Publicidade
Carreira & Cia.

50% dos negócios sem atividade são micro e pequenas empresas

(Foto: Divulgação)

O Brasil está lidando com uma crise econômica em meio a pandemia. Devido à necessidade da quarentena, grande parte das empresas e do comércio tiveram que se adaptar à nova realidade mundial. Um levantamento feito pela Pontomais, empresa de tecnologia para RH, mostra que cerca de 35% das pessoas estão sem efetuar seus trabalhos regularmente desde o começo da quarentena. Esse número foi levantado dentro da base da empresa que possui o registro de ponto digital de mais 300 mil colaboradores e 10 mil empresas de todo o país. Dentro dessa base também se observou que mais de 10% das empresas estão sem atividade de funcionários no momento, sendo que 50% delas se enquadram no perfil de micro e pequenas empresas – até 10 funcionários.

Setores mais prejudicados

Dentro dos setores mais afetados estão as clínicas de estéticas e saúde, que aparecem em primeiro lugar, representando 16% da base sem atividade. Restaurantes e bares foram os segmentos mais citados a respeito de crise nos últimos dias, já que muitos estabelecimentos estão fechados para o público e isso interfere diretamente na economia e na vida das pessoas. O setor vem em segundo lugar e representa 13% das empresas que não registraram atividade de trabalhadores.Lojas de roupas e acessórios fazem parte dos 10% das empresas paradas no Brasil, seguida do varejo de móveis, equipamentos e peças que segue em queda representando 9% dos estabelecimentos que não estão registrando ponto.

Inovações em vendas digitais e delivery

“É importante ressaltar que esses dados mostram empresas que não apresentaram atividade de registro de ponto e acompanhamento de jornada nesse período de quarentena. Porém nos dá um parâmetro real e comprovado de como os setores estão se comportando e quais são os mais afetados. Sabemos que muitos hoje estão se virando e inovando na maneira de atender, utilizando meios digitais de vendas e delivery, por exemplo. No entanto, mostra que isso está acontecendo de forma alternativa, sem a força de trabalho completa da equipe de funcionários das empresas”, explica Gabriel Colombo, diretor de aquisição da Pontomais.De todas as empresas que estão totalmente sem atividades de registro de jornada, as micro e pequenas empresas de até 10 colaboradores representam metade dos estabelecimentos que não estão registrando ponto no país.

Setores que seguem em atividade

Os quatro setores que juntos chegam a pouco mais de 1% das empresas sem atividade de registro de ponto nesse período são os enquadrados como essenciais: supermercados (0,26%), o agronegócio (0,26%), o segmento de energia e combustíveis (0,13%). Um que chama a atenção é o mercado pet, que em meio à crise segue com suas equipes de funcionários trabalhando praticamente de forma estável, representando apenas 0,39% das empresas que estão sem registro nesse momento.

Segmentos de hotelaria e turismo em baixa

O segmento de hotéis e turismo faz parte de 1% das empresas paradas no país. O setor de diversão, recreação e eventos chegam a apenas 3%. “Aqui podemos observar que mesmo tendo apresentada baixa queda no registro de ponto de seus funcionários, não quer dizer que não aderiram à quarentena e sim que estão com staff reduzido ou operando em funções administrativas home office ou de manutenção. Para isso o uso de tecnologia é essencial no controle das equipes que trabalham de forma remota. Os recursos hoje que possuímos na Pontomais permite que os gestores acompanhem a jornada de trabalho de seus colaboradores de casa, tendo informação e dados para entender a produtividade da equipe frente à esses novos desafios, e desenvolver a melhor forma de trabalho para todos passarem pela crise da melhor forma possível”, conclui Colombo. https://pontomais.com.br/


CURTAS

* A CEO da Carob House é a primeira mulher a presidir o Sincabima. O Sindicato das Indústrias de Cacau, Balas, Massas e Conservas do Paraná atua há 82 anos em prol do desenvolvimento e sustentabilidade do setor. Eloísa Helena Orlandi, CEO da Carob House, empresa especializada em alfarroba no Brasil, é a primeira mulher a assumir a presidência do Sincabima - Sindicato das Indústrias de Cacau, Balas, Massas e Conservas do Paraná, há 82 anos atuando em prol do desenvolvimento e sustentabilidade do setor. Compõem ainda a diretoria da entidade profissionais da Barion, Penacchi, Dori, Massas Romanha, PepsiCo entre outras empresas. A gestão conduzida por Eloísa Orlandi será responsável pela administração da Apralim - Associação Paranaense da Indústria de Alimentos, que está em fase final de estruturação e, em breve, iniciará suas atividades. O segmento está entre os maiores exportadores de alimentos do mundo.

* Jornada da transformação digital: experiência Bosch. Três grandes eventos estão previstos para ocorrer nos próximos dias, relatando a história dos últimos cinco anos da Bosch Curitiba e a sua jornada na transformação digital. Os encontros online promovidos pela Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha (AHK Paraná), por meio do GIE Indústria 4.0 e Transformação Digital, serão realizados a partir do dia 20 de maio. O primeiro da série de eventos, nesta quarta-feira, será conduzido pela psicóloga Josiane Azevedo, coordenadora das atividades da área de desenvolvimento organizacional, pessoas, cultura e estratégia na Bosch, pela Business Partner no RH da companhia, Ilka M. Toyomoto Furtado, e por Karina Martins Nogueira, também psicóloga e com experiência na área social, benefícios e saúde da Bosch Curitiba. Inscrições: https://bit.ly/3bADJ4Q
Informações pelo e-mail: ahkparana@ahkbrasil.com


FRASE

“Recomeça... se puderes, sem angústia e sem pressa e os passos que deres, nesse caminho duro do futuro, dá-os em liberdade, enquanto não alcances não descanses, de nenhum fruto queiras só metade.”

(Miguel Torga)


Participe das matérias com seus comentários e faça sugestão de temas que gostaria de ver abordados.


Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES