Publicidade
Na Bolívia

Athletico desafia invencibilidade de oito anos do Wilstermann na Libertadores

Camacho: "Tem que ter calma e paciência"
Camacho: "Tem que ter calma e paciência" (Foto: Valquir Aureliano)

O Athletico Paranaense desafia nesta quarta-feira (dia 24) uma invencibilidade de oito anos do Jorge Wilstermann. Os dois se enfrentam pela quinta rodada do Grupo G da Copa Libertadores 2019. O time brasileiro garante a vaga para as oitavas de final com uma vitória. Se empatar, fica classificado no caso de vitória do Boca Juniors sobre o Tolima, nesta quarta-feira, na Colômbia. Caso contrário, a decisão fica para a sexta e última rodada do Grupo, em 9 de maio, quando o Furacão pega o Boca na Bombonera.

O Wilstermann tem uma invencibilidade de oito anos. Não perde em casa pela Libertadores desde 2011. A última derrota foi em 16 de março, por 4 a 1, para o Internacional. Depois daquela partida, o time boliviano recebeu dez adversários em Cochabamba, somando sete vitórias e três empates.

A INVENCIBILIDADE

Do Wilstermann em casa, na Libertadores

Placar

Ano

1x4 Internacional-BRA

2011

0x0 Emelec-EQU

2011

2x1 Jaguares-MEX

2011

6x2 Peñarol-URU

2017

2x1 Tucumán-ARG

2017

3x2 Palmeiras-BRA

2017

1x0 Atlético-MG

2017

3x0 River Plate-ARG

2017

2x2 Oriente Petrolero-BOL

2018

4x0 Vasco-BRA

2018

0x0 Boca Juniors-ARG

2019

O poderio do Wilstermann em casa vem da altitude de 2.500 m Cochabamba, que interfere na capacidade física dos jogadores e na velocidade da bola. Apesar desse retrospecto, o técnico do Athletico, Tiago Nunes, não demonstrou preocupação com esse aspecto. “Existe uma diferença significativa de jogar na altitude. A velocidade do jogo é outra, e a própria questão física é afetada. Mas nosso departamento de fisiologia e os próprios médicos já nos informaram que esses efeitos se acentuam em torno de 3 mil metros, o que não é o caso. Existe um efeito de altitude, mas vai ser mínimo”, declarou o treinador do Athletico.

O clube não tem bom retrospecto na altitude em competições oficiais. Nas cinco partidas nessas condições, o Furacão nunca venceu.

O RETROSPECTO

Do Athletico na altitude

Placar

Altitude

5x5 Bolívar-BOL

3600

1x2 Olmedo-EQU

2700

1x4 Pachuca-MEX

2400

1x2 Strongest-BOL

3600

0x1 Millonarios-COL

2600

O volante Camacho, 29 anos, afirmou que o Athletico precisa se adaptar às características do jogo na altitude. “Já joguei uma vez e é complicadíssimo. Tem que ter calma e paciência, ser inteligente em campo. Não dá para fazer correria o jogo todo, porque isso é melhor para eles. Mas temos um elenco maduro e que saberá fazer um grande jogo lá”, disse o jogador, para o site oficial do clube.

ESCALAÇÃO
O Athletico não terá o zagueiro Thiago Heleno, que não viajou à Bolívia por uma “limitação fisiológica”. “Ele apresenta uma pré-disposição genética sanguínea. Por isso, em altitudes elevadas, não tem condições adequadas para exercer a prática esportiva”, explicou o clube. Outros desfalques são o volante/meia Lucho González e o lateral-direito Madson, ambos com lesões musculares. Paulo André pode entrar na zaga. A vaga de Lucho deve ficar com Tomás Andrade.

ESQUEMA TÁTICO
Tiago Nunes vem usando o esquema tático 4-1-4-1 como base em 2019, com apenas Camacho como volante. A linha de quatro fica com Nikão (direita), Rony (esquerda), Bruno Guimarães (centro) e Tomás Andrade (centro). Em momentos estratégicos, o time varia para o 4-2-3-1, com Tomás Andrade avançando para a linha de três, junto com Nikão e Rony.

ADVERSÁRIO
O Wilstermann decidiu demitir o técnico espanhol Miguel Angel Portugal, 63 anos, no último domingo. A equipe será comandada pelo interino Norberto Kekes, auxiliar argentino, na partida desta quarta-feira (dia 24). O clube está na sexta posição no campeonato nacional, após 19 rodadas.

Portugal estava no Wilstermann desde dezembro. Desde então, somou dez vitórias, quatro empates e nove derrotas. Na Libertadores, o time somou dois empates e duas derrotas no Grupo G.

Norberto Kekes avisou que fará mudanças na equipe, mas não citou nomes.

J.WILSTERMANN x ATHLETICO
Wilstermann: Arnaldo Giménez; Meleán, Alex Silva, Ballivián e Aponte; Saucedo e Jorge Ortiz; Cristian Chávez, Serginho e Ricardo Pedriel; Gilbert Álvarez. Técnico: Norberto Kekes
Athletico: Santos; Jonathan, Paulo André (Robson Bambu), Léo Pereira e Renan Lodi; Camacho; Bruno Guimarães, Tomás Andrande, Nikão e Rony; Marco Ruben. Técnico: Tiago Nunes
Árbitro: Mario Díaz de Vivar (Paraguai)
LocaL: Estádio Félix Capriles, em Cochabamba, na Bolívia, quarta-feira, às 19h15 (de Brasília)

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES