Publicidade
Machete Bomb

Banda curitibana lança álbum com muitas participações

A banda curitibana de heavy samba Machete Bomb lança o álbum MXT coMvida, que mistura rap, samba e heavy metal, mas também tem drum’n’bass, reggae, ragga e dubstep. São 14 faixas onde artistas convidados narram em livre interpretação o momento de superação do produtor e líder da banda, Madu Madureira (cavaquinho), sem deixar a crítica sócio-política de lado.

O projeto representa o redescobrimento de Madu como pai, ainda em luto familiar, e como artista, em um redescobrimento com novas parcerias musicais. Incentivado por amigos a não parar após ficar viúvo, ele se viu na possibilidade de encontrar um foco e se dedicar à carreira novamente.

“Com um peso de uma depressão forte, eu contei com a ajuda de alguns amigos e a música para tentar me levantar. Todos os artistas convidados têm uma certa relação com a história que passei. Muitos eram amigos da Dani e todos tem um motivo especial para fazer parte. O Fred 04, por exemplo, foi quem me inspirou a tocar cavaquinho e a Dani me deu o cavaco de tanto que eu falava em Mundo Livre S/A. É uma obra feita por amigos e por pessoas que se admiram”, conta Madu.

MXT coMvida abre com o Alexandre Duyaer falando sobre o momento difícil que Madu passou e em como ele está sendo resiliente ao produzir esse álbum. Ao longo da obra, há a participação de diversos artistas nacionais de diferentes gerações e projeções. “Central”, música inédita e um presente de Andó e Dedé Paraízo (Demônios da Garoa) especialmente para o projeto, ganhou colaboração da Mulamba e TUYO; “Nunca Mais” e “Que Loucura”, de Odair José, ganhou remake de Dow Raiz e BNegão, Pete Mcee e Pecaos, além de ter o próprio Odair cantando. MXT coMvida é uma obra rica e diversa, que passeia entre a alegria do samba, o ritmo e poesia do rap, o peso do vocal gutural e a modernidade de batidas eletrônicas.

O álbum é costurado por vinhetas entre as faixas, mostrando logo após cada canção como os respectivos artistas convidados interagiram com Madu, ilustrando o processo de produção, confirmando a amizade que ele tem com essas pessoas. Nenhuma participação foi uma escolha impessoal com o objetivo de promover o disco.

Desde novembro de 2019, o Machete Bomb foi lançando as músicas como singles. Sete delas ganharam lives, que também já foram apresentadas para o público. Além da intro, vinhetas e música de agradecimento que fecha o álbum, o remix produzido por Nave de “Que Loucura” também é inédito.

A capa é assinada pelo artista plástico curitibano Jorge Torres Galvão. Cada single ganhou um desenho representando um momento de Madu durante o processo e que, juntos, completam um quadro final. E as artes do cenário das lives é assinada pelo grafiteiro Thestrow, também de Curitiba, que inclusive participa do álbum.

Ouça MXT coMvida na íntegra: https://youtu.be/XUaNeVO7Z4c

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES