Publicidade
Olha só

Cabelos brancos também podem nascer em cabeça de jovens. Entenda o porquê

Apesar de ser mais comum após os 40 anos, não é raro encontrar jovens que contam com alguns fios brancos no cabelo. Por que isso ocorre exatamente? “Normalmente eles surgem após os 30 anos e em decorrência de fatores genéticos, formação de radicais livres, períodos de maior stress físico e emocional, mas às vezes estão presentes até mesmo ao nascimento por doenças genéticas.

O bulbo apresenta um número limitado de melanócitos, células capazes de produzir a cor (melanina), quando este estoque termina, aquele bulbo irá produzir apenas fios brancos”, afirma a dermatologista Claudia Marçal, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Academia Americana de Dermatologia. “Esse processo, conhecido como canície capilar, pode ocorrer de forma precoce antes dos 20 anos de idade. Quando isso acontece, é importante procurar um dermatologista para exame e diagnóstico. Pode ser apenas uma forma familiar (genética) de canície familiar ou estar relacionada a déficits nutricionais (como de vitamina B12) ou patologias (vitiligo, alopecia areata, alterações da tireóide). A forma familiar precoce não tem nenhuma gravidade ou significado clínico”, acrescenta Paola Pomerantzeff, dermatologista membro da SBD.

Segundo a Paola, a canície é pré-determinada geneticamente, tanto seu início (com quantos anos se iniciará) quanto seu tempo de progressão (em quanto tempo a pessoa estará com todos os fios de cabelos brancos). Mas o estresse oxidativo também está envolvido no processo, segundo a Claudia: “As células produtoras da melanina são danificadas pelo estresse oxidativo acumulado ao longo dos anos e, também, o empacotamento e migração do pigmento para dentro do fio não ocorre com eficácia. O resultado é o surgimento dos primeiros fios brancos.”

De acordo com a médica, como o estresse oxidativo acelera a canície, o tabagismo e a exposição à poluição devem ser evitados, já que produzem muitos radicais livres. “O estresse é reconhecido como um liberador de mensageiros pró-inflamatórios, o que pode piorar o processo de estresse oxidativo e acelerar o embranquecimento dos fios. Isso acontece em situações de estresse contínuo, por exemplo pessoas que passam por um período de estresse e ansiedade por dois ou três anos, por conta do trabalho e do estilo de vida. Com isso, os cabelos grisalhos aparecem antes do previsto”, diz Claudia Marçal.

Como o cabelo branco tende a sofrer mais com os efeitos nocivos da radiação UV, além de ser mais ressecado, mais poroso, com mais tendência a ficar amarelado e mais suscetível à ação dos radicais livres, ele exige mais cuidados principalmente com a hidratação e proteção desse fio. Segundo Mika Yamaguchi, farmacêutica e diretora científica da Biotec Dermocosméticos, dois novos ativos são importantes para tratar o fio ressecado: Nano Care Fiber e ProCare AOX.

“O primeiro é uma nanoemulsão formada por ativos altamente hidroscópios como o xilitol, que melhora a flexibilidade e maleabilidade do fio, restabelece a hidratação natural, restaura o brilho e reequilibra o balanço hídrico, com a vantagem de trazer resultados imediatos, pois tem alto poder de permeação e difusão na fibra. Já o segundo, tem composição rica em fitoquímicos antioxidantes com permeação intra e intercelular que previnem os danos estruturais causados pelo estresse oxidativo”, afirma Mika. A especialista ainda cita os ativos Hydra.Sil, que protege a hidratação interna do fio, e Liponutrium Hair, que proporciona reparação profunda dos fios. “Por fim, é sempre importante consultar um dermatologista, que poderá indicar fórmulas orais com vitaminas e ativos como Exsynutriment, In.Cell e Bio-Arct para tornar esse cabelo mais forte e resistente”, finaliza a dermatologista Claudia Marçal.

FONTES

CLAUDIA MARÇAL: É médica dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), da American Academy Of Dermatology (AAD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD). É speaker Internacional da Lumenis, maior fabricante de equipamentos médicos a laser do mundo; e palestrante da Dermatologic Aesthetic Surgery International League (DASIL). Possui especialização pela AMB e Continuing Medical Education na Harvard Medical School. É proprietária do Espaço Cariz, em Campinas – SP.

PAOLA POMERANTZEFF: Dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD), tem mais de 10 anos de atuação em Dermatologia Clínica. Graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina Santo Amaro, a médica é especialista em Dermatologia pela Associação Médica Brasileira e pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, e participa periodicamente de Congressos, Jornadas e Simpósios nacionais e internacionais. http://www.drapaola.me/

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES