Publicidade
Música

Oficina de Música 2007 com novidades

Serão 25 dias de atividades, com direito a volta da música antiga

A 25ª edição da Oficina de Música de Curitiba, pólo de formação de músicos e instrumentistas do país e exterior, será realizada de 7 a 31 de janeiro com inúmeras novidades. As principais inovações são relacionadas à duração da mesma, que passa de 17 para 25 dias, à volta da música antiga ao circuito e à inclusão do blues – pela primeira vez na Oficina. “Os alunos e a comunidade solicitaram a volta da música antiga e a inclusão desse gênero tão importante musicalmente que é o blues”, diz Janete Andrade, diretora artística da Oficina de Música de Curitiba.
Outra novidade é relacionada às fases da Oficina, que serão três. Na primeira fase, de 7 a 17 de janeiro, serão realizadas as oficinas de música erudita e antiga.  A música antiga retorna com toda força para essa oficina e já possui confirmado nomes como o do cravista Nicolau de Figueiredo e do violoncelista barroco Dimos Goudaroulis. A música erudita contará com nomes como o violinista chinês Yang Liu, que recebeu o primeiro prêmio no concurso nacional de violino da China, e com o retorno para essa edição do Trio St. Petersburg Virtuosen, que abriu a Oficina do ano passado.
No período de 15 a 19 de janeiro, a Oficina de Música Eletrônica – sucesso da edição anterior –  será realizada e, até o dia 20 de janeiro as regionais também terão os seus cursos.  A partir do dia 21 entra em destaque a terceira e última fase da Oficina com música popular e blues. Na música popular os alunos poderão participar de oficinas ao lado de Carlos Malta (flauta e conjunto de sopros) e André Mehmari (piano). No blues, André Christovam (guitarra) e Flavio Guimarães (harmônica) também estarão presentes.
Além da direção artística geral da Oficina, Janete Andrade será diretora de música erudita e das oficinas nos Núcleos Regionais. A direção de MPB continuará sendo compartilhada pelos músicos Sérgio Albach e Glauco Sölter, também responsáveis pelo circuito off, em bares da cidade. A música eletrônica continua no comando de James Pedrozo Pinto e Ricardo Kanji volta para a direção de Música Antiga. A novidade é a inclusão de Carlos Gaertner na direção de Blues.
A expectativa é de que mais de 1.500 alunos participem dos diversos cursos de instrumentos, prática de conjunto, canto e Stúdio Ópera, além de terem acesso a uma programação artística de excelência com concertos internacionais, com apresentações de alguns dos maiores músicos da atualidade e dos próprios alunos.
Inscrições — As inscrições podem ser realizadas até 31 de novembro pelos site www.oficinademusica.org.br, onde também estão todas as informações sobre cursos, professores e programação geral. Os participantes poderão inscrever-se em até três cursos por fase, observada a compatibilidade de horários. A taxa de inscrição, que não inclui material didático, é de R$ 100,00 (um curso), R$ 150,00 (dois cursos), R$ 180,00 (três ou mais cursos distribuídos nas duas fases), R$ 50,00 (minioficinas) – com períodos mais curtos de quatro a cinco dias de aula - R$ 15,00 (coral infanto-juvenil de 8 a 15 anos) e R$ 10,00 (cursos nas Ruas da Cidadania). As aulas serão ministradas nas Ruas da Cidadania do Bairro Novo, Boa Vista, Boqueirão, Pinheirinho, Santa Felicidade, Fazendinha e Cajuru.
Durante 25 dias de intensa programação, as aulas e concertos acontecerão em diversos espaços da cidade. As aulas serão no Colégio Estadual do Paraná, Colégio Estadual Professor Brandão, Solar do Barão, Clube Concórdia, Auditórios da Paraná Educativa e Círculo Militar para a primeira fase. As aulas de blues serão ministradas em alguns bares da cidade, parceiros da Oficina de Música de Curitiba. Os concertos também ocuparão vários espaços, como Teatro Guaíra, Teatro da Reitoria e Teatro do SESC da Esquina. A população também é esperada em grande número para os concertos, que terão preços acessíveis.

Serviço
Oficina de Música de Curitiba. Inscrições até 31 de novembro pelo site www.oficinademusica.org.br.

 

Publicidade