Publicidade

Cálculo de Tributos em Atraso

Quando por algum motivo não conseguimos fazer o recolhimento de tributos em atraso, muitas vezes nos sentimos preocupados de como faremos o recolhimento destes tributos, pois o banco não faz o cálculo para nós. Este artigo procura mostrar ao contribuinte como pode ser feita a correção dos tributos por meio de sites dos próprios órgãos oficiais e permitindo o posterior recolhimento destes tributos.
A guia da GPS – Guia da Previdência Social (INSS) pode ser corrigida pelo site http://sal.receita.fazenda.gov.br/PortalSalInternet/faces/pages/index.xhtml, onde você encontra três opções: Contribuintes filiados até 29/11/1999, contribuintes filiados após esta data e para Empresas e Órgãos Públicos. Para fazer a guia, o contribuinte pessoa física precisará do seu número do PIS e para recolhimento da pessoa jurídica o CNPJ da Empresa.
Para recolhimento de outros tributos federais é necessário acessar o SICALC - Sistema de Cálculo de Acréscimos Legais da Receita Federal. O acesso é pelo site http://receita.economia.gov.br/orientacao/tributaria/pagamentos-e-parcelamentos/darf-calculo-e-impressao-programa-sicalc-1, onde é possível baixar um programa no computador para fazer esses cálculos ou utilizar a versão online que facilita o trabalho, pois através do CPF ou CNPJ,  que após serem digitados, já será informado o nome do contribuinte.
É importante salientar que, mesmo que o tributo não esteja em atraso, utilizando as ferramentas acima, é possível emitir uma GPS ou uma DARF de qualquer tributo na esfera da Receita Federal.
Celso Oliveira é contabilista, professor da Faculdade Estácio Curitiba

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES