Publicidade
Oitavo dia de greve

Confusão e fila nos postos; estoque de gás zerado em Curitiba

Nos casos isolados de abastecimento de gasolina, a espera pode chegar a sete horas
Confusão e fila nos postos; estoque de gás zerado em Curitiba
Nos poucos postos com gasolina, há espera de até sete horas (Foto: Henry Milleo)

Ontem pela manhã, um dos poucos postos com combustível em Curitiba era o Posto Bom Retiro, no bairro de mesmo nome. A notícia do carregamento de cerca de 40 mil litros de combustível, sendo 30 mil da gasolina e 10 mil de etanol, entregue quando o posto já estava fechado, por volta das 21 horas da noite de sábado (26), levou motoristas a pernoitarem em filas de mais de um quilômetro para garantirem um tanque cheio. Por volta de meio dia, a venda foi suspensa.Segundo a explicação dos frentistas, o motivo era o cumprimento de uma determinação legal para que a prioridade do abastecimento fosse dada para os carros da Polícia Militar. Depois de muita reclamação, houve negociação com os Policiais Militares presentes e a venda do produto para os consumidores foi retomada. 
Conforme relato de Marcelo Bacchieri, dono de uma empresa de entrega distribuição e material elétrico, que estava desde as 9 horas da manhã, eram cerca de meio-dia e meia, quando a venda de combustível foi suspensa. “Depois de três horas na fila, bem na minha vez, o posto parou de vender”, conta.  Segundo Bacchieri, depois de muito bate-boca e confusão, por volta das 14 horas, a venda foi liberada para os motoristas que estavam na fila. Com o tanque do utilitário cheio, Bacchieri acredita que poderá trabalhar até a sexta-feira. “Espero que até lá acabe”, disse referindo-se à greve dos caminhoneiros que hoje completa oito dias.
Em outro posto, em outro lado da cidade, a confusão era outra. Depois de vender combustível a granel durante todo o sábado, ontem o gerente decidiu suspender a venda em galões no posto na esquina das avenidas Getúlio Vargas com República Argentina. A medida foi tomada após a Polícia Militar se acionada para conte a confusão provocada por clientes que furaram a a fila com os galões no sábado.
Estoques estão zerados — No Paraná, como um todo, a situação é de desabastecimento, segundo balanço do Sindicombustíveis, que representam os donos de postos. Por conta dos manifestantes junto à Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), em Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), não há abastecimento regular. “Pode ocorrer que algum posto, de forma isolada, venha a obter algum produto, por conta de caminhão-tanque que tenha conseguido furar os bloqueios, geralmente com escolta”, diz uma nota do Sindicombustíveis. Pequenos estoques de diesel ainda restam em alguns postos do Paraná. O GNV continua com fornecimento no Paraná. 
Os estoques de gás nas revendedoras estão zerados deste a última sexta-feira (25) no Paraná e em todo o País. “As distribuidoras, responsáveis por envasar o produto, têm gás, mas elas não têm como escoar os botijões por conta dos bloqueios nas estradas”, explica José Luiz Rocha, presidente da Associação Brasileira de Entidades de Classe das Revendas de Gás LP (Abragas). 

DESTAQUES DOS EDITORES