Publicidade

Atlético-PR quer derrubar jejum para fazer história

De um lado, o Grêmio, tetracampeão da Copa do Brasil. Do outro, o Atlético-PR, que pela primeira vez joga a semifinal da competição e sonha com seu primeiro título. A última vez que os gaúchos, conhecidos por seu estilo copeiro, venceram a Copa do Brasil foi em 2001, mesmo ano em que o Furacão venceu seu primeiro Campeonato Brasileiro (os gaúchos já levantaram a taça duas vezes, a última em 1996).

A partir das 21h50 desta quarta-feira (6), a história desses dois clubes irão se cruzar na Arena do Grêmio. O rubro-negro entra em campo com a vantagem mínima conquistada no jogo de ida, na Vila Capanema. Mas nenhum caminho de flores conduz à glória e o Atlético-PR deve estar preparado para mais uma guerra. Uma partida muito difícil, em especial se levado em consideração o histórico de confrontos entre as equipes. 

Dia 27 de fevereiro de 1983. Com gols de Capitão e Washington, o Atlético-PR venceu o Grêmio, que ainda descontou com Leandro, 
no Olímpico. Naquele ano, os gaúchos se sagrariam campeões da Libertadores e do Mundial de Clubes. Uma vitória e tanto para o rubro-negro. A última vitória no território inimigo, inclusive (contando jogos da Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro).

Desde então, o Imortal Tricolor recebeu o Furacão em 16 vezes. Foram 12 triunfos dos gaúchos e quatro empates – o último deles em julho de 2007. Lutando contra esse retrospecto negativo, o embalado Atlético-PR – que tomou a vice-liderança do Campeonato Brasileiro dos gaúchos na última rodada – quer fazer história. 

Última vitória

Em jogos válidos por Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil a última vitória foi rubro-negra fora de casa foi no século passado. Contudo, se levados em consideração os jogos válidos pela extinta Copa Sul-Minas, o jejum rubro-negro é amenizado: em abril de 2002, o time gaúcho foi humilhado no Olímpico: 5 a 1 em partida válida pela primeira rodada das semifinais da competição. Os gols do Furacão, que venceu de virada, foram marcados por Adriano Gabiru, Adauto (3) e Alex Mineiro. Rodrigo Fabri havia aberto o placar para os gaúchos - ele acabou expulso no segundo tempo, assim como Fábio Baiano, também do Tricolor (confira acima os lances da partida).

Foguetório


Para tentar atrapalhar o sonho dos jogadores do Atlético-PR, gremistas soltaram fogos de artifício na madrugada desta quarta-feira (6), em frente ao hotel em que esta hospedado o elenco atleticano, em Porto Alegre. 

Antes da primeira partida entre as equipes, em Curitiba, a torcida do rubro-negro havia tentado atrapalhar o sono dos gremistas, que agora deram o troco. Além das duas baterias de fogos, dois torcedores fingiram ser clientes,  entraram no hotel e soltaram bombinhas no saguão para tentar acionar o sistema de incêndio.

Grêmio tem morrido na praia

Apesar da tradição copeira, o Grêmio não tem dado sorte nos últimos anos em que disputou a Copa do Brasil. A última vez em que a equipe esteve na final foi em 2001. Desde então, a equipe chegou duas vezes até a semifinal da competição, em 2010 e 2012. Acabou sendo eliminado por Santos e Palmeiras, respectivamente. As duas equipes paulistas, inclusive, viriam a se sagrar campeões. Bom presságio?


Quem vencer decide fora

A
Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou nesta quarta-feira o sorteio dos mandos de campo na final da Copa do Brasil. Acabou decidido que o vencedor da partida entre Grêmio e Atlético-PR irá jogar a primeira partida da final em casa contra o vencedor do confronto entre Flamengo e Goiás. Ou seja, se chegar à final, o Atlético-PR irá decidir a competição fora de casa, no dia 27 de novembro. A primeira partida da decisão acontecerá no dia 20 de novembro.

Grêmio x Atlético-PR
Grêmio: Dida; Pará, Bressan, Rhodolfo e Alex Telles; Souza, Ramiro e Riveros; Vargas, Kleber e Barcos. Técnico: Renato Gaúcho.

Atlético-PR: Weverton; Léo, Manoel, Luiz Alberto e Juninho; Deivid, João Paulo, Everton e Paulo Baier; Marcelo (Dellatorre) e Ederson. Técnico: Vagner Mancini

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)

Local: Arena do Grêmio, quarta-feira às 21h50

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES