Publicidade
Pente-fino

Auditoria nos gastos com pessoal pode garantir economia de R$ 500 milhões, diz Ratinho Jr

Ratinho Jr: "A gente acredita que no Paraná é possível chegar em 2% da folha com alguns equívocos de pagamento"
Ratinho Jr: "A gente acredita que no Paraná é possível chegar em 2% da folha com alguns equívocos de pagamento" (Foto: Valquir Aureliano)

O governador Ratinho Júnior (PSD) afirmou hoje que a auditoria nos gastos com a folha de pagamento de servidores públicos da ativa, aposentados e pensionistas pode garantir ao Estado uma economia de R$ 500 milhões ao ano, o equivalente a 2% do total da despesa com pessoal. Ratinho Jr anunciou o lançamento de um edital de licitação para a contratação de uma empresa para promover uma auditoria externa nesses gastos. Segundo ele, já foram identificadas irregularidades pontuais, e a intenção é ampliar esse levantamento, auditando também os gastos com a previdência. A previsão do governo é que o trabalho leve seis meses.

“Nós estamos revendo qualquer tipo de 'furo' que possa ter, pagamento em duplicidade, horas extras que são pagas muitas vezes sem haver o direito. Pensões, pagamentos da previdência que muitas vezes a pessoa já faleceu e continua sendo feito o pagamento. Nós vamos fazer toda uma 'peneira'”, explicou o governador.

“Segundo alguns levantamentos de outros exemplos, em outras áreas, prefeituras e outros estados que fizeram geralmente dá uma margem importante de volume de recursos. A gente acredita que no Paraná é possível chegar em 2% da folha com alguns equívocos de pagamento. Mais de R$ 500 milhões por ano se concretizar isso”, estimou ele.

Siafi - No último dia 10, o secretário de Estado da Fazenda, Renê Garcia Junior, anunciou a criação de uma força-tarefa, para auditar as contas do Estado, alegando não ter como como dizer quanto recebeu de saldo em caixa, nem quanto herdou de “restos a pagar” da administração anterior da ex-governadora Cida Borghetti (PP) em razão de problemas no Sistema Integrado de Finanças Públicas do Estado (Siafi). Segundo o governador, esse mesmo problema impede que a Secretaria de Estado da Administração tenha conhecimento preciso sobre a regularidade dos gastos com servidores. 

“Já identificamos, assim, de forma muito superficial. Até pela falta de informação de software, de sistema de tecnologia deixa muito nebuloso se realmente os dados são aqueles que estão ali. Então é necessário ter uma auditoria para avalizar se tudo o que está acontecendo está certo ou não”, disse hoje Ratinho Jr. “Ela (a Secretaria de Administração) não tem essa capacidade hoje porque muita informação não tem ali. Você veja pelo Siaf. Nós não temos informação do que está acontecendo na Fazenda. Então tem muita coisa que tem que ser auditada para ver se os dados que estão nas áreas de informação estão batendo”, alegou ele.

Leia mais no blog Política em Debate

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES