Chelsea anuncia banimento de torcedor por ofensas racistas contra Sterling

O Chelsea anunciou nesta terça-feira que baniu por toda a vida um torcedor por abusos raciais direcionados a Raheem Sterling durante uma partida da última edição do Campeonato Inglês, disputada em 8 de dezembro, contra o Manchester City, no Stamford Bridge.

"Um indivíduo foi excluído permanentemente do Stamford Bridge pelo uso de linguagem racialmente abusiva e ameaçadora e comportamento agressivo", disse o Chelsea em um comunicado, explicando que o clube aguardou a realização da investigação judicial para anunciar as suas punições.

Embora nenhum processo criminal tenha sido aberto contra os torcedores, o Chelsea, através da sua própria apuração, optou por sancioná-los em virtude dos incidentes ocorridos no duelo em que o Manchester City superou o time londrino por 2 a 0.

Além do banimento de um torcedor, o Chelsea também determinou a proibição da presença de outros cinco no seu estádio pelo período entre um e dois anos. A pena foi menor, de acordo com o clube, em função do comprometimento deles em adotar um comportamento diferente nas arquibancadas.

"Cinco indivíduos foram temporariamente excluídos de frequentar o Stamford Bridge por períodos entre um e dois anos pelo uso de linguagem abusiva e comportamento ameaçador e agressivo. Indivíduos que receberam a exclusão menor o fizeram sob o compromissos de adotar outro comportamento futuro", explicou o clube.

O Chelsea também prometeu reforçar suas ações na luta contra a discriminação. "O Chelsea Football Club considera todas as formas de comportamento discriminatório repugnantes e continuaremos a adotar uma abordagem de tolerância zero em relação a qualquer incidente de racismo. Temos orgulho de ser um clube diversificado e inclusivo, onde pessoas de todas as culturas, comunidades e identidades se sentem bem-vindas", afirmou o time londrino.