Publicidade
Libertadores

Após goleada, Athletico se prepara para 'jogo mental' contra o Boca Juniors

Jogadores do Athletico comemoram gol na Arena, na vitória sobre o Wilstermann
Jogadores do Athletico comemoram gol na Arena, na vitória sobre o Wilstermann (Foto: Valquir Aureliano)

O Athletico Paranaense volta a campo na Copa Libertadores em 2 de abril, às 21h30, quando recebe o Boca Juniors, pela terceira rodada do Grupo G. Até lá, o time do técnico Tiago Nunes vai se preparar para o 'duelo mental' contra o clube argentino, que já conquistou seis vezes o título da principal competição de clubes das Américas. “O Boca é uma equipe que tem potencial técnico imenso, com jogadores que desequilibram e finalizam. Falar da estrutura e da história é algo que não precisa. Mas temos totais condições de vencê-los, ainda mais jogando dentro dos nossos domínios. Temos uma equipe forte, mas temos que competir. Será um jogo mental, temos que estar num dia bom e com alto grau de competitividade”, disse Tiago Nunes, logo após a vitória por 4 a 0 sobre o Jorge Wilstermann, na Arena da Baixada, na última quinta-feira (dia 14).

Tiago Nunes acredita que o Athletico tende a evoluir nos próximos jogos. “Penso que temos potencial de melhora sempre, até pelo número pequeno de jogos que fizemos. No ano passado, atingimos a melhor performance lá pelo jogo 25 da temporada. É um processo natural que vamos ter que ir passando as etapas de maneira paulatina. Torço para que todos estejam bem para manter a regularidade”, declarou.

Sobre a goleada de quinta-feira, o técnico destacou a importância do saldo de gols em um grupo tão difícil. “A responsabilidade e a necessidade de vencer, né? Estamos disputando um torneio muito curto. Um 4 a 0 foi um placar construído, não achado. Importante lembrar que, em 2017, a gente se classificou no saldo de gols. É um quesito que tem grandes chances de ser definidor de classificação porque temos uma paridade muito grande”, comentou. “Tivemos uma atuação equilibrada, conseguimos produzir muito ofensivamente e pouco ofertamos de espaço. Um saldo muito positivo da atuação de hoje. O coletivo foi muito bom, desde a primeira fase de construção lá atrás, com o Santos, até a fase terminal. Mais de 20 finalizações, tenho certeza que todos estão muito felizes”, completou.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES