Centro de Treinamento de Pilotos da Varig vai a leilão

O último ativo de valor da Varig, o Centro de Treinamento de Pilotos, irá a leilão na quarta-feira, 25, no Rio de Janeiro. Os funcionários, que esperam há 14 anos por uma solução para o pagamento de indenizações, querem que 80% do valor arrecadado seja rateado entre os 13 mil ex-empregados, informam os organizadores de um protesto que será feito no evento.

O Centro de Treinamento de Pilotos, na Ilha do Governador, zona norte do Rio, é uma área de 177.728 metros quadrados, e terá como lance inicial o valor de R$ 122 milhões. O local era considerado um centro de excelência no auge da empresa, e compreende um grande terreno com algumas edificações.

De acordo com os organizadores do protesto, uma petição com 80 mil assinaturas será entregue ao juiz Alexandre de Carvalho Mesquita, da 1ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, responsável pelo processo de falência da companhia. Se não houver comprador, outro leilão será realizado em 9 de dezembro.

A Varig entrou em recuperação judicial em 2006, mas teve sua falência decretada em 2010. Desde então, os ex-empregados lutam na Justiça para receber seus direitos trabalhistas. Segundo o ex-comissário de bordo, Luiz Motta, 27 anos de Varig, parte dos pagamentos aos empregados foi iniciada em 2017, mas até hoje milhares de pessoas aguardam por uma solução definitiva.

"Vivemos até os dias de hoje numa luta árdua e injusta, pois recebemos, após muita luta e exposição, um rateio por ano, e apenas em 2017, 2018 e 2019", disse o comissário, que ressalta que a idade das pessoas envolvidas, e a especialidade em aviação, "setor que cada vez emprega menos pessoas", impediu que se recolocassem no mercado.