Alimentação

Com orçamento menor, UFPR deixa de fornecer marmitas nos Restaurantes Universitários

(Foto: Marcos Solivan/UFPR)

Desde 31 de janeiro de 2022, quando os Restaurantes Universitários voltaram a operar na Universidade Federal do Paraná, começaram a ser ofertadas refeições em marmitas. A opção foi uma alternativa emergencial para garantir a biossegurança e reduzir as chances de contaminação por Covid-19 (SARS-CoV-2). Desde então, a UFPR tem gasto, com custos que chegam até R$ 180 mil por mês a mais na conta, só com as embalagens de isopor. Apesar da avaliação positiva, a instituição será forçada a interromper o opção das refeições em marmitas para evitar cortes em outras áreas.

Com um custo em torno de R$ 1,80 a R$ 2,00, em embalagem, as marmitas não estavam previstas no planejamento, principalmente neste ano com severa restrição orçamentária do Governo Federal, que impacta a todas as universidades federais. Segundo o Pró-Reitor de Planejamento, Orçamento e Finanças, Fernando Mezzadri, a UFPR este ano tem R$ 11 milhões a menos no orçamento, comparado ao ano de 2020. “Estamos com um orçamento bem menor e ainda temos de contabilizar um custo inflacionário muito maior em nossos contratos. Por exemplo: o valor destinado para Manutenção das Atividades da Instituição, em 2016 era R$ 184.527.363,00 e este ano temos destinados apenas R$ 145.590.510,00. Com esta defasagem orçamentária temos de lutar para manter a UFPR funcionando plenamente e garantir o retorno 100% presencial”.

A manutenção das marmitas poderia implicar em cortes em outras áreas, inclusive com impacto em perdas de postos de trabalho. Para não chegar a essa situação – que afetaria o desenvolvimentos das atividades na universidade e ainda muitas famílias que dependem desses empregos. Outro ponto é o compromisso da instituição em manter o valor do almoço e jantar para os estudantes em R$ 1,30, um dos valores mais baixos encontrado entre os restaurantes de das universidades federais.

A situação orçamentária e o término das marmitas na UFPR foram debatidos durante reunião entre a gestão e o Diretório Central dos Estudantes (DCE) no final da tarde de sexta-feira (13). Estavam presentes a Pró-Reitora de Assuntos Estudantis, Maria Rita de Assis Cesar, o Pró-Reitor de Planejamento, Orçamento e Finanças, Fernando Mezzadri, e o Pró-Reitor de Administração, Marco Cavalieri.