Publicidade
No Água Verde

Cosedi libera retorno de moradores para prédio interditado por explosão

(Foto: Franklin de Freitas)

A Comissão de Segurança de Edificações e Imóveis (Cosedi) realizou uma nova vistoria na tarde desta sexta-feira (19 de julho) no Edifício Residencial Hannover, no bairro Água Verde, e liberou o acesso dos moradores do primeiro ao quinto andar. O edifício foi atingido no final do mês passado por uma forte explosão, ocorrida quando um técnico realizava um serviço de impermeabilização de sofá num apartamento localizado no sexto andar. Um menino de 11 anos faleceu no episódio, enquanto outras três pessoas (dois moradores e o técnico que realizava o serviço de impermeabilização) ficaram feridas.

Segundo o coordenador do Cosedi, Marcelo Solera, a nova vistoria foi realizada após uma solicitação do síndico do edifício. "Ele nos encaminhou um e-mail informando que os serviços emergenciais haviam sido executados. Hoje  fizemos uma visita técnica e constatamos que realmente os serviços haviam sido realizados".

Entre as solicitações feitas pela Prefeitura estavam o fechamento das portas dos elevador, por conta do risco de alguma pessoa cair no buraco; que as janelas de alumínio, que estavam penduradas e haviam quebrado na explosão, fossem trocadas; assim como que as paredes de alvenaria com risco de queda fossem retiradas.

“Em função da execução de tais medidas emergenciais por parte do condomínio, fica retirada a interdição dos pavimentos acima citados”, informa parecer emitido pela Cosedi.

Já o sexto andar - onde ocorreu a explosão no dia 29 de junho - continua interditado. Também estão interditadas a área externa localizada na lateral direita do edifício e a área dos fundos, onde ficam duas vagas de estacionamento.

"Como existem alguns riscos no sexto pavimento e as obras serão executadas na sequência, manteremos a interdição do sexto pavimento e depois voltamos, quando acionados para nova vistoria e fazemos a liberação", complementa Marcelo Solera.

Em recuperação

O técnico Caio Santos, de 30 anos, sofreu queimaduras em 30% do corpo e segue internado no Hospital Universitário Evangélico Mackenzie. A previsão é que ele deixe o hospital amanhã. Já Gabriel Araújo, que também teve 30% do corpo queimado, deve receber alta na próxima semana. O caso de Rachel Lamb, por outro lado, inspira mais cuidados. Ela teve 55% do corpo queimado e passará por um enxerto antes de poder deixar o hospital.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES