Publicidade
Saúde

Calor exige mais atenção e cuidados com animais

Calor exige mais atenção e cuidados com animais

Embora o verão seja uma estação agradável, o sol e o calor exigem maior cuidado com os pets. E não são apenas cães e gatos que sofrem com as altas temperaturas: aves, répteis e roedores, animais que vem ganhando cada vez mais espaço nos lares brasileiros, também precisam de mais atenção e cuidado.

Segundo o médico veterinário Marcelo Rocha Carneiro, que presta atendimento nos consultórios do pet center HiperZoo em parceria com o Centro Médico Vetsan, é preciso evitar exposição solar direta por longos períodos, principalmente no horário entre 10h e 16h, e garantir o sombreamento adequado para que os animais consigam regular a temperatura corporal. O cuidado deve ser ainda maior com os répteis, pois estes não possuem capacidade de termorregulação e estão mais suscetíveis a queimaduras, alerta o médico veterinário responsável pelo atendimento de animais selvagens e pets não-convencionais. Já a água deve estar sempre disponível e fresca, sendo importante observar a temperatura várias vezes ao dia pois, devido ao calor do ambiente, ela pode aquecer facilmente. E, para as aves, banhos ajudam muito a refrescar. O ideal é aspergir o líquido no animal, mas disponibilizar um recipiente com água para se banharem nos dias mais quentes, também é uma opção, desde que apenas por um curto período.

Cubos de gelo nos bebedouros, fornecimento de frutas congeladas e fixação de garrafas de água congelada ao redor das gaiolas também são dicas simples para refrescar os animais. Ar-condicionado e ventiladores são outras opções para amenizar a temperatura do ambiente, mas é preciso alguns cuidados: O ar-condicionado não pode estar excessivamente gelado e se deve cuidar com a mudança abrupta de temperatura para evitar choque térmico, alerta Marcelo. Quanto aos ventiladores, deve-se evitar que o fluxo de ar atinja diretamente o bichinho. Aparelhos com aspersores de água embutidos são boas opções, desde que utilizados apenas nos horários de maior calor.

O cuidado com alimentação também é importante, pois o calor pode ocasionar fermentação de alguns alimentos. Frutas e verduras podem azedar facilmente. Rações secas e sementes demoram mais para fermentar, mas a exposição solar também deve ser evitada.

As altas temperaturas também podem causar hipertermia, por isso é fundamental seguir as indicações de manejo sugeridas pelo médico veterinário. Sinais como aumento da frequência respiratória e prostração, quando o animal fica abatido e evita movimentar-se para não gerar calor, são indícios de um possível aumento na temperatura corporal. Nesses casos, é preciso colocar imediatamente o animal em um ambiente mais fresco e entrar em contato com o médico veterinário para avaliar a necessidade de internamento e cuidados intensivos.

Além disso, o calor e umidade elevados favorecem o surgimento de viroses e parasitoses. Por isso, é preciso tomar as medidas preventivas e, a qualquer sinal que o animal apresentar, buscar atendimento especializado.

 

Publicidade

DESTAQUES DOS EDITORES