Publicidade
Comporte-se

A zona confusa da pré-adolescência

Dos 10 aos 14 anos, profissionais da área de Saúde e Psicologia classificam esse ciclo como pré-adolescência ou adolescência inicial. Entretanto, pode também, cá entre nós, ser o limbo do crescimento, a zona desconhecida, a confusão dos jovenzinhos e também dos pais.

É quando nós, pais, avós, os adultos em geral somos repetitivos em dizer que eles são crianças para determinadas coisas e grandinhos demais para outras. Quem nunca?

Nessa transição da infância que se distancia, da mudança no corpo, nos sentimentos, da construção da autonomia, ficamos todos gravitando entre o "isso passa" ou na fúria em saber como nos posicionar.

Quem aqui se lembra dessa fase? Porque geralmente os pais passam de heróis para vilões, num sopro, num piscar de olhos. De ser exemplos, para os chatos. Daqueles que sabiam tudo, pra aqueles que agora não sabem nada. Mas volto a pergunta: você lembra quando estava nesse ciclo? Quais eram seus sentimentos? Você se abria? Sabia o que queria? As dúvidas eram suas fiéis companheiras

Por favor, escutem seus filhos - uma das atrizes mirins (nei sei se devo me referir dessa forma) do elenco PEÇA PARA ADULTOS FEITA POR CRIANÇAS, do Festival de Curitiba 2019, apresentada esse fim de semana, falou essa frase "por favor, escutem seus filhos", em entrevista coletiva. A menina foi clara ao dizer que muitas palavras soltas e aparentemente desconexas dos pré-adolescentes, estão cheias de comunicação. Não há uma forma muito definida, assim como eles. Mas qualquer ato em que se façam ser ouvidos, os ajudam no processo do crescimento.

Segundo ela, os quase adolescentes se sentem mais crianças do que adultos, porque suas emoções ainda não tem repertório. Nisso, as atividades ligadas à arte, esportes ou algo que desperte o processo de identificação deles, os ajudam na forma de se expressar e lidar com esse amadurecimento de forma mais natural.

Então concluo que nossa crianças querem o afago e ser compreendidas de um jeito peculiar. O fato de sentarmos alguns minutos, ouvir seus dramas, suas dificuldades, sem o conceito pronto de "frescura, rigidez como sinal de autoridade, foi assim qua aprendi e estou aqui viva" e uma infinidade de locuções adverbiais que formam pontos de vista, implantes que carregamos na construção de nosso ser, podem fazer a diferença na criação de um jovem, um adulto mais seguro e feliz, especialmente consigo mesmo.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES