Publicidade

CEO descarta Red Bull Brasil no Paulistão e confirma permanência em Bragança

À frente da parceria entre o Red Bull Brasil e o Bragantino, Thiago Scuro, começou a dar pistas sobre a abordagem da gestora quanto à disputa do Campeonato Paulista. Como já era esperado, o dirigente confirmou que o RB Brasil não irá disputar o torneio, já que a prioridade é a equipe de Bragança Paulista. No entanto, ele ainda não divulgou maiores detalhes. O que se sabe é que a vaga continua em aberta.

"A opção dos dois times disputarem o Paulista não é possível, porque nós temos a mesma empresa acionista de dois times na mesma competição. Então a Lei Pelé não permite que isso aconteça. Obviamente a prioridade nossa passou a ser o Reb Bull Bragantino a partir do momento em que nós fizemos o acordo. Então agora nós estamos avaliando o melhor caminho, como colocar a melhor decisão para o Red Bull Brasil, e possivelmente em mais um mês a gente anuncia isso, deixa claro para a torcida", disse Thiago Scuro, durante a participação no programa Dentro da Área, da TV Altiora.

O dirigente destacou que todo o projeto vem sendo montado para preservar a tradição do Bragantino. "O plano para o ano que vem é que a equipe passe a se chamar Red Bull Bragantino e não mais RB. Fez parte do nosso acordo que o uniforme preto e branco fosse preservado. E agora nós estamos trabalhando para que a gente possa incorporar e preservar o máximo da história e tradição. É uma das razões para que a gente tenha escolhido o Bragantino para fazer o trabalho, o investimento. Então, algumas coisas ainda estão sendo estudadas e desenvolvidas. Aos poucos estamos conhecendo melhor a história, a tradição, para que esse respeito seja mantido", afirmou.

Thiago Scuro ainda prometeu continuar em Bragança Paulista e não negou transformar o estádio Nabi Abi Chedid em uma arena - o Centro de Treinamento do Red Bull fica em Jarinu, a aproximadamente 45km de Bragança.

REFORÇOS - O dirigente foi questionado ainda sobre possíveis reforços para a Série B. No entanto, negou contratar de imediato um camisa 10 e indicou como improvável a chegada de Ricardo Oliveira, conforme boatos nas redes sociais. O atacante pertence ao Atlético Mineiro, mas tem ficado como opção no banco de reservas.

"O Ricardo não está chegando. Entendemos que temos um elenco qualificado para o nosso objetivo, temos uma metodologia de trabalhar com poucos jogadores no elenco para dar qualidade de trabalho, qualidade para o treinador. Temos 28 atletas, sendo quatro goleiros, então já é bem corrido para mantermos um calendário como esse", comentou.

"O objetivo foi qualificar o elenco o máximo possível, os últimos jogos têm mostrado que nós temos acertado muito nesse processo, todos os jogadores tem entrado, correspondendo. Claro que no nosso mercado não podemos dizer quer o mercado está fechado, mas nesse momento não temos nenhuma negociação em andamento", concluiu.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES