Publicidade
Na Capital

Em Curitiba, comércio usa a criatividade para enfrentar a crise

Personagens na frente da loja ajudam a atrair a clientela
Personagens na frente da loja ajudam a atrair a clientela (Foto: Franklin de Freitas)

Uma caminhada pelo calçadão da Rua XV, no Centro de Curitiba, revela um apelo comum do comércio. São placas anunciando liquidações, queimas de estoque e preços imperdíveis na maioria das lojas. De tão banal que as promessas de bons preços se tornaram nos últimos tempos, contudo, já resultam num vazio, incapaz de atrair clientes. A saída para alguns empreendedores, então, tem sido apostar na criatividade.

E na própria Rua XV, coração do comércio curitibano, um exemplo tem se destacado. Localizado ao lado do Bondinho, a loja da Via Anzi tem vivido dias agitados. E tudo graças a uma inusitada iniciativa do gerente Gilberto de Ávila Filho, que por conta própria resolveu criar dois personagens, o Senhor Tecido e o Homem Sacola. Eles ficam em frente à loja gerenciada por Gilberto, chamando a atenção dos que passam por ali e os convidando a visitarem a loja de sapatos.

“(A iniciativa partiu) de mim, sou gerente há três anos. Tivemos notificações sobre o uso de caixas de som, então resolvemos partir para o ataque de uma forma diferente, mais incisiva, e eu criei os personagens”, relata o gerente.

Em termos de retorno a iniciativa já rende bons frutos. Nas lojas da Via Anzi na Rua XV, o faturamento cresceu cerca de 20%. E há ainda a mídia espontânea, gerada por postagens nas redes sociais e o interesse da mídia em cobrir o assunto – além do Bem Paraná, conta Gilberto, outros veículos de comunicação já o procuraram para que participasse de reportagens sobre criatividade no comércio.

“É difícil esse ramo, tem de chamar a atenção dos clientes. Nós conseguimos isso porque fazemos algo diferente. O pessoal é acostumado a pegar panfleto, ouvir locutor, mas não tem nada que realmente chame a atenção”, diz ele. “Sábado aqui vira uma loucura, tanto que coloquei duas pessoas para trabalhar só nisso. O pessoal adora os personagens, pedem para tirar foto”.

Críticas
De início, contudo, a iniciativa não foi tão bem aceita, principalmente pelos concorrentes. “Recebi muita crítica. O pessoal dizia que esse tipo de coisa não se faz, empobrece a marca. Jamais fariam isso (os concorrentes), acham pobre demais. Mas eu estou pensando lá na frente. Tenho a ideia de criar um mascote lindo, a cara da marca. Ainda bem que eles (concorrentes) não gostam, que daí eles não criam também”, comenta Gilberto.

Gerente promete mais novidades e atrações em breve
Para os que já acompanham e gostam dos personagens da Via Anzi, Gilberto de Ávila Filho revela que em breve os clientes terão novidades relacionadas a esse marketing inusitado. “Estou inventando outros personagens, mas é tudo segredo, para a concorrência não imitar”, brinca o gerente.
A ideia da rede, conta ainda ele, é colocar os personagens em todas as lojas. O problema, contudo, é a resistência dos gerentes de outras lojas, que acreditam não ser trabalho deles fazer esse tipo de divulgação. “Mas eu sou focado em números. Nosso líder é bem aberto, o que nos abre um campo grande para promover as vendas. Meu sonho é ser supervisor para um dia criar esse padrão para toda a rede”, conta Gilberto.

Felicidade é a alma do negócio e foi tema de outra iniciativa
No começo deste ano, o Bem Paraná já havia apresentado uma outra iniciativa curiosa: um anúncio de emprego (com direito a smile no cartaz) da rede Multi Gula (uma espécie de supermercado de ponta de estoque) onde lia-se: “Estamos contratando pessoas felizes”.
A empresa, fundada há dois anos, vivia uma fase de crescimento e resolveu aperfeiçoar o atendimento ao cliente, investindo em capacitação e treinamento. “Cada colaborador se empenha ao máximo para fazer a pessoa mais alegre, ficar mais a vontade. A ideia é aproximar o cliente, dar liberdade para conversar”, explicou na ocasião Cid Becker, gerente daloja na Rua Marechal Deodoro, no Centro de Curitiba.
Tão logo foi implementado, o novo modelo de trabalho deu resultados até mesmo melhores que o esperado, dobrando o faturamento da loja em menos de duas semanas. “Coloquei o cartaz porque queremos profissionais que passem uma energia positiva. A loja é a mesma, mas as pessoas perguntam se mudou de dono, se é nova gestão. Estamos recebendo uma enxurrada de elogios”, comemorou o gerente, que chegou a receber 200 currículos por dia.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES