Publicidade
Trânsito

Curitiba reforça fiscalização contra motofretistas irregulares

Motofretistas tem documentação diferente
Motofretistas tem documentação diferente (Foto: Franklin de Freitas)

A Superintendência de Trânsito de Curitiba, órgão ligado à Secretaria Municipal de Defesa Social e Trânsito, realizou na tarde de quarta-feira (14), no Centro da cidade, uma blitz diferente, com foco no combate ao motofrete irregular. A ação teria sido uma solicitação da Urbanização de Curitiba (Urbs), órgão responsável por operacionalizar o funcionamento da atividade de motofrete na cidade, como cadastro,controle e fiscalização das empresas, profissionais empregados e profissionais autônomos que exercem a atividade nesse ramo.

Segundo Rosangela Maria Battistella, superintendente de Trânsito de Curitiba, o foco principal da ação foram as motos, mas todos os veículos em que os agentes de trânsito identificaram algum tipo de problema acabaram sendo abordados.

“(A ação) Foi uma demanda da Urbs para a Setran, porque há muito motofretista que acaba não tendo a documentação necessária. A Urbs que faz o cadastro deles, eles fazem uma prova diferenciada e daí tem até estacionamentos específicos na cidade, que foi uma reivindicação deles. Fizemos essa fiscalização, inclusive porque até outros motociclistas reclamam”, explica Battistella.

A legislação vigente no município exige dos profissionais empregados e suas empresas, assim como dos profissionais autônomos, uma atenção especial para as regras legais às quais estão submetidos. Para isso, a URBS dispõe de local e funcionários devidamente qualificados para prestar esclarecimentos e encaminhar o que for necessário, de modo a facilitar o processo para cumprimento do regulamento pelos profissionais e empresas do ramo. Mais informações e/ou esclarecimentos podem ser obtidos através dos telefones 3320-3115 / 3320-3321.

Ainda segundo a superintendente de trânsito de Curitiba, as ações de fiscalização do trânsito, com blitz, estão ocorrendo quase que diariamente na cidade, sem se limitar à fiscalização de motociclistas. “Praticamente todos os dias, em diversos pontos da cidade. Só de motos, já foram 450 remoções, 37 envolvendo motofretes. É um número considerável. As infrações mais comuns são licenciamento vencido e escapamento adulterado”, explica Battistella.

Considerando-se todos os meios de transporte, do início do ano até agora a Defesa Social e Trânsito autuou 2.864 veículos nas fiscalizações de rotina desenvolvidas pela cidade, com 1.069 remoções. No período também foram aplicados 223 exames etilométricos (bafômetro), com 12 resultados que apontaram para indícios de álcool no sangue e duas recusas, com condução dos motoristas para a Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran).

Leilão terá moto por valor inicial de R$ 280
No sábado (17 de agosto) a Secretaria Municipal de Defesa Social e Trânsito irá promover o leilão de 45 modelos diferentes de motocicleta. O pregão na modalidade eletrônica, do tipo maior lance, está marcado para às 9h20.

Os valores iniciais partem de R$ 280 para um veículo Kasinski/GF 125 ano 2001 até uma Honda CG 160 FAN ESDI 2016, a partir de R$ 1,3 mil. A lista dos modelos disponíveis neste lote do leilão pode ser conferida no site do leiloeiro Helcio Kronberg.

Para quem quer ver de perto as condições de cada veículo, a visitação no pátio da Setran está liberada nesta quarta (14/8) e quinta-feira (15/8), das 9h30 às 11h30 e das 13h30 às 16h. O pátio fica na Rua Alberto Klemtz, 310, no bairro Portão.

Veículos caindo aos pedaços preocupam a Setran
Nos últimos dias, 17 veículos em mau estado de conservação e sem licenciamento foram retirados de circulação por agentes de trânsito, em Curitiba. A criatividade nos 'trambiques' nos automóveis é algo que surpreende etambém assusta: tem tanque de combustível improvisado em um galão de plástico, cilindro a gás deteriorado, pneu careca, tanque de combustível sem tampa (com uma espécie de meia tampando o buraco), veículo sem placa dianteira e sem retrovisor...

“São veículos que o pessoal tem utilizado para levar carga, fazer descarte de materiais, lixo reciclável, coisas assim. Mas acabam abusando, são veículos em péssimas condições, com cinta em volta do pneu para segurar, senão ele desmancha, lataria caindoi aos pedaços. Isso tudo vai contra a segurança do condutor e dos usuários da via”, aponta Rosangela Battistella, apontando ainda que trafegar com veículo em mau estado de conservação, comprometendo a segurança, é infração grave, com perda de cinco pontos na CNH e multa de R$ 195,23.

Ainda segundo a superintendente de trânsito de Curitiba, esse tipo de situação tem se tornado mais frequente ultimamente, principalmente em bairros mais afastados do Centro da cidade, como Fanny, Novo Mundo, Bairro Novo e Bairro Alto.

“A gente notou que ultimamente tem sido mais frequente, por isso intensificamos as blitzes. São veículos que você nota, só no olho, as péssimas condições. Temos recebidos muitas denúncias via 156. Os próprios moradores notam a presença desses veículos e nos acionam .

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES