Publicidade
Na Venezuela

"Artista canibal" que pintava telas com sangue de vítimas é preso

Reprodu\u00e7\u00e3o
Reprodu\u00e7\u00e3o (Foto: Reprodução)

A policia da Venezuela prendeu ontem na cidade de Barlovento, localizada a cerca de duas horas de Caracas, um criminosos chamado Luis Alfredo Hernández González. O homem, que tem sido chamado de "artista canibal", é suspeito de usar o sangue e cinzas de sua vítima, um fazendo que estava desaparecido há dias, como tinta para pintar uma tela.

Aos policiais do Corpo de Investigações Científicas, Penais e Criminalísticas (CICPC), responsável pelas investigações, González já chegou até a admitir o crime durante interrogatórios. 

Ele, contudo, afirma que foi contratado pela própria vítima para que executasse o estranho "serviço funerário", o qual consistia em "matar, devorar e usar o sangue e cinzas" do fazendeiro para "pintar telas", segundo explicou Douglas Rico, diretor do CICPC.

Na fazenda da vítima, restos de ossos e documentos pertencentes a pessoas de fora da propriedade, além de outras pinturas suspeitas, foram encontradas por policiais. Agora, as investigações tentam descobrir se esses documentos coincidem com a de cidadãos declarados desaparecidos, para averiguar se González não seria um serial killer.

Segundo a imprensa venezuelana, ainda não foi revelada a identidade da vítima, bem como não foi indicado se o canibal confessou ter cometido outros homicídios. De toda forma, a frieza de suas declarações sugerem se tratar de um criminosos com transtornos mentais graves.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES