Publicidade
Dossiê

Polícia Federal desmente “laranja” e investiga integrante do PSDB

A Polícia Federal desmentiu a versão apresentada por uma testemunha da investigação da origem do dinheiro apreendido na negociação de um dossiê contra políticos dos PSDB. Inicialmente, a testemunha, do município de Varginha (MG), afirmou que seria um “laranja” e teria emprestado a conta bancária para membros do PT. Após diligências, a PF descobriu que a versão era falsa e que uma integrante do PSDB teria apresentado a testemunha falsa.

A confirmação das informações foram dadas pelo superintendente da Polícia Federa em Cuiabá, Daniel Lorenz. Inicialmente a versão da testemunha falava que ele teria autorizado um depósito no valor de R$ 250 mil para que fossem sacados da conta dele em Pouso Alegre (MG). Posteriormente, o dinheiro seria entregue ao ex-coordenador da comunicação da campanha do candidato derrotado ao governo de São Paulo, Aloizio Mercadante.

“As investigações que foram desenvolvidos em Varginha e Pouso Alegre não se mostraram verdadeiras. E ele irá responder com falsidade ideológica”, disse o superintendente. Depois, a Polícia Federal investigou como a testemunha teria aparecido. Segundo os investigados, quem a apresentou a testemunha foi a secretária-executiva do PSDB no município de Pouso Alegre, Roseli Souza Pantaleão, que, por sua vez, assegurou que também foi “enganada” pela testemunha. 
Publicidade