Publicidade
Temperatura mínima chegou a 1ºC

Agricultores da Grande Curitiba se preparam para enfrentar o frio intenso 

Produtores de hortaliças cobrem as plantações para minimizar os efeitos das geadas
Agricultores da Grande Curitiba se preparam para enfrentar o frio intenso 
Lonas plásticas contra a previsão de geada (Foto: Franklin de Freitas)

A Grande Curitiba registrou, ontem, temperatura mínima de 1,1ºC, a mais baixa deste inverno. Com isso, vários municípios tiveram a formação de geada de fraca a moderada. Com a previsão de mais frio intenso nesta manhã, produtores de hortifrutis da região se preparavam para proteger as culturas, cobrindo as plantações mais sensíveis com lonas e plásticos. A Grande Curitiba é responsável por cerca de 40% da produção de hortaliças no Estado, com mais de 3,5 mil toneladas por mês. Na Região Metropolitana a preocupação e os cuidados no campo começaram ainda em junho. 
Em Colombo além de mantas de TNT e lonas usadas durante a noite, para diminuir as consequências das geadas sobre a plantação, é comum também a utilização de estufas climatizadas para o cultivo de hortaliças. Totalizando, são aproximadamente 1.200 produtores no município. A mínima em Colombo chegou a 0,5ºC. “Algumas espécies são muito sensíveis e a quantidade de água absorvida pela planta, torna-se prejudicial em contato com a geada. Quanto maior a umidade, maior também será o impacto do frio, muitas vezes tornando a planta imprópria para o comércio”, explica o secretário de Agricultura e Abastecimento, Márcio Toniolo.
Na região de Colombo, a geada branca é mais frequente, e o prejuízo é menos avassalador, pois congela apenas a planta por fora. Já fenômeno climático conhecido como “geada negra” ou “geada preta” acontece quando queima a planta por dentro, deixando-as com aparência escura. “Embora, isso aconteça apenas quando se combina a baixa temperatura, ou seja, 0°C, com ventos intensos e ar seco”, ressalta o secretário.

 

DESTAQUES DOS EDITORES