Publicidade
Mercado

Confiança do empresário paranaense atinge segundo pior resultado

O Índice de Confiança da Indústria de Transformação do Paraná caiu -4,9% em relação a junho, chegando a 30,9 pontos. O índice foi puxado negativamente sobretudo pelo indicador de condições atuais das empresas – queda de -5,8%. Foi o pior resultado histórico da pesquisa, desenvolvida pelo departamento Econômico da Federação das Indústrias (Fiep) desde janeiro de 2012. O nível de pessimismo de julho só não superou o do mês de março deste ano, quando chegou a 31,5%.

O mês de julho também teve os desempenhos mais baixos nas pesquisas de 2012 (51,2) e 2013 (46,9) – neste ano, influenciado pelos protestos registrados em todo o Brasil. No comparativo com julho de 2014, a queda deste ano foi de 10 pontos.

O Índice de Confiança do Empresário da Indústria de Transformação do Paraná é composto pelos indicadores de Condições Atuais (23,1 pontos em julho) e de Expectativas (35 pontos em julho). A avaliação das condições atuais é embasada na visão dos empresários em relação à economia e à sua própria empresa. E as expectativas são avaliadas a partir da opinião dos entrevistados em relação à operação da economia no futuro próximo - em um horizonte de seis meses – e às expectativas de performance de seu próprio negócio.

ICEC-PR – O Índice de Confiança do Empresário de Construção Civil (ICEC) do Paraná também está na área do pessimismo. Pelo 6º mês consecutivo, os industriais do setor estão pouco confiantes – com queda de -1,3 em relação a junho, chegando a 38,9 pontos. O ano de 2015 começou com o pior nível de otimismo de todos os semestres desde 2009, quando este estudo do setor da Construção Civil passou a ser desenvolvido pela Fiep. Os números indicam que este ano deverá continuar na área de pessimismo, avaliou Maurilio Schmitt, coordenador do departamento Econômico da Fiep.

 

DESTAQUES DOS EDITORES