Publicidade
Justiça

Atacante tenta rescindir contrato com o Coritiba

Atacante tenta rescindir contrato com o Coritiba

O atacante Gustavo Mosquito, 20 anos, entrou na Justiça do Trabalho para pedir rescisão de seu contrato com o Coritiba. As informações são do site UOL. O jogador tem vínculo até setembro de 2018. Na ação, ele alega atrasos nos depósitos do FGTS. No entanto, a desembargadora Rosalie Michaele Bacila Batista negou o pedido. O processo segue tramitando na Justiça e uma sentença (decisão definitiva) poderá sair nas próximas semanas.

Mosquito foi artilheiro do Campeonato Brasileiro Sub-20 de 2017 com nove gols. O Coxa terminou como vice-campeão no torneio. O jogador tem contrato até setembro deste ano. Pela legislação, seis meses antes do final do vínculo, a multa rescisória tem uma redução drástica no valor.

Caso o atleta deixe o clube livremente, sem pagar a rescisão, o Coritiba ficaria apenas com a parcela referente ao mecanismo de solidariedade da Fifa, que chega no máximo a 5% do valor da transferência. Por esse dispositivo, o clube formador recebe essa porcentagem toda vez que o jogador é vendido. A porcentagem dos clubes formadores é divida desta forma: dos 12 aos 15 anos, as equipes garantem 0,25% por ano e dos 16 aos 23 anos, as equipes ficam com 0,5% do valor. Ou seja, chega no máximo a 5%.

A diretoria do Coritiba vem tentando a renovação contratual desde o início do ano. No entanto, o jogador não concorda com o valor da multa rescisória sugerida pelo clube.

Segundo o blog da jornalista Nadja Mauad, o clube apresentou a proposta de multa rescisória de R$ 80 milhões para transferências dentro do Brasil e de 30 milhões de euros para o Exterior. Depois, o Coxa concordou em baixar o valor para R$ 20 milhões. A diretoria propôs três anos de contrato, com salários de R$ 30 mil no primeiro ano, R$ 40 mil no segundo e R$ 50 mil no terceiro. Já os empresários queriam multa de R$ 3 milhões.

Mosquito participou da pré-temporada do Coritiba em Foz do Iguaçu e treinou como titular nos primeiros trabalhos. Em seguida, porém, a diretoria avisou que jogadores com problemas contratuais não poderão ser escalados. Com isso, ele e o volante Galdezani ficaram fora dos planos do técnico Sandro Forner.

 

 

Publicidade