Publicidade

Após uma semana de adiamento, Nigéria vota para presidente

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Após uma semana de adiamento, a Nigéria, maior produtor de petróleo da África e dono da maior população do continente, vota neste sábado (23) para eleições presidenciais e legislativas, com uma disputa acirrada entre o presidente Muhammadu Buhari e seu principal opositor, Atiku Abubakar.

Os 120.000 locais de votação abriram as portas às 4h (horário de Brasília), mas em vários pontos o material eleitoral não estava pronto e as filas eram longas.

Os eleitores nigerianos também renovarão as 360 cadeiras da Câmara dos Deputados e as 109 do Senado.

Buhari, 76, foi um dos primeiros a votar em Daura, sua cidade natal. "Até aqui tudo bem. Em breve vou comemorar a vitória. Serei o vencedor", declarou.

Seu principal rival, Abubakar, 72, votou em Yola, em seu estado natal de Adamawa (nordeste).

O ex-general Buhari, do Congresso dos Progressistas (APC), que já havia governado o país em 1983, durante o período da ditadura militar, conserva um grande apoio na região norte do país, apesar do polêmico balanço econômico de sua gestão.

Abubakar, do Partido Popular Democrático (PDP), principal movimento de oposição, também nasceu na região norte do país e é muçulmano como o atual presidente.

O empresário milionário, alvo de suspeitas sobre a origem de sua fortuna, é o candidato das classes média e alta, mas estas tradicionalmente comparecem em pequeno número às urnas.

DESTAQUES DOS EDITORES