Publicidade
Shortstay

Aluguel 'descomplicado' e por mês faz sucesso em Curitiba

Nova modalidade para alugar apartamentos mobiliados na Capital aposta em reserva online e por mês, dispensando fiador
Aluguel 'descomplicado' e por mês faz sucesso em Curitiba
Fabio Elton dos Santos no apartamento em que mora, alugado via Shortstay: “Flexibilidade e boa estrutura” (Foto: Franklin de Freitas)

Quem já tentou alugar um imóvel em Curitiba sabe que a tarefa pode ser árdua. Tem a necessidade de um fiador (alguém que se disponha a cobrir os pagamentos em caso de inadimplência) ou de realizar o depósito caução (no valor de três aluguéis do imóvel), além de toda a burocracia...
Mas se você está procurando por um apartamento e quer descomplicar, o mercado imobiliário curitibano já conta com uma opção que pode ser adequada. Na Shortstay Curitiba, o aluguel é por mês, com período mínimo de 30 dias, diretamente com a imobiliária, sediada na capital paranaense, e os apartamentos são obrigatoriamente mobiliados.
O valor de locação varia de R$ 1,6 mil a R$ 2 mil - à exceção da linha Premium, que engloba apartamentos mobiliados de alto padrão e luxo com aluguel mensal de até R$ 5,5 mil. No valor já estão inclusas todas as taxas (IPTU, condomínio e energia elétrica) e a maioria dos imóveis disponíveis têm Wi-Fi, TV a cabo e utensílios de cozinha. Alguns têm vaga de garagem (ou disponibilidade para locação) e até roupa de cama e de banho, além de possibilidade de contratação de serviço de limpeza. Na linha Premium, alguns contam ainda com serviço de café da manhã, concierge, spa e sauna.
De acordo com Fernanda Feres, sócia-fundadora da Shortstay Curitiba, a ideia de criar a empresa, fundada oficialmente em março de 2013, veio a partir de sua vivência no exterior (morou por cinco anos em Londres, na Inglaterra) e da percepção de que o nicho de locação mensal era pouco explorado pelo mercado imobiliário na Capital.
“Por ter passado por essa experiência, percebi que o sistema de locação daqui era muito rígido e havia muitas imobiliárias fazendo a mesma coisa. A regra é igual para todos: fiador e contrato mínimo de um ano. Já no exterior, é possível alugar um imóvel por uma semana ou um mês, com segurança, mas de forma descomplicada”, relata.
No início, Fernanda contava com a ajuda de apenas uma funcionária para ajudar a cuidar dos 15 apartamentos que faziam parte da carteira da empresa, sendo que todos foram ocupados em uma semana. Em junho de 2013, a empresa já estava com 50 unidades e ao final do mesmo ano, 100 unidades e três funcionários. “Hoje, temos mais de 400 studios e apartamentos mobiliados em carteira e 13 funcionários”, conta Fernanda.
 

Flexibilidade e agilidade na hora de alugar agrada aos inquilinos
Há um ano em Curitiba, Fabio Elton dos Santos, gerente de implantação de sistemas, é um dos clientes que já usou e aprovou os serviços da Shortstay. “Trabalhamos com projetos de implantação de sistemas. Por mais que tenha cronograma, tudo o que acontece é muito dinâmico, então precisava de um lugar que pudesse nos atender, tivesse flexibilidade e boa estrutura”, explica.
A maior avantagem, ainda segundo Fabio, foi o ambiente que acabou se criando entre a equipe de trabalho no período em que permaneceram na cidade. “A maior vantagem de todas, além do financeira, é ter uma integração maior da minha equipe. Aqui temos um ambiente familiar, não um lugar frio, como um hotel. Então, mesmo acabando o projeto, as amizades vão continuar para a vida toda. Essa foi a maior vantagem (em contratar a Shortstay) e nosso maior objetivo.”
Já Marcela Lazzaroni, que morou por 15 anos no exterior, destaca a flexibilidade da empresa e a atenção para com os clientes. “É tudo muito conversado, bem flexível até na hora de negociar, em explicar ‘pega por tanto tempo, vê se gosta, se não você se muda’. Achei muito bacana”, conta. “Tive também uma atenção bem especial. Na hora de alugar é muito bem explicado, você fala das suas necessidades, se precisa de pon to de ônibus, se quer silêncio, um lugar mais alto... Eles vão customizando. Não é só olhar online e é aquilo.”

Mesmo com a crise, crescimento é constante
Após registrar um crescimento de 100% em seus dois primeiros anos de existência, a Shortstay tem conseguido manter um crescimento na faixa de 20% ao ano desde 2015. Segundo explica Fernanda Feres, tal como na locação de temporada, na Shortstay é cobrado o valor integral do aluguel antecipado, e solicitado uma caução para cobrir despesas eventuais apuradas na saída do inquilino. Outro diferencial em relação à locação tradicional é a simplificação do cadastro: exige-se basicamente uma ficha cadastral, CPF, comprovante de renda ou Imposto de Renda. Como a entrada do inquilino se dá muitas vezes já no dia seguinte do contato com a imobiliária, o processo precisa ser ágil.
“Todos recebem muito bem, principalmente os inquilinos. Percebemos que os clientes estão cada vez mais voltados a ‘usufruir’ do que a ‘ter’, apostando em modelos colaborativos, como o Uber. As incertezas são grandes nesta crise que enfrentamos no nosso país, assim, as pessoas querem flexibilidade e agilidade de poder se movimentar, mudar de cidade, de ter novas experiências”, aponta a sócia-fundadora da Shortstay.
 

DESTAQUES DOS EDITORES