Publicidade
Diversão

Dicas de brincadeiras para aproveitar a Páscoa com a família

Para a consultora pedagógica da Rede Pitágoras, Heloisa Helena Baldo, o primeiro passo é conversar com os filhos sobre os símbolos da Páscoa, afinal as crianças pequenas relacionam essa data com ovos de chocolate e com o coelhinho. No caso das crianças maiores, vale explicar que os coelhos não botam ovos. Ovos (por conterem uma nova vida) e os coelhos (por terem muitos filhos) tornaram-se símbolos populares da Páscoa, mas não têm, obviamente, relação direta entre si, explica. Brincar no domingo com a criançada estimula pais (família) e crianças a se juntarem nessa troca lúdica de compartilhar a data de uma forma diferente e afetiva. Várias brincadeiras podem ser realizadas, depende da disponibilidade de quem proporcionará a(s) brincadeira(s) e a quantidade de participantes, completa.

Seguem algumas dicas de brincadeiras da consultora pedagógica da Rede Pitágoras.

Brincadeira 2 – Ovos com Arte

Cozinhar tantos ovos (de galinha) quanto a quantidade de crianças que irão participar da brincadeira. Assim que os ovos esfriarem, dê um ovo com casca para cada criança e peça a ela que faça um desenho bem colorido usando canetinha hidrocor ou tinta guache.  Depois que todos os ovos estiverem pintados,  coloque-os em uma cesta e no momento escolhido presenteie as pessoas que estiverem participando do almoço de páscoa, por exemplo. SE quiser, pode embrulhar os ovos em papel celofane e dar um bonito laço de fita. Os ovos desenhados e pintados, não são comestíveis. Caso queira comê-los depois, a sugestão é que faça a pintura/desenho com corantes alimentícios com caldo de beterraba e de cenoura, por exemplo.

Brincadeira 4 - Rabinho de coelho

Esta é uma brincadeira mais elaborada e que demanda um tempo para a sua organização. Iremos precisar de fita crepe, folha de papel, giz de cera e/ou canetinhas, uma venda para os olhos e claro, um chumaço de algodão para ser o rabinho do coelho. As crianças podem ajudar a  desenhar um coelho no papel. Após o desenho terminado, no lugar do rabinho, cole a fita crepe com a parte colante para o lado de fora. Pendure o papel na parede e escolha uma criança para ter os olhos vendados. É importante que você explique o que ela terá que fazer: com os olhos vendados a criança deve ser orientada pelos outros participantes a colar o algodão no local do rabinho do coelho. Se o número de crianças for maior, podemos dividi-las em dois grupos. Nesse caso, ganha aquele time que cumprir em menos tempo a tarefa. Esta é uma excelente brincadeira para ajudar a meninada a melhorar o senso de direção e a inteligência espacial.

De acordo com a professora da Unopar, Marlizete Cristina Bonafini Steinle, pedagoga com especialização em Educação Infantil e mestre em Educação, coordenadora do Projeto de Extensão Brinquedoteca Virtual da Unopar, as brincadeiras devem ser escolhidas de acordo com a idade da criança. Com os maiores você pode fazer: A Toca do Coelho; culinária ao cortar o pão de forma e fazer a Carinha do Coelho para enfeitar a mesa de Páscoa; porta-guardanapos também... Quando se fala de família, a criança pode participar de muitas maneiras da festa, ressalta. Os filhos podem ajudar a fazer o Ninho do Coelho, as Pegadas do Coelho, com patinhas feitas de farinha de trigo. E as crianças que já sabem ler podem gostar muito de participar de um Caça ao Tesouro para achar os ovos de páscoa escondidos pela casa.

O tempo de duração das atividades depende do tempo disponível dos pais e dos filhos: não pode ser de ocupação, mas tem que ser um momento de interação. A ideia é fazer as coisas juntos. É preciso que os pais fiquem atentos sempre para que a atividade seja prazerosa. A ideia é brincar, não é? Muitas vezes o adulto tem ideias prontas, já resolveu o que quer fazer e a criança tem que aprender. Aí a brincadeira acaba virando uma tarefa, destaca a pedagoga da Unopar. Os pais devem escolher a brincadeira que se adequar melhor à capacidade dos filhos. Quando se trata de crianças é importante não ter receitas. Vale perceber, junto com a criança, o que são capazes de fazer. O passo a passo acaba limitando a brincadeira. Há muitas maneiras de se fazer um coelho, depende muito da idade e habilidades da criança e dos materiais disponíveis em casa. O importante é deixar a magia da imaginação fluir.

Publicidade