Belvedere em Curitiba será restaurado e vai receber a APL

30/06/17 às 19:36 SMCS
Greca assina o decreto de transferência de R$ 1,073 milhão em recursos de potencial construtivo para o restauro do Palácio Belvedere (foto: Levy Ferreira/SMC)

O prefeito Rafael Greca assinou nesta sexta-feira (30) o decreto de transferência de R$ 1,073 milhão em recursos de potencial construtivo para o restauro do Palácio Belvedere, Unidade Especial de Interesse de Preservação (Uiep), no São Francisco, que será a nova sede da Academia Paranaense de Letras (APL). Também assinaram o secretário municipal do Urbanismo, Marcelo Ferraz César, o presidente da APL, Ernani Buchmann, a professora Chloris Casagrande Justen, ex-presidente da APL, o ex-secretário de Estado e também integrante da academia, Flávio Arns, o secretário de Assuntos Estratégicos do Governo, Jorge Eduardo Wekerlin, e a escritora Adélia Woellner.

“Vamos integrar o Belvedere a Curitiba, obra do prefeito Cândido de Abreu, uma das edificações art nouveau mais elegantes e que representa a bela época da nossa cidade”, afirmou o prefeito. O local funcionará como Observatório da Cultura Paranaense e contará ainda com um café administrado pelo Sesc Paraná, similar ao existente no Paço da Liberdade, como parte da parceria com a Federação do Comércio (Fecomércio).

Os recursos destinados para o restauro do prédio histórico são provenientes de um saldo remanescente do que foi aplicado na recuperação da subsede do Ministério Público do Paraná (MP-PR), na Avenida Marechal Floriano Peixoto, no bairro Rebouças. O projeto do restauro do Belvedere foi desenvolvido por arquitetos do Sesc em parceria com o Ippuc. O Palácio Belvedere, na Praça João Cândido, é um prédio tombado pelo Patrimônio Histórico do Estado no ano de 1966.

De acordo com o presidente da Academia Paranaense de Letras, a expectativa é que estejam instalados no Belvedere entre 12 e 18 meses. “Esperamos que até meados de 2018 o prédio esteja em pleno funcionamento”, disse Buchmann.

A professora Chloris Justen ressaltou o empenho do prefeito na viabilização do projeto. “O entusiasmo dele pela cultura e a arte foram decisivos neste processo. Será uma realização desta gestão com um cuidado que não houve em outras administrações.”

Segundo Chloris, o Belvedere será importante núcleo para a retomada da orientação educacional com base na cultura paranaense. “Será um observatório para tratar não apenas da nossa literatura, mas da formação de professores para a inclusão da cultura paranista e da história do nosso Estado no ensino fundamental e médio”, observou ela. 

Também participaram da reunião o secretário do Governo Municipal, Luiz Fernando Jamur, o presidente do Ippuc, Reginaldo Reinert, e Mauro Magnabosco, também do instituto; Ana Márcia Gonzales, da Secretaria Municipal de Urbanismo, e a administradora da Regional Matriz, Guacira Civolani.

ART NOUVEAU

Exemplar arquitetônico desenhado com linhas art nouveau, o prédio foi construído em 1915 pelo então prefeito Cândido de Abreu para ser um mirante no então ponto mais alto urbanizado da capital.

A edificação teve outros usos, tendo sido, nos anos 20, sede da primeira rádio do Paraná, a Rádio Clube Paranaense. Na década de 30 passou a ser Observatório Astronômico da antiga Faculdade de Engenharia do Paraná e, em 1962, sede da União Cívica Feminina Paranaense.

Anos mais tarde, em 2008, o prédio foi usado como posto da Polícia Militar e, entre 2012 e 2014, transformado no primeiro Centro Estadual de Defesa dos Direitos da População em Situação de Rua.

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop