Publicidade
Sabatina ‘Bem Paraná’ e PUCPR

‘Represento quem vive do próprio trabalho’, diz professor Piva, candidato ao governo

Concorrente do PSOL ao governo, ele reafirma discurso de “franco-atirador” contra políticos tradicionais
‘Represento quem vive do próprio trabalho’, diz professor Piva, candidato ao governo
(Foto: Franklin de Freitas)

Primeiro candidato ao governo do Estado a participar da sabatina PUC/Bem Paraná, o professor Piva (PSOL), manteve a postura de “franco-atirador” que adotou desde o início da campanha. Disse que o Paraná, a exemplo de outros estados, é governado há décadas pelas mesmas famílias e que a maioria dos políticos se elege através da compra de votos. E afirmou que sua candidatura representa aquelas famílias que vivem do próprio trabalho, em contraste com os políticos que vivem da exploração de privilégios. Confira abaixo alguns dos principais momentos da sabatina.

Polícia
“Na segurança pública, eu penso que a única certeza que o povo brasileiro tem hoje é que o modelo que aí está não funciona. Nós defendemos um outro modelo de polícia. Uma polícia profissionalizada e não militar. O militar é formado para a guerra. Dia 29 de abril aconteceu um massacre no Centro Cívico. Onde a polícia se mostrou muito preparada para jogar bombas em cima de professoras”. 

Democracia
“Acho que nós vivemos uma falsa democracia. Se você ligar a Rede Globo, a Rede Globo tem os seus candidatos. A nossa democracia tem como base um sistema representativo altamente viciado. A maioria das vagas de deputado estadual, federal, senador, vereador são compradas. O que é caro em uma campanha eleitoral é comprar votos. 

Professores
O Paraná é um estado conhecido por tratar seus professores com violência. Alvaro Dias, quando foi governador, teve um massacre da mesma proporção. O primeiro ponto na educação do Paraná é respeitar a lei do piso, da hora-atividade, da reposição salarial”. 

Escola sem partido
“Escola sem partido é um projeto de pessoas que têm um partido definido, pessoas de direita, e querem que na escola só tenha o partido deles. Essa ideia é uma ideia atrasada, reacionária. Como se a escola fosse um centro de formação de guerrilheiros. Não existe nada disso. É uma censura. Quem fala aquilo ali não tem conhecimento da realidade da escola. A escola tem que ser um ambiente de absoluta liberdade. A vida inteira eu nunca tive problema com nenhuma criança ou mãe por ser candidato. A posição política de um professor não tem problema nenhum. Não quer dizer que o aluno vai seguir o professor”. 

Cultura
“Se tem alguém dos candidatos que tem uma preocupação com isso sou eu. Até pela minha formação de professor da área. Todos os governos, historicamente, eles têm mais dinheiro na rubrica de propaganda do que de cultura. Acho desnecessário propaganda. Você liga o rádio tem uma propaganda da Copel, da Sanepar. Para quê? Você tem opção de contratar outra empresa que não a Copel e a Sanepar? Se eu for governador eu prefiro dinheiro na área de cultura e nem um centavo para publicidade”. 

Previdência
“Primeiro revogar aquela maldade que o governo Beto Richa, Cida, Ratinho aprovaram em 2015. Inclusive eu não posso dizer que o Ratinho é o ‘pai da bancada do camburão’. Ele está me processando. Eles aprovaram uma lei que permite o governo tirar dinheiro de lá para tapar outras coisas. Só do nosso é que eles estão mexendo. Desde o Lerner até hoje, nenhum governo depositou a sua parte. Todos acompanharam um escândalo da operação Publicano, que é um escândalo na Receita Estadual. Eles botaram quem para cuidar do negócio? Um amigo do Beto Richa, para roubar”. 

Pesquisa
“De todo lado eles cortam aonde? Aonde interessa a maioria do povo. Agora, em algum momento vocês viram um debate sobre cortar privilégios? Eu não vi em lugar nenhum. Pesquisa, desenvolvimento são coisas fundamentais para o futuro de um país. Me preocupa essa ideia, esse consenso de que não tem dinheiro para nada. Tem dinheiro para auxílio-moradia? Para aposentadoria de ex-governador? R$ 33 mil por mês. Eu sonho em um dia a gente mexer nos privilégios, e não na educação, na pesquisa, no ensino. Nós só vamos sair desse atraso tecnológico quando investirmos nisso”. 

Mulheres
“Se observarem a minha propaganda, quem mais fala não sou eu. É a Fernanda Camargo. Que eu não chamo de vice, mas de co-governadora. Nós temos essa prática dentro do PSOL. Defendo a ideia de que no mínimo metade do secretariado seja ocupado por mulheres”. 

Famílias
“No Paraná não é diferente. Se fizer um cruzamento não é só no Executivo. No Judiciário, Tribunal de Contas. É só ver a quantidade de filhos de políticos candidatos. E todos serão eleitos daquele jeito. Distribuindo um monte de coisa, faz 200, 300 votos em cada lugar. Nas últimas décadas, algumas poucas famílias mandaram aqui no Paraná. Eu represento as famílias que nunca viveram em Palácio, que vivem do seu próprio trabalho. A gente nunca teve oportunidade de governar. Eu quero representar essa marcha de gente que nunca esteve lá. Se 10% votar em mim eu vou para o segundo turno. Se eu for para o segundo turno, eu armo uma ratoeira e pego o filhote do Beto Richa”. 

Drogas
“Se eu fosse candidato a deputado federal, essa seria minha proposta (descriminalização da maconha). Mas eu sou candidato a governador, não posso atravessar a proposta de outros. Se alguém aqui quiser fumar maconha fique à vontade. Eu comemoro seis anos sem cigarro e estou feliz”.

Homofobia
“Entre os meninos de 13, 14 anos hoje, tem mais homofobia do que no meu tempo. Eu até brinco com os meus alunos, que se filmasse a hora do recreio nas escolas e mandasse para as mães deles, os pais iam tirar os filhos das escolas. Não é de estranhar que pessoas agressivas, homofóbicas, tenham crescido politicamente. A sociedade como um todo está tendo um retrocesso”.  

PT
“Quando o PT assume, incorporou o programa do lado de lá. O primeira cara que o Lula nomeou foi o Henrique Meirelles, o banqueiro. A Carta ao Povo Brasileiro era dizendo, ‘gente, desculpa aquele programa que nós apresentamos na campanha. Agora nós vamos adotar o programa do FHC’. O Lula tirou a Globo do buraco. Botou dinheiro do BNDES. Eles fizeram um governo com os marcos da direita e quando deu errado, eles ficaram como de esquerda. A direita se aproveitou disso e cravejou: ‘de esquerda é ladrão’, é corrupto’”. 

 

FRASES

“O militar é formado para a guerra. Dia 29 de abril aconteceu um massacre no Centro Cívico. Onde a polícia se mostrou muito preparada para jogar bombas em cima de professoras”. 


“Eu até brinco com os meus alunos, que se filmasse a hora do recreio nas escolas e mandasse para as mães deles, os pais iam tirar os filhos das escolas”.


“Tem dinheiro para auxílio-moradia? Para aposentadoria de ex-governador? R$ 33 mil por mês. Eu sonho em um dia a gente mexer nos privilégios, e não na educação”.
do candidato do PSOL ao governo, professor Piva

 

Arte: Carolina de Andrade e Andressa Carvalho (PUCPR)

DESTAQUES DOS EDITORES