Publicidade
Goleiro

'Cascudo', Alex Muralha afirma que vai brigar com Wilson por vaga no Coritiba

Alex Muralha é apresentado pelo Coritiba
Alex Muralha é apresentado pelo Coritiba (Foto: Ernani Ogata)

O goleiro Alex Muralha, 29 anos, foi apresentado como reforço do Coritiba nessa quarta-feira (dia 6) à tarde. Na sua primeira entrevista pelo clube, avisou que os altos e baixos da carreira o deixaram 'cascudo' e pronto para brigar pela posição de titular com o ídolo Wilson, 35 anos.

Muralha chega por empréstimo com vínculo até dezembro, cedido pelo Flamengo. Ele já pode estrear no domingo, em Cianorte, pela primeira rodada da Taça Dirceu Kruger, o segundo turno do Campeonato Paranaense. Wilson passou por uma cirurgia na mão e só volta em abril, para as primeiras rodadas da Série B.

Perguntado se está no Coritiba apenas para um “contrato tampão”, apenas para substituir Wilson enquanto se recupera de lesão, Muralha respondeu com otimismo. “O Wilson é um grande goleiro, um ídolo do clube. Mas estou aqui para somar, para ajudar o clube de qualquer maneira”, disse. “Estou disposto a dar minha vida por esse clube. Daqui a pouco ele (Wilson) vai voltar e a gente vai brigar. Sei que ele é um cara diferenciado, faz gol de falta, de pênalti”, afirmou.

No Flamengo, Muralha chegou em 2016 e começou bem. Depois, porém, passou a ser duramente criticado por imprensa e torcida. “O Muralha faz um jogo bom é jogado lá em cima. Faz um jogo ruim, Muralha vira tudo de ruim. Mas com o tempo a gente vai ficando cascudo. Aí as pessoas perguntam como eu aguento tudo isso e eu responde: 'essa é a minha vida, é o dom que Deus me deu'. Tem que ter cabeça boa, saber que momento ruim vai passar. E não é qualquer um que chega à seleção brasileira”, declarou o goleiro, que foi convocado por Tite em 2016. “Eu vivi de tudo nas minha vida nos últimos anos”, afirmou.

“Quero agradecer à diretoria do Coritiba por me dar essa oportunidade. Tive momento ruim no Flamengo e, pra mim, já passou. Estamos em 2019. Vim para cá para jogar meu futebol”, disse ele, que ficou em 2018 no Albirex Niigata, da segunda divisão do Japão. “Minha ida para o Japão foi boa para sair daquela turbulência. Estava afetando minha família”, explicou.

Durante a má fase no Flamengo, o apelido Muralha foi contestado por parte da imprensa e da torcida. Nessa quarta-feira, o goleiro afirmou que pretende manter o apelido. “Fiquei conhecido por Muralha em um clube do Interior de São Paulo, no Comercial. Fui muito feliz ali. E carinhosamente me fizeram essa bandeira. No Figueirense, pesquisaram tudo sobre minha vida e recuperaram essa história de Muralha. Então, é um apelido carinhoso e prefiro continuar como Muralha”, argumentou.

Muralha começou na base do Paraná Clube. Depois rodou por Olé Brasil, Votoraty, Comercial, Oeste, Cuiabá, Shonan Bellmare (Japão) e Mirassol. Ganhou destaque nacional em 2015, com grande desempenho no Figueirense. Em 2016, acabou contratado pelo Flamengo. Somou 74 jogos pelo clube carioca. Ainda em 2016, acabou convocado pelo técnico Tite para a seleção brasileira. Teve uma má fase em 2017 e acabou encostado. Em 2018, defendeu o Albirex Niigata, por empréstimo.

No Flamengo, o goleiro recebe salário de cerca de R$ 150 mil mensais. O Coritiba vai pagar apenas uma parte desse valor – R$ 30 mil mensais. O restante será custeado pelo clube carioca.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES