Aos 92, morre o comediante Lúcio Mauro

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Conhecido por seus papéis cômicos e longa trajetória ao lado do humorista Chico Anysio, o ator e comediante Lúcio Mauro morreu neste sábado (11), por volta das 22h, aos 92 anos.

Ele estava internado no Rio de Janeiro havia cerca de dois meses, com problemas respiratórios. O velório está previsto para ocorrer a partir das 9h de segunda (13) no Theatro Municipal do Rio.

Um dos personagens mais marcantes de sua carreira foi Aldemar Vigário, um aluno puxa-saco do programa Escolinha do Professor Raimundo, que sempre pintava um perfil heroico do professor interpretado por Anysio para conseguir notas mais altas.

Ao lado de Anysio, também atuou em "Chico City" (1973). Integrou ainda o elenco de "Os Trapalhões" nos anos 1980.

Pelo Instagram, seu filho, o também ator Lúcio Mauro Filho, afirmou que o pai "merecia esse descanso".

"Papai foi um pioneiro, saiu do teatro de estudante lá no Pará, foi pro Recife, fez rádio, inaugurou a televisão no Nordeste e veio para o Rio para se tornar um dos maiores artistas deste país. Me influenciou em tudo", escreveu o ator.

Lúcio de Barros Barbalho nasceu em Belém do Pará, em 14 de março de 1927.

Ator de teatro estudantil, aos 20 anos foi convidado a integrar a companhia teatral de Mário Salaberry, mas o projeto de excursionar por diversas cidades não foi concluído em razão da morte do diretor, num acidente de carro.

O ator estreante seguiu para Recife, onde iniciou a trajetória ao lado do também comediante Barreto Júnior. Começou a trabalhar na Globo em 1966, e passou a fazer parte do elenco dos principais programas humorísticos da emissora, entre eles "Zorra Total" e "A Grande Família".

Um de seus quadros mais populares era com o personagem Fernandinho, ao lado da atriz Sonia Mamede, a Ofélia, no programa "Balança Mais Não Cai", de 1968.

"Foi um ator que teve uma carreira menor do que o talento dele", disse Miguel Falabella. Ele dirigiu Lucio Mauro em "Polaróides Urbanas", longa de 2008 no qual o humorista interpretava um porteiro. "Era um gentleman. Vai deixar um buraco na comédia e no teatro do país."

Nas redes sociais, comediantes e atores falaram com carinho do ator. Bruno Mazzeo publicou em sua conta no Instagram uma foto em que, caracterizado como o professor da Escolinha do Professor Raimundo, posa com Lúcio Mauro e Lucio Mauro Filho.

Apresentadora do talk show "Lady Night", Tatá Werneck comentou na conta de Lucio Mauro Filho no Instagram: "Grande artista, e sei o quanto ele lutou". Além dela, outros que comentaram na imagem foram os atores Lázaro Ramos, Gregório Duvivier, Patrícia Pillar e Rodrigo Santoro.

Paulo Betti, que contracenou com Lucio Mauro em "A Mulher Invisível", em 2009 --ele ainda faria "Muita Calma nessa Hora", no ano seguinte, e "Vai que Dá Certo", em 2013-- afirmou que um dos grandes diferenciais do comediante era o timing para a piada.

Arlete Salles, sua primeira mulher, diz que "era fazendo comédia que ele se sentia mais conectado com a vida, divertindo o povo. O entretenimento favorito dele era conversar durante horas" .

Lúcio Mauro se casou duas vezes. O humorista deixa cinco filhos e cinco netos.