Levantamento aponta 26 bairros com risco médio em relação ao Aedes

16/07/17 às 10:56 - Atualizado às 12:31 PMP
(foto: Arquivo/Secom/PMP)

A Secretaria Municipal de Saúde e Prevenção (Semsap) de Paranaguá realizou recentemente o Levantamento Rápido de Índices para Aedes Aegypti (LIRAa), que apontou risco médio de proliferação do mosquito transmissor da dengue, zika, chikungunya e febre amarela em 26 bairros de Paranaguá. A situação é preocupante e continua sendo importante a colaboração da população da cidade para não manter em seus quintais objetos que acumulem água e assim se tornem criadouros do inseto.

O levantamento foi feito na semana passada em 2.423 residências e 24 terrenos baldios. De acordo com a responsável pelo setor de Vigilância Ambiental e Riscos Biológicos da Semsap, Eliniz do Rocio Mendes, o trabalho usou como metodologia a escolha de um quarteirão inteiro do bairro para inspecionar. “A gente faz a inspeção em uma casa e escolhe o quarto imóvel seguinte. Caso ele esteja fechado, faz o seguinte, ou à esquerda ou à direita. Desta forma verificamos se há criadouros no local”, explica.

Foram 11 equipes de agentes de endemias que percorreram todas as regiões de Paranaguá. Foi nas áreas definidas como Laranja, Azul e Roxa que a situação estava mais preocupante. Elas abrangem os seguintes bairros: Porto dos Padres, Vila Guarani I e II, Cruzeiro, Alboit, Auto Estrada (Vila Paranaguá), Araçá, Rocio, Serraria do Rocha, Jardim Iguaçu, Emboguaçu, Iguaçu, Samambaia, Sítio Cruzeiro, Parque Agari, Jardim Figueira, Vila do Povo, Colônia Santa Rita, Alvorada, Bockman, Campo Grande, Centro, Costeira, Leblon, Ponta do Caju e Palmital.

O secretário municipal de Saúde e Prevenção, Paulo Henrique de Oliveira, lembra que os agentes de endemias estão nestas áreas intensificando os trabalhos de remoção de criadouros e que a situação é preocupante. “Estamos a poucos meses de iniciar o verão, que tem um registro maior de chuvas, e isso nos preocupa bastante. A população tem que assumir essa responsabilidade, porque nós, como poder público, estamos fazendo nossa parte”, garantiu o secretário.

O prefeito Marcelo Roque ressalta os esforços realizados desde o início do ano para combater o Aedes Aegypti, como mutirões em todos os bairros da cidade, com cerca de 300 pessoas, entre servidores e cargos comissionados, para conscientização e remoção de criadouros, além de aplicação de inseticida com bomba costal e pelos carros fumacê, enviados pelo Governo do Estado. “Não adianta nada nos esforçarmos para realizar todas essas ações se o cidadão não mantiver seu quintal limpo e sem criadouros. Todo nosso esforço será em vão”, avaliou o prefeito.

No dia 10 deste mês foi iniciado trabalho nas áreas classificadas como de risco médio. Entretanto, o trabalho de prevenção vai continuar diariamente até beneficiar todos os bairros novamente, como vem ocorrendo desde o início do ano.

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop