Publicidade
Exterior

Conselho de Direitos Humanos da ONU aprova resolução histórica sobre Venezuela

NOVA YORK, EUA (FOLHAPRESS) - O Conselho de Direitos Humanos da ONU aprovou nesta quinta-feira uma resolução histórica sobre a Venezuela, na qual pede que o governo do ditador Nicolás Maduro "aceite a ajuda humanitária" para solucionar os problemas de "escassez" de alimentos e medicamentos.

É a primeira vez em sua história que o Conselho adota uma resolução sobre a Venezuela, afirmou à AFP um porta-voz do órgão da ONU com sede em Genebra, Rolando Gomez.

O texto, proposto por vários países latino-americanos, como Argentina, Peru, Chile e Colômbia, além do Canadá, foi aprovado por 23 dos 47 Estados representados no Conselho, incluindo o Brasil; 17 países se abstiveram e 7 votaram contra, entre eles China, Cuba e a própria Venezuela.

A resolução pede a Caracas que "aceite ajuda humanitária com o objetivo de remediar a escassez de alimentos, medicamentos e recursos médicos", que vem provocando um "aumento da desnutrição, em particular de crianças, e a aparição de doenças que haviam sido erradicadas ou controladas anteriormente na América do Sul".

O Conselho declarou estar "profundamente preocupado com as graves violações de direitos humanos, que se produzem no contexto de uma crise política, econômica, social e humanitária", diz um relatório do Alto Comissariado de Direitos Humanos da ONU publicado em junho de 2018.

O Conselho pressiona o governo venezuelano "a cooperar" com o Alto Comissariado, dirigido desde setembro pela ex-presidente do Chile Michelle Bachelet, a quem foi pedido que apresente um "informe completo" sobre a situação na Venezuela na 41ª sessão do Conselho, que será em junho de 2019.

DESTAQUES DOS EDITORES