Publicidade
Brasileirão

Artilheiro marca, mas Atlético perde em Chapecó e amplia jejum

Artilheiro marca, mas Atlético perde em Chapecó e amplia jejum
Chapecoense x Atlético (Foto: Rodrigo Goulart/Diário do Iguaçu)

O Atlético Paranaense perdeu por 2 a 1 para Chapecoense, nessa quinta-feira (dia 13), na Arena Condá, em partida adiada da 20ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o time paranaense ficou em 14º lugar, com 27 pontos. Foi a terceira derrota consecutiva da equipe rubro-negra. A equipe catarinense está na 16ª colocação, com 25 pontos. Clique aqui para ver a classificação no site Srgoool

O gol do Atlético foi marcado pelo atacante Pablo. Ele é o artilheiro do time no Brasileirão, com oito gols em 23 jogos. E aparece em quinto na artilharia geral da competição, empatado com Diego Souza (São Paulo), Nenê (São Paulo) e Willian (Palmeiras).

O resultado ampliou o jejum do Atlético como visitante. O time ainda não venceu fora de casa na competição, agora somando cinco empates e oito derrotas longe da Arena da Baixada. 

No Brasileirão 2018, a Chapecoense só perdeu uma partida em casa (para o Palmeiras). Nos demais jogos como mandante, cinco vitórias e cinco empates.

DESEMPENHO
O Atlético não fez uma boa partida. Errou demais na saída de bola e não conseguiu sair da forte marcação da Chapecoense, que teve grande desempenho coletivo, mas alto índice de erros individuais. O time paranaense teve problemas na marcação, cedendo espaços nas laterais e no meio-campo, além de sofrer no jogo aéreo defensivo. 

ARBITRAGEM
O Atlético reclamou de pênalti não marcado, aos 23 minutos do 1º tempo. No lance, Bruno Guimarães dribla dois, invade a área e cai ao ser desarmado por Thyere e Márcio Araújo. O lance é confuso, de difícil visualização para o árbitro e depende de interpretação. A imagem da TV dá a impressão que o jogador do Furacão foi derrubado. Em outra jogada, aos 40 do 2º, Renan Lodi caiu na área ao ser desarmado e pediu pênalti. A imagem dá a impressão que não houve falta.

TABU
O time paranaense nunca venceu a Chapecoense em Chapecó. Foram três vitórias da equipe catarinense e quatro empates em toda história.

FASES
O time paranaense é o sétimo melhor do Brasileirão no período pós-Copa do Mundo. Foram cinco vitórias, três empates e quatro derrotas nesse período. Já a Chapecoense somou duas vitórias, cinco empates e cinco derrotas nesse período.  

TÉCNICO
O técnico Tiago Nunes soma agora sete vitórias, quatro empates e quatro derrotas no comando do time principal do Atlético. 

ESCALAÇÃO
Os desfalques no Atlético eram Lucho González, Nikão e Jonathan, todos suspensos. Recuperado de lesão, Paulo André ficou no banco. O esquema tático foi o mesmo 4-2-3-1 de sempre. A Chapecoense não tinha Capixaba, Fabrício Bruno, Hiago, Khevin, Neto, Perotti, Vinicius Freitas e Moisés Ribeiro.

PRIMEIRO TEMPO
A Chape foi melhor na primeira etapa. Aplicou forte marcação e não permitiu trocas de passes do Atlético pelo meio-campo. O ponta Victor Andrade teve facilidade para começar as jogadas ofensivas pela esquerda e finalizar com perigo. Já o time paranaense incomodou em dois contra-ataques, uma jogada individual de Bruno Guimarães e uma cobrança de escanteio.

SEGUNDO TEMPO
O segundo tempo seguiu com domínio da Chape. O Atlético falhava demais na saída de bola e vivia de contra-ataques esporádicos. Em um deles, aos 15, Pablo aproveitou cruzamento de Renan Lodi e marcou de cabeça: 1 a 0. Aos 22, Tiago Nunes mudou. Tirou o ponta Rony e colocou o volante Rossetto. Não adiantou. A Chape continuou melhor e pressionando. O empate veio aos 32. Bruno Silva cruzou rasteiro, a bola bateu em Bruno Guimarães e enganou o goleiro Santos. Aos 42, a virada do time catarinense, após pressão na área. Bruno Silva cruzou e Leandro Pereira cabeceou: 2 a 1. 

ESTATÍSTICAS
Em 90 minutos, o Atlético-PR somou 11 finalizações (5 certas), 51% de posse de bola, 77% de eficiência nos passes e 4 escanteios. A Chape arrematou 16 vezes (3 certas) e teve 49% de posse de bola, 76% de eficiência nos passes e 8 escanteios. Os dados são do WhoScored.

CHAPECOENSE 2 x 1 ATLÉTICO
Chapecoense: Jandrei, Eduardo, Thyere, Bareiro e Bruno Pacheco; Elicarlos e Márcio Araújo (Canteros); Doffo (Bruno Silva), Diego Torres (Yann Rolim) e Victor Andrade; Leandro Pereira. Técnico: Guto Ferreira 
Atlético: Santos; Diego Ferreira, Thiago Heleno, Léo Pereira e Renan Lodi; Wellington e Bruno Guimarães (Plata); Marcinho, Raphael Veiga (Bergson) e Rony (Rossetto); Pablo. Técnico: Tiago Nunes
Gols: Pablo (15-2º), Bruno Guimarães, contra (32-2º), e Leandro Pereira (42-2º)
Cartões amarelos: Bruno Guimarães, Pablo, Diego Ferreira (A). 
Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza (SP)
Público: 4.146 total
Local: Arena Condá, em Chapecó

PRINCIPAIS LANCES
Primeiro tempo

14 – Victor Andrade ganha a dividida com Diego na meia-lua e chuta perto, ao lado.
15 – Diego Torres invade a área e cruza. Victor Andrade, livre, cabeceia para fora.
23 – Bruno Guimarães dribla dois, invade a área e cai ao ser desarmado por Thyere. O Atlético pede pênalti. Lance polêmico.
34 – Veiga cobra pênalti na 1ª trave. Thiago Heleno quase marca.
35 – Falta perto da área. Diego Torres bate no ângulo. Santos espalma.
38 – Contra-ataque. Marcinho arrisca de fora da área. A bola vai sobre o gol.
40 – Victor Andrade finta um e chuta de perto da área. A bola passa perto.

Segundo tempo
8 – Eduardo cruza da direita. Leandro Pereira cabeceia perto, ao lado.
11 – Veiga recebe na área, gira e chuta. A zaga bloqueia.
15 – Gol do Atlético. Renan Lodi cruza da esquerda. Pablo cabeceia no canto.
17 – Rony chuta do bico da área. Jandrei espalma no canto.
21 – Escanteio. Leandro Pereira cabeceia perto, sobre o gol.
22 – Diego Torres pega rebote na área e chuta ao lado.
32 – Gol da Chape. Bruno Silva avança pela direita e cruza rasteiro. A bola bate em Bruno Guimarães e entra. Gol contra.
40 – Renan Lodi cai na área ao tentar o drible e pede pênalti.
42 – Gol da Chape. Bate e rebate na área. Bruno Silva cruza e Leandro Pereira, livre na pequena área, cabeceia.

DESTAQUES DOS EDITORES