Publicidade
Música

Músicos Edith e Torrone em Buenos Aires

Integrantes do grupo Wandula se apresentam no Lycée Français no dia 22

Os músicos Marcelo Torrone e Edith de Camargo, integrantes do grupo paranaense de música contemporânea Wandula, se apresentam no próximo dia 22 de setembro no Lycée Français, em Buenos Aires. O nome do concerto argentino é Couleurs du Temps — mesmo título do segundo CD solo de Edith. Torrone participa do espetáculo como pianista convidado, mas também executa algumas de suas composições para piano, pinçadas de seu concerto mais recente, Piano Minimalista. Completam o repertório releituras das obras de Yann Tiersen, Gotan Project e Serge Gainsbourg.

É a primeira vez que Torrone e Edith se apresentam na Argentina. Com o Wandula, ambos já haviam se tocado em várias capitais brasileiras e também na Suíça.

Edith de Camargo nasceu na Suíça, na região de St. Gallen, e, aos seis anos, iniciou-se na música. Há uma década mora em Curitiba, onde estudou no Conservatório de Música Popular Brasileira e integrou o trio vocal As Três Marias — que pesquisava o repertório de cantigas antigas e madrigais europeus, assim como músicas regionais brasileiras. Participou como cantora do grupo de música contemporânea Contempo Sonoro, dirigido pelo compositor Chico Mello. Venceu o prêmio Gralha Azul na categoria de Melhor Trilha Sonora para Teatro com a peça Les Enfants du Paradis, dirigida por Flávio Stein.

Em 2001, lançou seu primeiro CD solo, Lilá. Composto e interpretado por Edith, o disco recebeu dois prêmios Saul Trumpet: os de Melhor Compositora Paranaense e Melhor Canção ("L’Allumette"). Seu segundo CD, Couleurs du Temps, foi lançado em 2003, com produção do escritor e compositor Sébastien Paul Lucien.

Atualmente, além de seu trabalho solo, Edith integra o grupo Wandula, ao lado do pianista Marcelo Torrone. Criado em 1999, o Wandula se caracteriza por possuir em sua formação músicos das mais variadas vertentes. Do popular ao erudito, do rock ao minimalismo, da chanson française ao jazz, tudo se harmoniza nas composições do quinteto. Considerado um dos maiores expoentes da música independente nacional, a banda já fez turnês nacional e internacional e lançou dois álbuns: Wandula e Wandula ao Vivo na Grande Garagem Que Grava.

Sobre Marcelo Torrone

Conhecido pelo seu trabalho com o Wandula (www.wandula.com) e por sua parceria com a cantora suíça Edith de Camargo, o músico iniciou sua carreira como compositor em 1993, quando realizou seu primeiro concerto, no Auditório Brasílio Itiberê, em Curitiba. Logo depois, gravou seu CD de estréia, Piano Works, que na época teve uma prensagem pequena (200 cópias) e esgotou-se rapidamente. Com um histórico extenso de composições originais para curtas-metragens de cineastas curitibanos — entre eles Nivaldo Lopes, o Palito, e Emerson Schmidlin —, Marcelo Torrone também compôs trilhas para realizadores independentes em Nova York (Roberto Minervini) e na Espanha (Jesús Bosque).

Seu último trabalho foi realizado para a peça de teatro Capitu, do diretor Edson Bueno e a atriz Janja. Além desta trilha, também compôs para o curta-metragem ainda inédito O Homem dos Olhos Mortos, de Nivaldo Lopes, inspirado nos últimos anos do escritor argentino Jorge Luis Borges.

Apaixonado e estudioso da música minimalista, Marcelo Torrone demonstra em suas peças influências nítidas deste gênero que faz uma ponte entre música e imagem — e, por isso, tão utilizado em cinema, teatro e também na dança contemporânea. Sua formação musical iniciou-se aos quatro anos, com sua avó adotiva, a professora Elvira Bittencourt Estrella, que despertou sua musicalidade e lhe deu suporte para estudar.

Publicidade