Publicidade
Brasileirão

Com vitória, seleção e ‘general’, Athletico vira só prazeres

Thiago Heleno, contra o Bahia: zagueiro do Athletico voltou a jogar após 5 meses
Thiago Heleno, contra o Bahia: zagueiro do Athletico voltou a jogar após 5 meses (Foto: Divulgação / Miguel Locatelli / Site oficial do Athletico)

Campeão da Copa do Brasil há duas semanas, o Athletico viveu um fim de semana só de prazeres. Primeiro, porque o goleiro Santos teve o desempenho reconhecido a ponto de embarcar para a seleção brasileira. Segundo, porque viu o “gerenal” Thiago Heleno voltar a jogar, após cinco meses. Por fim, porque derrotou o Bahia por 2 a 1, fora de casa, no último sábado (5).

Com a vitória, o Athletico encerrou a 23ª rodada com 34 pontos, a 4 pontos do Internacional, último time na zona de classificação para a Libertadores — embora isso seja irrelevante, já que o Athletico, por ter conquistado a Copa do Brasil, está garantido na Libertadores de 2020.

“O prazer que encontramos de jogarmos juntos, trabalharmos juntos, competirmos juntos, vencermos juntos. Agora, é representar bem a cada jogo, porque somos os campeões da Copa do Brasil”, disse o técnico Tiago Nunes, em entrevista coletiva, após a partida de sábado. “Hoje é tudo muito leve, tudo acontece. Os jogadores estão encontrando cada vez mais prazer em jogar”.

Nunes ainda parabenizou o zagueiro Thiago Heleno, que não jogava desde a derrota por 2 a 1 para o Fortaleza, em 1º de maio, pela 2ª rodada do Brasileirão. O jogador havia sido pego no exame antidoping em uma partida da Copa Libertadores, em abril. Ao todo, ele ficou 157 dias sem jogar. Diante do Bahia, ele começou como titular, teve uma atuação segura e acabou substituído aos 24-2º pelo lateral-esquerdo Adriano – o lateral-direito Madson foi improvisado na zaga. “Temos que parabenizar ele (Thiago Heleno) pelo retorno. A gente está muito feliz por isso”.

Sobre o goleiro Santos na seleção , o treinador ressaltou a boa fase do jogador, mas diz que por enquanto não tem o substituto na cabeça. Santos não deverá jogar contra o Corinthians, nesta quinta-feira (10). “Vamos um passo de cada vez, um jogo de cada vez”, disse. “Não posso mudar o time por mudar. Não tem muito sentido nisso, só para rodar o elenco. Tenho compromisso com os jogadores. Quem se esforça, quem merece, vai ter oportunidade”.

A nota triste foi a morte do pai do atacante Marco Ruben, na última semana. O jogador acabou nem atuando contra o Bahia porque foi à Argentina para um último adeus. “Quero mandar nossos sentimentos ao Marco Ruben, que perdeu o pai. Esses últimos dois dias foram bem difíceis para ele”, concluiu.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES