecimento”, projeto cultural gratuito que vai oferecer atividades práticas de colagens a jovens, adultos e idosos da capital paranaense.

Os encontros acontecem nos dias 16, 23, 24 e 26 de outubro, 6 e 7 de novembro em horários variados e serão realizados na Coffee & Art [Rua Comendador Araújo, 510, Centro, Curitiba]. As inscrições estão abertas e podem ser feitas no link https://forms.gle/oibEdDPrdUBn5emG7 As vagas são limitadas.

“Além de instigar a criatividade e a imaginação nos participantes, a técnica da colagem serve como forma de expressar sentimentos. Não há necessidade de nenhuma formação artística. Basta se permitir criar”, explica a historiadora, colagista, artesã e coordenadora Raiane Clair Ramirez dos Santos.

Todos os materiais necessários para as atividades serão disponibilizados gratuitamente pelos organizadores do evento, mas se os participantes quiserem trazer suas revistas e jornais, eles serão utilizados. O público também vai receber ecobags com kits de colagem (tesoura, cola, papéis etc) para realizarem a prática, para além do momento das oficinas.

O que é e para que serve

A colagem é uma arte onde muitas realidades são possíveis, por meio de imagens e recortes que podem ser construídos com diferentes materiais. A prática dessa atividade auxilia no desenvolvimento da psicomotricidade, no pensamento crítico, na melhoria de processos cognitivos, viso-motor, nos sentidos (audição, visão e tato), na concentração, na autoestima, integra o conhecimento estético e amplia a visão de mundo.

Ao mesmo tempo, a ação estimula habilidades motoras finas, a autonomia, a socialização, comunicação, planejamento, coordenação, trabalho em equipe e ajuda no amadurecimento emocional. Durante as oficinas ainda serão praticados exercícios de respiração e estado de presença no aqui e agora.

Mudança de perspectiva

“Na sociedade atual, as imagens se inserem por vários meios no cotidiano das pessoas. Utilizá-las como uma forma para expressar-se pode ser uma ferramenta potente. Além disso, a colagem é infantilizada e entendida como uma brincadeira relacionada ao ambiente escolar”, destaca a atriz, escritora, mediadora de leitura Lilyan de Souza, que também é uma das coordenadoras do projeto cultural.

“Pretendemos mudar essa perspectiva, fazendo dela um meio de expressão e resgate das memórias de cada participante, utilizando elementos da cultura popular e do folclore brasileiro”, complementa.

Uso da técnica SoulCollage

Durante o projeto cultural, será apresentada a técnica SoulCollage; que é um método sensível e profundo criado pela americana Seena Frost.

A essência do método é a pessoa ser convidada para selecionar, montar e colar recortes de revistas em um cartão, de forma intuitiva, e depois dar voz a essa produção que dialoga com as imagens próprias, subjetivas e ajudam na tomada de consciência sobre a história de vida, o desenvolvimento da personalidade, o temperamento, identifica padrões comportamentais e características arquetípicas, dentre outras questões.

As imagens criadas nas cartas dão expressão e voz às ideias internas e por meio delas é possível acessar conteúdos psíquicos e emocionais. O processo é embasado na teoria junguiana e na imaginação ativa, estabelece relação com a linguagem da alma.

Expressões próprias

Segundo Raiane, muitas vezes as pessoas expressam melhor suas ideias por meio de emojis, gifs e figurinhas nas redes sociais. Então, ela se questiona: Porque não utilizar as imagens para entender nossos sentimentos e necessidades de maneira mais expressiva?

“Rostos, mãos, parte dos corpos, animais, flores. Chamou atenção? Recorte! Neste sentido, a colagem é uma ferramenta pujante para o autoconhecimento, para o estímulo à comunicação e a melhoria nas relações sociais. Por isso, fizemos 10 oficinas de colagem no Sesc Paço da Liberdade, em setembro”, destaca a colagista.

Para Lilyan de Souza, desenvolver estas habilidades se faz extremamente necessário na sociedade atual, devido à rapidez com que as mudanças ocorrem e as urgências com que precisamos nos adaptar às situações. “Essa prática criativa nos ajuda a explorar, sanar e desenvolver as múltiplas facetas de nossas almas, para que cada alma seja capaz de manifestar sua essência única de maneira cada vez mais equilibrada e plena de felicidade”, completa.

O projeto cultural “Oficina de Colagem Intuitiva: Ferramenta de Autoconhecimento” tem a produção de Josnel Garcia de Carvalho, o apoio da Copiadora e Gráfica Curitiba, da Coffee & Art, Fecomércio-PR e Sesc; o incentivo do Hospital IPO, Fiat Florença, Instituto de Oncologia do Paraná; é realizado com recursos do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba.

Serviço

O que: projeto cultural “Oficina de Colagem Intuitiva: Ferramenta de Autoconhecimento”

Quando: 16 e 23/10, das 18h30 às 21h para o público geral; 24/10 das 9h às 12h para o público infanto-juvenil; 26/10 das 14h às 17h para o público geral; 6/11 das 18h30 às 21h para o público geral; 7/11 das 14h às 17h para acima de 60 anos

Onde: Coffee & Art [Rua Comendador Araújo, 510, Centro, Curitiba]

Quanto custa: As inscrições são gratuitas e as vagas são limitadas

Onde se inscrever: pelo link https://forms.gle/oibEdDPrdUBn5emG7