Publicidade
Drogas

Curitiba é escolhida para testar 'drogômetros' em blitze

(Foto: Valdecir Galor/SMCS)

Curitiba é uma das cidades escolhidas pelo governo federal para testar a utilização de “drogômetros” em blitze de trânsito. O projeto-piloto ainda depende de testes dos equipamentos - similares aos “bafômetros” - mas que detectam a utilização de substâncias ilícitas, como maconha, crack, cocaína e ecstasy no organismo do motorista.

O anúncio foi feito, nesta segunda-feira (24/6), pelo secretário nacional de Políticas Sobre Drogas, Luiz Roberto Beggiora, durante a abertura da Semana Municipal de Prevenção ao Uso de Drogas, no Salão de Atos do Parque Barigui. De acordo com Beggiora, já houve testes em Porto Alegre e o Ministério da Justiça tem uma comissão para tratar do tema. Além das capitais paranaense e gaúcha, o equipamento deverá ser testado em outras três cidades a serem definidas pela secretaria nacional.

"Temos como meta o prazo de aproximadamente um ano para implantação”, afirmou o secretário nacional de Políticas Sobre Drogas.

Com o aparelho, em poucos segundos é possível detectar se o motorista ingeriu alguma substância psicoativa, conforme explica o secretário municipal da Defesa Social e Trânsito. “O teste será feito a partir de um apenas 1ml da saliva do condutor”, explica Guilherme Rangel.

A proibição de uso de drogas ilícitas por condutores é prevista no Código de Trânsito Brasileiro (CTB). “A lei seca diz respeito ao uso dessas substâncias também, não apenas de álcool”, pontua Rangel.

A Semana de Prevenção é organizada pelo Departamento Municipal de Políticas Sobre Drogas (DPSD) e continua com atividades diversas até o sábado (29/6). “Realizamos periodicamente reuniões intersetoriais e levantamento de dados a partir dos quais propomos as ações com a sociedade”, conta o diretor do DPSD, Cristiano de Bastiani.

Ainda nesta segunda foi lançada a revista “Se liga nas redes”, voltada a crianças de cinco a dez anos e idealizada como projeto do vereador Dr. Wolmir.

Confira a programação para os próximos dias.
Ciclo de palestras
A novidade sobre os drogômetros compôs palestra de Beggiora sobre a nova política nacional sobre drogas. Além dele, o ciclo de palestras “Drogas: desafios da contemporaneidade” teve a participação de Rangel, que falou sobre redução da oferta de drogas.

A coordenadora de saúde mental da Secretaria Municipal de Saúde, Flávia Adachi, discorreu sobre formas, possibilidades e desafios no tratamento de dependentes químicos. O tema prevenção foi foco da palestra da gerente de prevenção do DPSD, Grace Puchetti.

O evento de abertura teve a participação do vice-prefeito, Eduardo Pimentel; da secretária municipal de Saúde, Márcia Huçulak; do presidente da Fundação de Ação Social (FAS), Thiago Ferro; do diretor estadual de Políticas Públicas Sobre Drogas, Renato Figueiroa; dos vereadores Ezequias Barros e Dr. Wolmir; do presidente do Instituto Municipal de Administração Pública (Imap), Alexandre Matschinske; do presidente do Conselho Municipal de Políticas Sobre Drogas de Curitiba (Comped), Acacio Bernardes Faria Filho; do presidente da Federação Paranaense de Comunidades Terapêuticas, Thiago Massolin; e do gestor geral da Federação Brasileira de Comunidades Terapêuticas, Pablo Andrés Kurlander Perrone.

A Banda Lyra, o coral do Caps Boa Vista e a Guarda Municipal Mirim fizeram apresentações antes dos debates.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES