Publicidade
Celebridades

Com 'desejos doidos', Sabrina tem espremedor de limão na cabeceira da cama, diz Duda Nagle

Com 'desejos doidos', Sabrina tem espremedor de limão na cabeceira da cama, diz Duda Nagle
(Foto: Instagram)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - No quarto mês de gravidez, a apresentadora Sabrina Sato, 37, tem acumulado "desejos doidos" e "rompantes de hormônio", segundo o marido Duda Nagle, 35. 

"Tem um espremedor de limão na mesa de cabeceira. Do nada, ela fala: 'Espreme um limão pra mim? Corta uma laranja? Faz um suco de maracujá?'. Duas da manhã, estou eu lá, cortando laranja", afirmou no Canal Julia Faria, no YouTube. 

O ator, no entanto, ponderou que os desejos de grávida seriam "uma preparação" para o pai. "É um teste pra ver se o cara vai ser companheiro nos momentos mais críticos. Seu papel de homem é ficar ali, presente, atenciosamente", afirmou, destacando também as pipocas que tem preparado durante a madrugada. 

Duda também falou sobre mudanças hormonais que Sabrina tem sofrido e afirma que o casal tem driblado os "rompantes" da apresentadora com bastante humor. "A vantagem é que ela é tão engraçada, embora ela nem saiba. Eu começo a rir, então ela fica com mais raiva ainda, eu rio ainda mais, aí a gente acaba rindo". 

Logo no começo da gravidez da primeira filha, Sabrina e Duda passaram por um susto, quando a apresentadora teve um hematoma subcoriônico, também chamado de descolamento ovular. A apresentadora contou em entrevista que chegou a pensar que perderia o bebê. 

"No início, quando estávamos preocupados com o risco, eu me preocupava dessa instabilidade [hormonal] ser prejudicial à parte física, podia ter um descolamento. Mas, no geral, ela está muito bem, supertranquila e a gente está muito feliz. Temos brigado muito pouco", afirmou Duda ao canal do YouTube 

Sabrina e Duda estão noivos desde o início do ano, mas decidiram deixar a aguardada festa de casamento para depois da gravidez. Karina Sato, irmã e empresária da apresentadora, no entanto, afirmou à reportagem que não está descartada a ideia de realizar a cerimônia civil nesse período.

DESTAQUES DOS EDITORES