Publicidade
Esporte

Com um a menos, Vasco busca empate com Racing e ainda respira na Libertadores

BRUNO BRAZ

RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) - Em uma noite de muita luta, mas de pouco futebol, o Vasco empatou por 1 a 1 contra o Racing, com gols de Martinez e Wagner, e manteve vivo o sonho de seguir na disputa da Copa Libertadores.

Após o resultado em São Januário, o Cruz-maltino chegou a dois pontos em sua chave, mas não depende só de si para se classificar. O time precisa vencer seus últimos dois jogos [Cruzeiro e Universidad do Chile]. Além disso, tem de torcer pelo Racing no duelo contra mineiros e chilenos.

Com um a menos em boa parte do segundo tempo, o Vasco teve seu esforço reconhecido pela torcida, que aplaudiu após o apito final da partida. Sem jogos no fim de semana, o time ganha um raro fim de semana sem jogos para corrigir erros de olho na continuidade da temporada.

Com a corda no pescoço na Libertadores, o Vasco entrou em campo esbanjando disposição em São Januário. Ainda que não tenha faltado transpiração, inspiração não foi o forte dos vascaínos na etapa inicial.

Diante de um adversário bem fechado, os donos da casa tiveram muitas dificuldades para penetrar na zaga rival e abusaram da ligação direita. Com a bola no chão, o Racing não ameaçou muito o rival, mas teve o controle absoluto do jogo.

Quando o Vasco parecia se acertar em campo, Lautaro Martínez aproveitou passe de Centurión, bateu para defesa de Silva, mas completou para gol no rebote, aos 31min. Com a vantagem, o caldeirão de São Januário esfriou, assim como os mandantes, que estiveram longe de criar chances de perigo.

Sem alternativa, o Vasco retornou ao campo disposto a minimizar o prejuízo. Apesar da disposição, o time seguiu esbarrando em suas próprias limitações técnicas. Com a partida sob controle, o Racing seguiu explorando os espaços deixados.

Desta forma, o jogo seguiu de forma parecida ao que foi na etapa inicial. O Vasco tentando chegar ao gol de Musso, enquanto o Racing tratava de tocar a bola e fazer o tempo passar. A tarefa argentina foi facilitada após a expulsão de Desábato, o que abriu ainda mais a defesa cruz-maltina. Nos pés do ex-rubro-negro Donatti, o Racing perdeu ótima chance para ampliar, mas o zagueiro mandou para fora.

Apesar de toda a adversidade, o Vasco não desistiu um só minuto. Aos 35 minutos, o Vasco foi enfim premiado. Rios concluiu, Musso deu rebote e Wagner mandou para a rede. O empate esquentou a temperatura em São Januário, mas o Racing soube esfriar o jogo, ainda que Pikachu quase tenha marcado o gol da virada.

A dificuldade do Vasco em converter suas poucas chances criadas em gols é evidente na Libertadores. Após passar em branco nos três jogos anteriores da fase de grupos, o time marcou seu primeiro gol na fase de grupos.

CONFUSÃO

Os torcedores do Racing aproveitaram o bom momento vivido pelo time para prestigiar seu clube do coração. Vestidos a caráter, cerca de 400 apaixonados estiveram em São Januário nesta noite. Ainda no primeiro tempo, alguns argentinos entraram em confronto com a Polícia Militar, que usou gás de pimenta para tentar controlar os ânimos.

VASCO

Martín Silva; Yago Pikachu, Werley, Paulão, Henrique; Desábato, Wellington (Riascos), Thiago Galhardo (Fabrício), Wagner, Rildo (Bruno Silva); Andrés Rios.

T.: Zé Ricardo

RACING

Musso; Saravia, Donatti, Sigalli (Barbieri), Soto; Domínguez, González, Cardozo (Zaracho), Centurión; Lisandro López (Mancilla), Lautaro Martínez. T.: Eduardo Coudet

Estádio: São Januário, no Rio de Janeiro

Juiz: Diego Haro (PER)

Cartões amarelos: Desábato, Henrique, Werley (Vasco); Cardozo, Soto, Barbieri, Zaracho (Racing)

Cartões vermelhos: Desábato (Vasco)

Gols: Martínez, aos 31min do primeiro tempo (Racing); Wagner, aos 35min do segundo tempo (Wagner)

Publicidade

DESTAQUES DOS EDITORES