Publicidade
POLÊMICA

Bancada evangélica prega boicote ao ‘Porta dos Fundos’

Amaro (Repub): “Não aceitamos”
Amaro (Repub): “Não aceitamos” (Foto: Dálie Felberg/Alep)

Deputados da bancada evangélica da Assembleia Legislativa defenderam ontem um boicote ao especial de Natal do grupo humorístico “Porta dos Fundos”, intitulado “A primeira tentação de Cristo” e à Netflix, que disponibilizou o programa. As críticas foram puxadas pelo deputado estadual Alexandre Amaro (Republicanos), pastor da Igreja Universal do Reino de Deus, que recebeu apoio de vários parlamentares.
O episódio se passa no aniversário de 30 anos de Jesus e satiriza seu retorno após 40 dias de jejum no deserto. No vídeo, Jesus, interpretado por Gregório Duvivier, tem um amigo interpretado por Fábio Porchat, com quem vive um romance, e José e Maria contam para o filho que Deus é seu verdadeiro pai.
“O filme comete vilipêndio a objeto de cunho religioso, o que é crime, segundo o Código Penal”, alegou Amaro. “Nós aqui na Assembleia não aceitamos esse tipo de situação”, afirmou ele, que disse falar em nome da bancada evangélica da Casa, que tem dez parlamentares.
Amaro comentou ainda que em 2018, o “Porta dos Fundos” já teria atacado a religião com outro especial de Natal “Se beber, não ceie”, ironizando a última ceia de Jesus e seus apóstolos. “Eu não assisti o filme, mas tive a curiosidade de ver no You Tube somente um minuto e meio. Foi o suficiente para saber quanta besteira eles fizeram”, disse.
Petição - O deputado comentou que uma petição online para a retirada do ar do programa teria obtido mais de 500 mil assinaturas. “Se eles não retirarem nós cancelamos as assinaturas”, ameaçou. Os deputados Márcio Pacheco (PDT), Mara Lima (PSD) – que é cantora gospel – e Soldado Fruet (PROS) apoiaram Amaro. “Sei que não é o cancelamento da minha assinatura na Netflix que vai fazer diferença. Mas talvez outros possam inspirar também e fazer o cancelamento”, disse Pacheco.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES